Meus outros blogs:

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Brasão

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Um dia alguém escreveu...

Se tivesse um milhão de amigos e pedisse a cada um uma moeda, poderia ser milionário.
Se tivesse 500 mil amigos, pediria para darmos as mãos e unirmos o país.
Se tivesse 200 mil amigos fundaria uma cidade onde todos se saudassem com um sorriso.
Se tivesse 25 mil amigos a empresa de telefone cortaria a minha linha cada vez que fizesse anos.
Se tivesse 6 mil amigos gostaria de ter 6 mil afilhados.
Se tivesse mil amigos teria duas mil mãos só para mim.
Se tivesse 365 amigos passaria cada dia do ano com um deles.
Se tivesse 100 amigos teria 100 conselhos.
Se tivesse 4 amigos teria asseguradas as 4 pessoas que carregariam o meu caixão.
Se tivesse 2 amigos seria 2 vezes mais feliz.
Mas se tivesse só 1 amigo (e tenho) não precisaria de ter mais.

Há quem queira ter um milhão de amigos, quando só tu vales por milhões.
Por isso gosto e preocupo-me contigo.
Decerto algumas pessoas de quem gostas muito por serem importantes para ti,
haveriam de sentir-se felizes por lerem esta mensagem...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Costumes da India

Bindi
O Sagrado Ponto bindi ou (também conhecido como Kumkum, mangalya, tilak, sindhoorentre vários outros nomes) é uma maquiagem utilizada na testa pelas mulheres indianas. O termo é derivado da palavra Bindu, que em Sânscrito significa ponto. Normalmente é um ponto vermelho feito com Vermilion (sulfato de mercúrio vermelho brilhante finamente pulverizado). Considerado o símbolo sagrado de Uma ou Parvati, o bindi simboliza a força feminina (shakti) é acredita-se que proteja as mulheres e seus maridos. Tradicionalmente um símbolo de casamento (por isso as viúvas não utilizavam), se tornou um item decorativo e hoje é utilizado por mulheres solteiras e também por mulheres de outras religiões. Atualmente não se restringe mais a cores e formas específicas, os bindis são vistos em várias cores e formatos e são feitos com adesivos e feltros.

Acredita-se ainda que as odaliscas usavam o Bindi porque acreditavam que esse Terceiro Olho ajudaria na sedução. Como a maioria das mulheres árabes tinham estima baixo, o acessório influenciava muito no que acreditavam, e realmente, funcionava.

Sari
O sári é um traje nacional das mulheres indianas, constituído de uma longa peça de pano que envolve e cobre todo o corpo.

Fora o uso tradicional como vestimenta este tecido também pode ser usado na decoração, como na fabricação de cortinas, almofadas, toalhas de mesa, travesseiros, etc.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O poder das escolhas

"Existem muitos caminhos para o topo da montanha, mas apenas uma visão." (Harry Millner)

Tema do dia: Visão
. O tema parte de uma frase de Neil Peart, que diz: "Se você escolhe não decidir, você já tomou uma decisão."

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Personalidade

Define-se a personalidade como tudo aquilo que distingue um indivíduo de outros indivíduos, ou seja, o conjunto de características psicológicas que determinam a sua individualidade pessoal e social. A formação da personalidade é processo gradual, complexo e único a cada indivíduo. O termo deriva do grego persona, com significado de máscara, designava a "personagem" representada pelos atores teatrais no palco. O termo é também sinônimo de celebridade. Pode-se definir também personalidade por um conceito dinâmico que descreve o crescimento e o desenvolvimento de todo sistema psicológico de um indivíduo, outra definição seria: a organização dinâmica interna daqueles sistemas psicológicos do indivíduo que determinam o seu ajuste individual ao ambiente. Mais claramente, pode-se dizer que é a soma total de como o indivíduo interage e reage em relação aos demais.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Se eu pudesse explicar o "Amor", com as minhas palavras...

“A palavra amor pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atracção, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, que seja capaz de receber este comportamento amoroso e alimentar as estimulações sensoriais e psicológicas necessárias para a sua manutenção e motivação.”
Fala-se de amor nas mais diversas formas: amor físico, amor platónico, amor materno, amor a Deus, amor á vida, amor de amizade. É o tipo de amor que tem relação com o carácter da própria pessoa. É algo que tem diversas facetas, diversas maneiras de lidar, diversas maneiras de ver.

Se falássemos na minha pessoa, nas minhas experiências, nas minhas opiniões, de longos e duros trinta e muitos anos da minha vida:
Amores a Deus, mesmo os que não têm fé a Deus, são amados. Amo a Deus, pelas as maravilhas da natureza, pelas pequenas coisas do mundo, pela perfeição da imperfeição da humanidade, pelas coisas inexplicáveis que existem.
Amor familiar, amor materno, paterno, amigos de coração, manas de sangue é um amor que me enche o peito de felicidade. Perdi a inocência de criança, pelo sofrimento muito cedo, mas estava coberta pelo amor familiar até muito tarde. Por muito passei e poucas vezes senti remorsos, graças ao meu Anjo da Guarda!
Amor físico, por tudo o que já passei, pela experiência de sofrimento, amo o meu corpo e aprendi a amar a minha vida como ela é.
A vida é curta, dura e o tempo passa depressa para que nós olhemos somente para o nosso umbigo. E a realidade que nos rodeia no dia-a-dia, é crua e fria.
Poderia dizer que o amor platónico, aquele amor ideal, perfeito só nos sonhos, só naqueles meus pergaminhos, que um dia poderá ser um livro… “Iniciam em sonhos reais e terminam em palavras inventadas”.

Falemos agora de um amor que noutro dia andavam a falar, despoletaram nós, sentimentos, palavras na minha cabeça. Amor entre duas pessoas, amor segundo algumas cartas, poemas, “um amor avassaladora… um amor que arde sem se ver…”. Amor que provoca danos, carências, dúvidas, tristezas e alegrias.
Digamos que as operações fizeram de mim, uma pessoa mais aberta. Passei por momentos felizes, senti o toque do primeiro beijo, do primeiro amor… mas nunca foram relações duradouras. Paixões de adolescentes, amores estrangeiros, amores que a distância não ajudou. Relações que começaram do nada e em nada ficou no fim. Relações que marcaram muito, pelas medidas drásticas que por vezes temos de tomar, para não perdermos a dignidade. Mas apesar disso, nunca passei por um amor avassaladora.

Ultimamente, não sei se é por carência ou por não estar com alguém á muito tempo, as paixões que tenho tido, são fortes, avassaladoras e que arrasam comigo. Fazem-me sonhar, em sonhos tão altos, com as expectativas de tornarem verdadeiras, mas no final, era apenas mais um sonho. Fazem-me ser poeta, divagar debaixo da lua, palavras que formam um texto romântico, maravilhoso… e no entanto, eram apenas palavras.
Depois disso, acordamos para a vida e vemos a realidade. Recentemente, senti a quebrar-me por dentro. Senti a necessidade de abrir a minha mão, para largar a minha recente paixão sem finalidade. Senti, que a dor estava a consumir-me e o estar perto dessa paixão estava a deixar-me de rasto. Já era um choro sem lágrimas. Eu não mereço essa dor, nem essa negação, nem essa tristeza, nem afundar-me por uma paixão que não vai acontecer.

Diz-me quando, aonde, temos ou podemos lutar por amor merecido? Como sabemos é esse o amor que vai ser para o resto das nossas vidas, o amor que não vai acabar, como sabemos? Como sabemos se esse amor, não traz dor? Se as rosas fossem impossíveis de tocar? Se as energias de um coração fossem impossíveis de renascer? Se os sonhos fossem impossíveis de mudar? Se todos fossemos iguais? Se o dia nascesse tal igual ao de ontem? Dúvidas…

Não sabemos, só o tempo dirá. Só a necessidade, a temperatura, o nível de consciência quando essa paixão nos é atingido. Só o conjunto de coisas que fazemos e o companheirismo, nos dirá. Só o podemos ver, no cuidado, no embelezamento e na manutenção que nós damos á relação e ao amor.

Temos, por vezes de sentirmos com coração e pensarmos com a cabeça. Fazer parar o tempo, que corre…
Ás vezes, ponho-me a pensar, como seria a minha vida, se não tivesse feito as operações? Como seria? Será que seria como sou hoje, independente, livre de depressão, relativamente ás opções de vida? Outras vezes, penso, sendo eu, peixe de signo, posso sentir medo, posso querer tempo para pensar, mas quando a decisão é tomada, nada me volta atrás. Digamos que, por necessidade, pela felicidade não me sinto arrependida de ter feito o que fiz até agora, tirando algumas pequenas coisas.
Tal como o amor físico, talvez um dia, consiga ultrapassar isso e viver a vida, tranquilamente, sem “ir e voltar”.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

A cultura da Índia

A cultura da Índia é uma das culturas mais antigas que conhecemos. Alguns afirmam ter mais de quatro mil anos. Segundo informações recentes, foram descobertos sítios arqueológicos no vale do rio Sarasvat - um rio que secou dado a permanente elevação dos Himalaias - com cidades de mais de 20.000 anos de existência e completa rede de água e esgoto.

A Índia, inicialmente, era constituída por 3 etnias: negros (Dravidianos), orientais (mongóis) e brancos (arianos). Posteriormente, outros povos lá estiveram em vários períodos de sua longa história. Deve-se a isso a grande tolerância religiosa existente no país, uma vez que o povo está acostumado a conviver com uma enorme diversidade cultural, que inclui diferenças até mesmo nas línguas (que são realmente muitas).

A cultura indiana antiga dividia a sociedade em quatro categorias de ofícios e quatro de idades. Esse sistema tem o nome de Sanatana Dharma. Tal aspecto cultural gerou diversas distorções na sociedade contemporânea e, apesar de oficialmente banido, continua sendo infamemente praticado.

O povo indiano, apesar das diversidades como linguagem, arte, música e cinema, são extremamente ligados à nação e aos ancestrais, o que os torna uma sociedade muito tradicional.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Amendoeira em Flor...

“Por onde andarão as amendoeiras?
Não haverá um sítio apropriado, uma pequena área, onde se possa colocar algumas amendoeiras?
…Imagino-as já, na Primavera, iludindo de neve os olhos saudosos dos europeus do Norte que nos visitam,
os nostálgicos olhos dos algarvios…que todos os anos as buscam e cada vez as vêem menos”
António Baeta Oliveira

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

A prova já está na rua: o Carnaval....

Hoje de manha a caminho do trabalho,
na minha freguesia estava a mirar,
quase habilitava a ouvir um buzinão,
por estar parada sem avançar,
mas, tal como eu, havia muita gente a olhar e sorrir.
Nos passeios acompanhadas pelas suas professoras
estavam filas compridas de crianças mascaradas,
que vieram á rua com um dia bonito de pouco sol,
mostrar as suas lindas e esplendorosas mascaras de Carnaval.
De animais: Leão, Gato, Pantera-cor-de-rosa,
e outros como Pierrot, Branca de neve, Homem-arranha, Sevilhanas,
Divertidos Palhaços, Zorro, Cowboy, Barbie, donzelas.

Digam-me meus amigos e amigas,
como estão mascarados os vossos filhos??
Estão a gostar de Mascarar?


Por estes dias até terça,
irei ver muitos mascarados.
E graudos também vão mascarar??
Eu? Não sei? Talvez sim, talvez não.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Bodas!!

Para os namorados, amantes, casados, todos os anos comemora-se Bodas!
Veja qual o seu ano, e não deixe de festejar com seu amado(a):
1o. Algodão
2o. Papel
3o. Couro
4o. Flores
5o. Madeira
6o. Ferro
7o. Cobre
8o. Bronze
9o. Cerâmica
10o. Estanho
11o. topázio
12o. Ônix
13o. Renda
14o. Quartzo
15o. Cristal
16o. Turmalina
17o. Âmbar
18o. Ágata
19o. Água Marinha
20o. Percelana
21o. Zircão
22o. Louça
23o. Marfim
24o. Turquesa
25o. Prata
26o. Alexandrita
27o. Crisoprásio
28o. Hematita
29o. Lã
30o. Pérola
31o. Nácar
32o. Pinho
33o. Crisoberilo
34o. Oliveira
35o. Coral
36o. Cedro
37o. Aventurina
38o. Carvalho
39o. Mármore
40o. Rubi
41o. Topázio
42o. Linho
43o. Azeviche
44o. Carbonato
45o. Safira
46o. Alabastro
47o. Jaspe
48o. Granito
49o. Heliotrópo
50o. Ouro
51o. Ametista
52o. Argila
53o. Amazonita
54o. Níquel
55o. Esmeralda
56o. Malaquita
57o. Lápis Lazuli
58o. Vidro
59o. Jade
60o. Diamante

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

DOENÇA DE PARKINSON

O que é?
Doença de Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central, lentamente progressiva, idiopática (sem causa conhecida), raramente acontecendo antes dos 50 anos, comprometendo ambos os sexos igualmente, se caracterizando por:
Rigidez muscular
Tremor de repouso
Hipocinesia (diminuição da mobilidade)
Instabilidade postural.

Como se desenvolve?
A anomalia principal consiste numa perda de neurônios de uma área específica do cérebro que produzirá a diminuição de uma substância chamada dopamina, alterando os movimentos chamados extrapiramidais (não voluntários).

O que se sente?
Esta doença é insidiosa, podendo começar às vezes com um tremor, outras vezes com falta de mímica facial, diminuição do piscar, olhar fixo, movimentos lentos (bradicinesia).
A voz poderá ser monótona, escorrendo com facilidade saliva pelos cantos da boca. A pele, principalmente a facial, é lustrosa, "graxenta" e seborréica.
A marcha fica cada vez mais difícil, com passos pequenos, arrastando os pés, com os braços encolhidos, tronco inclinado e, em casos avançados a pessoa aumenta a velocidade da marcha para não cair (festinação). Outras vezes, pode ficar parado (congelado) com enorme dificuldade para se colocar em movimento.
Os tremores, que são involuntários, em uma ou em várias partes do corpo, se caracterizam pelos três "R" - Regular, Rítmico e de Repouso. Também se caracterizam por diminuir com os movimentos voluntários, se manifestando sobretudo nas mãos.
Como existe uma hipocinesia, que se caracteriza por um déficit dos movimentos automáticos, o paciente fica como que parado, estático, com os movimentos voluntários lentos, diminuindo a capacidade inclusive de escrever, ficando a letra pequena (micrografia) e a linguagem monótona e às vezes ininteligível.

Como se faz o diagnóstico?
O diagnóstico na fase inicial, muitas vezes não é fácil, sendo que, como de costume, o mesmo deverá ser realizado por um médico, preferencialmente neurologista, que dirá se a causa é idiopática (causa desconhecida), ou se é devido a outras causas. Os sintomas acima referidos podem ser devidos a medicamentos variados (fenotiazinas, haloperidol, reserpina, lítio, cinarizinas, flunarizina), porém, nesse caso, não costumam ser tão intensos.
Intoxicação por monóxido de carbono ou manganês, infartos cerebrais dos gânglios de base, hidrocefalia, traumatismos cranioencefálicos, encefalites, podem ser a causa desta doença, que tem tratamento e controle, porém não cura.

Como se trata?
O diagnóstico à medida que o tempo passa se torna mais nítido, evidente e fácil (a exemplo e imagem do Papa João Paulo II). Assim não é o tratamento, que costuma inicialmente dar resultados excelentes se os enfoques e cuidados terapêuticos necessários forem tomados.
Cada indivíduo responde diferentemente ao tratamento e o que favorece um paciente pode desfavorecer outro. É necessário corrigir a diminuição progressiva da dopamina com calma.
O tratamento consiste no uso de medicamentos, fisioterapia, psicoterapia e, em alguns casos selecionados, cirurgia. É importante tomar cuidado com certos tipos de medicamentos que desencadeiam ou pioram a síndrome Parkinsoniana.

Tratamento Medicamentoso
Geralmente são usados medicamentos da classe dos anticolinérgicos, como o triexifenedil e biperideno, que são eficientes e bem tolerados. A selegilina tem sido considerada uma das principais drogas do cérebro desde 1990. Também são utilizadas a levodopa, a carbidopa e a benzerazida.
Bromocriptina, lissurida e pergolida são novos medicamentos que quando indicados devem ser dados progressiva e lentamente, até atingir as doses suficientes.
Como a doença é progressiva, novas manifestações de difícil controle aparecerão, como o "liga - desliga" nas atividades do paciente ("on e off") as quais estão atualmente sendo controladas acrescentando-se ao tratamento tolcapom e pramipexole.

Tratamento Psicoterápico
Pacientes com Parkinson podem ter problemas mentais, como depressão, graus diversos de demência, próprios da doença e piorando pelos medicamentos anteriormente indicados (levodopa, anticolinérgicos, selegilina, amantadina). Consegue-se controlar este sério problema principalmente com a Clozapina, que trata os quadros psicóticos, não piorando a sintomatologia parkinsoniana, pelo contrário, podendo melhorar também o tremor. Essa droga precisa de uma supervisão médica severa.
Os antidepressivos fazem parte do arsenal terapêutico com os seus devidos controles.
O psicoterapeuta e a família dando ocupações, carinho e estímulos são elementos importantíssimos na boa evolução do paciente.

Tratamento Cirúrgico
Há décadas vem sendo utilizado o tratamento cirúrgico para o controle da sintomatologia parkinsoniana, ora atuando sobre os tremores, ora sobre a rigidez, com técnicas e resultados variáveis e discutíveis.
Com os novos aperfeiçoamentos tecnológicos, o tratamento cirúrgico em casos sumamente selecionados poderá ser indicado.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Para a minha amiga dos Zirispitis:
Flores para a menina mais giraça deste pais...


E um bolo colorido, só para as gulosas mãe e filha!!
Bjs Larita

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Mãe de 8 gémeos divide americanos...

Tinha tudo para ser uma história feliz, mas está a dividir a América. O parto de oito gémeos, todos vivos, gera ódios à medida que são conhecidos pormenores da vida da mãe dos bebés, já com seis filhos, divorciada e desempregada. Várias ameaças de morte obrigaram Nadya Suleman - a mulher que deu à luz os oito bebés, no final de Janeiro - a esconder-se em "parte incerta", segundo o seu porta-voz. Nadya terá levado consigo os seis filhos, com idades entre dois e sete anos, enquanto os recém-nascidos continuam internados no hospital, onde deverão permanecer nos próximos meses. A mulher e a empresa de comunicação por ela contratada terão sido alvo de uma série de ameaças, através de chamadas telefónicas e mensagens de e-mail, de acordo com o porta-voz, Michael Furtney, citado pela Reuters.

São cada vez mais ferozes as críticas contra Nadya, de 33 anos, que apesar de desempregada e divorciada, decidiu fazer um tratamento para a infertilidade, numa altura em que já não tinha condições de sustentar os seis filhos. Na Internet, em blogues e fóruns, são vários os insultos e há mesmo quem defenda que Nadya deveria ser forçada a uma esterilização. A comunicação social especula sobre quem vai pagar os encargos financeiros resultantes do alargamento da família, que conta agora com 14 crianças. É que Nadya recebe apenas 490 dólares (cerca de €380) mensais em senhas de alimentação e subsídios por deficiência para três dos seus filhos. Além disso, a mãe das crianças contraiu um empréstimo de 50 mil dólares (€39 mil) para prosseguir os estudos. Mas apesar das críticas, Nadya criou um sítio na Internet que visa angariar fundos para ajudar a família (thenadyasulemanfamily.com).

Desejos de família grande
A própria mãe de Nadya, numa entrevista publicada no passado dia 9 no sítio radaronline.com, critica a decisão "inconsciente" da filha de engravidar quando já tinha seis filhos. "Parece-me que ela não faz a menor ideia do que está a fazer a estas crianças e do que me está a fazer. Não sei como é que ela vai resolver isto", afirmou Angela Suleman, que vivia até agora com Nadya e os seis netos num apartamento de quatro assoalhadas. "Sinto-me mesmo muito cansada por tomar conta das seis crianças e é preciso que ela pense numa forma de resolver isto", afirma, acusando a filha de nunca ter cumprido a promessa de ajudar nas despesas. A avó das crianças ressalva, contudo, que Nadya é uma "boa mãe", embora "obcecada por bebés", e atribui essa obsessão ao facto de ser filha única.
Nadya já terá recebido propostas para escrever livros, dar entrevistas pagas, fazer anúncios publicitários e apresentar programas televisivos.

Médico sob inquérito
Os oito gémeos - seis rapazes e duas raparigas - nasceram prematuros, com 30 semanas e meia de gestação, no Kaiser Permanente Bellflower Medical Center, Califórnia, e continuam a lutar pela vida. Pesavam à nascença entre 800 gramas e 1,4 quilos. A equipa médica esperava sete gémeos, mas foi surpreendida quando um dos clínicos disse ainda sentir uma mão, que se revelaria ser do oitavo. Neonatologistas do hospital dizem que há "pequenos sinais positivos a cada dia" de que os bebés estão a desenvolver-se bem.

Entretanto, a Sociedade Norte-americana de Medicina Reprodutiva e a Comissão Médica da Califórnia abriram inquéritos para apurar as responsabilidades do médico que procedeu à transferência dos seis embriões. Nadya disse ter sido submetida a fertilizações in vitro (FIV) para os 14 filhos, sempre na mesma clínica em Beverly Hills, Los Angeles.

Numa entrevista à televisão, afirmou que lhe foram implantados seis embriões para cada uma das seis vezes que esteve grávida. Destas gravidezes resultaram seis crianças (duas das quais são gémeos), e os agora famosos óctuplos. Nos Estados Unidos, tal como em Portugal, três embriões é o número máximo que um médico deve transferir, em regra, pelo que o nascimento de oito gémeos a partir de uma FIV com transferência de seis embriões é considerado um caso muito grave de má prática médica.

Obesessão por bebés
Tentar compreender a mãe
"Antes ter um filho a mais do que um filho a menos", diz o psicólogo clínico Manuel Coutinho, para explicar o que vai na cabeça de uma mulher que, tendo já seis filhos, se submeteu a um tratamento de fertilidade através do qual viria a dar à luz outros oito. Segundo o especialista, há quem "se preencha e realize através dos filhos, nos quais procura uma extensão da sua própria vida", projectando-se assim "no tempo e no espaço". Muitas mulheres têm "um sentido de maternidade tão apurado que a vida só faz sentido com gravidezes múltiplas e uma família numerosa". Para Manuel Coutinho, a falta de um emprego ou de recursos financeiros pode também explicar a procura de uma gratificação através da maternidade. "Quer mostrar que como mãe ela é boa"

Curiosidades
Foram 52 os membros da equipa médica que fez o parto
Inicialmente, os bebés tiveram nomes de letras

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Ja falta pouco, já podemos sonhar....

Fartos de chuva e frio... (com a mão que vos aparece lavem o vidro - mas tens que carregar no rato...)

Clique aqui...

sábado, 14 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Mega-sexta-feira...

A menina das coincidências, como o meu irmão diz):
Para dia 13 de Fevereiro, sexta-feira, foi dia de:Dia de aniversario para duas excelentes meninas, e ambas com o mesmo nome; Despedida de solteira (que não houve, não sabiamos quem era a noiva??!!); Jantar e noite de gaijas (16 gajas); Dia de lobisomem, se repararem está lua cheia... noite de vampiragem... Dia de azar para uns, supestição; Dia de amores, só nas outras mesas; Jantar de encalhadas para alguns (quase metade da mesa, ihihih!).

D-iabinhas;
E-ncalhadas;
Z-ombies (sangria);
A-migalhonas;
S-orridentes, Pasta "pepsodent";
E-ncantadoras;
I-nteligentes;
S-antas;

G-iraças;
A-legres e bem-dispostas para sempre;
T-antricas;
A-tiradoras;
S-exys...

No restaurante chamada Viuva actividades... Ui!
Na praça do Pizzaleiro.... afinal é no Pátio do Pinzaleiro...
Digamos que foi um noite, divertida, bem passada, e só conversas de gaijas...
Vou nomear temas: SEXO, muito sexo (posições, horas, votações, mais novos ou mais velhos), comida, amor, carência.
E quase fizemos uma camisola de lã com as fofokas todas.
Sentimos falta de algumas pessoas, que não puderam estar.
Outras que desencalharam....

Sexta-feira, 13..


A crença de que o dia 13, quando cai em uma sexta-feira, é dia de azar, é a mais popular superstição entre os cristãos. Há muitas explicações para isso. A mais forte delas, segundo o Guia dos Curiosos, seria o fato de Jesus Cristo ter sido crucificado em uma sexta-feira e, na sua última ceia, haver 13 pessoas à mesa: ele e os 12 apóstolos.
Triscaidecafobia é um medo irracional e incomum do número 13.
O medo específico da sexta-feira 13 (fobia) é chamado de Paraskavedekatriaphobia ou parascavedecatriafobia, ou ainda frigatriscaidecafobia.

Se fosse olhar todas as supertições, eu não existia. Eu sou católica e não acredito nisso. Coincidências.
Quem diz que desde que estipularam o numéro 13, o dia de azar, que não poem tudo a 12 ?? Pois, tudo o que conhecemos acaba a 12. 12 meses, 12 signos, 12 horas, etc...
Quem nos disse que Jesus morreu numa sexta-feira?? Não terá sido imposto, esse dia, para ser vespera de fim-de-semana?

Por isso, não acredito nessa supertição de dia 13. Dia 13 é como dia qualquer, como o 7, como 9. Eu nasci no dia 13, tenho amigos e familiares que também nasceram no dia 13. Já tiveram algum azar? Mesmo nas sexta-feira dia 13? Calhou-me dia 13, sexta-feira, quando fiz 7 anos, 13 (dia 13, sexta-feira, 13 anos, bolo com numero 13), 18, 24 e este ano tb, irei fazer no dia 13, sexta-feira. Nunca nada aconteceu nesses dias!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A minha próxima vida

Na minha próxima vida quero vivê-la de trás pra frente.
Começar morta para despachar logo esse assunto.
Depois acordar num lar de idosos e ir-me sentindo melhor a cada dia que passa.
Ser expulsa porque estou demasiado saudável, ir receber a reforma e começar a trabalhar, recebendo logo um relógio de ouro no primeiro dia.
Trabalhar por 40 anos, cada vez mais desenvolto e saudável até ser jovem o suficiente para entrar na faculdade, embebedar-me diariamente e ser bastante promíscuo, e depois estar pronta para o secundário e para o primário, antes de voltar a ser criança e só brincar, sem responsabilidades.
Aí sou uma bébé inocente até nascer.
Por fim, passo 9 meses flutuando num spa de luxo com aquecimento central, serviço de quarto à disposição e espaço maior dia a dia, e depois
- Voilà! - desapareço num orgasmo.

Autoria: Woody Allen

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Escrever um pequeno livro...

Há muito que pretendia dar início á escrita de um pequeno livro.
Nunca o fiz até agora, embora pela vida fora tenha feito diários, colocado pensamentos no papel, etc…
Na força do meu pai, dizer que um dia queria escrever um livro e morreu sem o fazer.
Recentemente ganhei coragem para o fazer definitivamente, abri um blog, não vários blogues e durante um ano, quase dois, fui deixando curiosidades, pensamentos e poemas da minha autoria.
Desde que comecei a escrever algumas páginas que ando entusiasmada e emocionada pelas partes da história e desejosa para saber o final.
São histórias que começam com sonhos verdadeiros e terminam com palavras inventadas, imaginadas por mim.
São as minhas palavras, minhas frases, meus contos. Observar a minha imaginação de anos e anos transformar em palavras, para muita gente ler ou não. E estou desejosa por ver os resultados.
Será possível? Será que vai resultar? Será que vai valer a pena?
Pelo menos estou a melhorar, cada vez mais o meu português.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Se a vida fosse assim...livre!

Luto carregado em Patópolis

Quando nasceu o Rato Mickey tinha apenas 2 anos e o Pato Donald ainda nem estava no ovo. Mas uma infância em berço de ouro marcada pela familiaridade com os bonecos concebidos pel seu tio Walt Disney e desenvolvidos por talentosas equipas de desenhadores traçou-lhe o destino de gestor de uma empresa onde os sonhos e os cifrões coabitam da forma mais promiscua. Roy Edward Disney, falecido no passado dia 10 com 79 anos, foi o ultimo a deixar o apelido familiar estruturalmente ligado á poderamda fabrica de ilusões habitadas pelo famosos animais antropomórficos. A sua relação com a empresa, porem nem sempre foi pacifica. Depois de, na decada de 1950, ter ali trabalhado como assistente de edição e guinista, saltou em 1967 para o conselho de asministração, onde passado dez anos travaria uma batalha contra a corrente que acusou de levar a empresa "para parte nenhuma".

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Somos todos iguais, todos diferentes

É estranho a maneira de olhar de algumas pessoas…
Sinto a necessidade de perguntar o porquê ou o que vêem,
Mas eles não me conhecem nem de perto,
Nem sabem o quanto me magoam quando olham dessa maneira
Queria poder mudar isso nas pessoas…

Durante anos sofri, pelos olhares estranhos das pessoas,
Escondi-me, por anos a fio,
E nunca conseguia olhar nos olhos de alguém,
Por isso cheguei ao fundo do poço,
Mas consegui recuperar graças a amigas e família
E voltei a nascer, voltei a sorrir, voltei a olhar á volta,
Voltei a amar as pequenas coisas da vida.

Carrego o peso de sofrimento de anos,
De ser adormecida e acordar atordoada
Fazer convalescença por dias e dias,
Sentir dores e tristezas
Ao saber de casos piores do que o meu
É que resolvi ver a vida de outra maneira
Levar a vida como se nada passasse comigo
Tendo a força interior e a energia para renascer.

Tenho ainda o peso de ter perdido entes queridos
Perder pessoas que fizeram parte de mim,
Que fizeram a grande diferença na minha vida
Sentir a dor da perda, a tristeza que dura anos
É dor que arde sem se ver
Mas o tempo tenta curar as feridas
E sei que eles fazem sempre parte de mim,
E minha vontade é viver
Com eles sempre dentro do meu coração.

E a dor de não ser amada quando quero amar
E de não ser correspondida quando quero ser desejada
De sonhar alto e não tornar realidade
É um sonho de qualquer ser humano
Sonhos de amores e romances
Sonhos de alegrias e tristezas...

Sim, sou diferente, mas sou um ser humano
Tenho sentimentos como todos,
De dor, de tristeza, de pena, de amor...
Somos todos iguais, todos diferentes.
E vivo a vida e cada momento do dia.


"Uma vela nunca perde a sua luz por a compartilhar com outra".

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Depressão pós-parto

O pós-parto é um período de risco psiquiátrico aumentado no ciclo de vida da mulher. A depressão pós-parto, também conhecida como postpartum blues, pode se manifestar com intensidade variável, tornando-se um fator que dificulta o estabelecimento de um vínculo afetivo seguro entre mãe e filho, podendo interferir nas futuras relações interpessoais estabelecidas pela criança.

Apesar das controvérsias, vários fatores podem ser mencionados como possível causa da depressão pós-parto, entre eles:

Factores biológicos
São os resultantes da grande variação nos níveis de hormônios sexuais (estrogênio e progesterona) circulantes e de uma alteração no metabolismo das catecolaminas causando alteração no humor, podendo contribuir para a instalação do quadro depressivo.

Factores psicológicos
São os originados de sentimentos conflituosos da mulher em relação:
- a si mesma, como mãe
- ao bebê
- ao companheiro
- a si mesma, como filha de sua própria mãe

Outros fatores, relacionados às condições do parto, à situação social e familiar da mulher gerando sobrecarga, também podem desencadear esses distúrbios.

Sintomatologia
A intensidade dos sintomas geralmente define os diferentes quadros depressivos do período pós-parto. A depressão pós-parto (Postpartum blues), é um distúrbio emocional comum, podendo ser considerada uma reação esperada no período pós-parto imediato e que geralmente ocorre na primeira semana depois do nascimento da criança. Entre 50% a 80% de todas as mulheres apresentarão reações emocionais.

Os sintomas incluem crises de choro, fadiga, humor deprimido, irritabilidade, ansiedade, confusão e lapsos curtos de memória. As reações emocionais não psicóticas ocorridas no período de pós-parto se resolvem espontaneamente em até seis meses, sendo que o manejo consiste em deixar a paciente verbalizar seus sentimentos, enfatizando a normalidade da sua alteração.

Psicose Puerperal e Síndrome Depressiva Crônica
São quadros depressivos que também ocorrem no período do pós-parto.

Na Psicose Puerperal, os sintomas aparecem nos três primeiros meses pós-parto e são mais intensos e duradouros, com episódios psicóticos, necessitando acompanhamento psicológico e internação hospitalar.

A Síndrome Depressiva Crônica é um episódio depressivo e não psicótico, com humor disfórico, distúrbio do sono, modificação do apetite, fadiga, culpa excessiva e pensamentos suicidas. O tratamento deve ser psicológico e medicamentoso, pois os sintomas podem persistir por até um ano.

Desde o século passado existem publicações sobre os transtornos do período pós-parto e, apesar do assunto ainda causar controvérsias, é importante o seu diagnóstico precoce, ajudando as mulheres na resolução de seus conflitos para o estabelecimento de vínculos adequados entre a mãe e seu filho.

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Rapazes ao mundo...

Entre familiares e amigas, deste 29 de Janeiro até 7 de Fevereiro de 2009, já nasceram 3 rapazitos...

Dia 2, os avós babados, informaram-nos de mais um priminho, o 8º neto deles, o Jaime.

O Miguelito da T.L. nasceu na sexta 6 de fevereiro, por um triz, não nascia no mesmo dia que a mãe. Será que tem os olhos cristalinas e cor de água como a mãe?

Parabéns ás mães, pais, avos e avos e irmãos.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Olá...


Cardaminha (O.D.)

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Oreo

Separas, lambes, mergulhas no leite e como.
Agora sou eu
Separo, lambo, mergulhas e depois como.
Não, não eu como.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Uma foto real!

Esta história devia aparecer nas manchetes dos jornais...

Uma imagem de John Gebhardt no Iraque.

Esta é uma dura história de guerra , porém toca-nos o coração...
A esposa de John GebHARDT, Mindy, diz que toda a familia desta criança foi executada.Os executantes pretendiam também executá-la e ainda a atingiram na cabeça...mas não conseguiram matá-la.Ela foi tratada no Hospital de John, está a recuperar, mas ainda chora e geme muito.As enfermeiras dizem que John é o único que consegue acalmá-la.Assim, John passou as últimas 4 noites segurando-a ao colo na cadeira, enquanto os 2 dormiam.A menina tem vindo a recuperar gradualmente.

Eles tornaram-se verdadeiras "estrelas" da guerra.John representa o que o mundo ocidental gostaria de fazer. Isto, meus amigos, vale a pena partilhar com o Mundo inteiro.Vamos a isso !

Vocês nunca vêem notícias destas na TV ou nos Media em geral.
Se vos tocou, dêem a conhecer.Todos precisamos de ver que (também) existem estas realidades em que pessoas como John marcam a diferença, mesmo que seja só com uma pequena menina como esta.

Não podemos orientar o vento, mas podemos ajustar a nossa vela... Bem hajam!

Nota: Não sei a fonte nem sei se é real mas imaginamos se isto aconteceu.. Se esta criança existe... se isto é real. A dor, a tristeza, o sofrimento de ver uma criança a sofrer desta maneira.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Teletransporte

cientista conseguiu fazer com um átomo inteiro

A técnica já tinha tido sucesso com o teletransporte de luz, mas um estudo publicado na edição de hoje da revista Science, assinado por físicos da Universidade de Maryland, descreve o teletransporte de um átomo (na verdade um íon, átomo eletricamente carregado) do metal itérbio pelo espaço de um metro: uma distância enorme, em termos quânticos.

Para decepção dos fãs de ficção científica, porém, não é ainda um dispositivo como o da nave da série de TV "Jornada nas Estrelas", que fazia a tripulação desmaterializar-se num lugar e materializar-se noutro, do nada.

O que os cientistas fizeram agora foi transportar características físicas de uma partícula de itérbio para outra, instantaneamente.

A experiência é muito importante, se se considerar que aquilo que define a essência dos átomos que compõem as pessoas também são essas características, que os físicos designam como "estados quânticos".

Fevereiro


Nome de mês mais comprido do ano,
Mês com menos dias do ano.
Não é ano bissexto.
Ficamos com 365 dias

Mês mais romântico, mês “in love”
São Valentim que olhe pelos os namorados
Declarações de amor, juras de amor, prendinhas fofinhas…
E para os menos enamorados ou sem namorados,
Jantar de encalhadas (os).

Temos o Carnaval
A maior festa carnavalesco no Brasil,
Queima de Entrudo com 400 anos em Portugal,
A festa de "adeus á carne",
Terça-feira gorda antes da quaresma para a Pascoa
Festa que antecede a Quarta de cinzas.

Para os adultos, adolescentes, aventureiros e brincalhões
festa dos mascarados.
Máscaras, caras pintadas, partidas,
Guloseimas ou travessuras.
Para as crianças, roupas diversos,
Superhomem, Home-aranha, barbie, joaninha,
espanhola, bruxa, cowboy, bailarina, pierrot…

Enfim, Bom começo do mês de Fevereiro...