Meus outros blogs:

sábado, 30 de julho de 2011

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ashes and Snow

Pessoas convivendo harmoniosamente (e à distância de um toque) com animais selvagens como elefantes, onças, baleias e pássaros em seu habitat natural pode parecer uma cena utópica ou demasiadamente bucólica, talvez mais adequada a um ancestral primitivo. No entanto, em locais distantes da civilização moderna, na Índia, Egito, Burma, Tonga, Sri Lanka, Namibia, Quênia, Antártica, Açores e Bornéo, esta sugestão se torna uma surpeendente realidade.

Longe do modo de vida e dos espaços artificiais do mundo "civilizado", emerge uma vivência altamente sensibilizadora, registrada com a paciência de um monge pelas lentes grande angulares do artista canadense Gregory Colbert.
Ashes and Snow é também um museu itinerante e auto-sustentável (todo construído com bambus), que já atraiu mais de 10 milhões de visitantes no mundo todo, desde sua estréia em Veneza em 2002 (recorde de público para uma exposição de artista vivo). Com mais de 60 fotografias de aproximadamente 3,5m x 2,5m cada (em tons de sépia e sobre papel artesanal), um filme de 60 minutos, dois curtas de 9 minutos no estilo haiku e um livro, o Museu Nômade - um espaço onde podemos nos reconectar com quem realmente somos - aterrisa no Brasil este ano.

Nenhuma das imagens foi digitalmente sobreposta ou colada, registrando apenas o que o artista viu através das câmeras. O título faz referência ao componente literário da exposição (e do filme), que é a história fictícia de um homem que, ao longo da jornada de um ano, escreve 365 cartas para sua esposa, revelando o significado do título na última.

"O poder das imagens não vem tanto de sua beleza formal, mas da maneira como elas envolvem o espectador em seu estado de espírito... Elas são simplesmente janelas para um mundo onde o silêncio e a paciência governam o tempo". - The New York Times

quinta-feira, 28 de julho de 2011

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Nossa Senhora dos Remédios


Não é conhecida a data da sua construção, mas já existia em 1755.

A capela tem uma adro elevado em relação à via pública. No seu interior há painéis de azulejos do século XVIII.

A custódia e cálice de prata que pertenciam a esta igreja, encontram-se hoje no Museu Nacional de Arte Antiga.

Esta devoção foi introduzida em Portugal por religiosos franceses da Ordem Hospitalar da Santíssima Trindade, que estiveram em Lisboa no início do século XIII. A finalidade desta Ordem era a Redenção dos cativos no oriente e a sua padroeira era Nossa Senhora dos Remédios. Esta confraria espalhou-se pela Europa, especialmente na Península Ibérica. Até ao século XVIII já havia libertado 900.000 prisioneiros.
Conta-se que São João da Mata e São Félix de Valois fundaram aquela Ordem para a libertação dos cativos, em grande número na altura, e, não tendo dinheiro para o fim em vista, lhes apareceu Nossa Senhora, entregando-lhes uma bolsa cheia. Desta maneira deu "remédio" a uma grave situação. A partir daí começaram a dar à Virgem Santíssima, o nome de Nossa Senhora dos Remédios.
Talvez por isso as suas imagens aparecem com a mão direita estendida, como quem oferece uma coisa, enquanto a esquerda segura o Menino, fonte de poder contra todos os males.
(…) A devoção a Nossa Senhora dos Remédios, além de muito antiga é muito querida do povo português, ainda nos nossos dias. A atestá-lo estão não apenas as freguesias que a tomaram como orago, mas os santuários e as muitas capelas construídas em sua honra, o número de imagens espalhadas pelo País e as festas que em sua honra se celebram.
No patriarcado de Lisboa a freguesia de Carcavelos é disso exemplo.
(Pe. José do Vale Carvalheira, Nossa Senhora na história e devoção do povo português, Ed. Salesianas)

terça-feira, 26 de julho de 2011

Dia dos Avós

O papel dos avós na família vai muito além dos mimos dados aos netos, e muitas vezes eles são o suporte afetivo e financeiro de pais e filhos. Por isso, se diz que os avós são pais duas vezes.

As avós são também chamadas de "segunda mãe", e os avôs, de "segundo pai", e muitas vezes estão ao lado e mesmo à frente da educação de seus netos, com sua sabedoria, experiência e com certeza um sentimento maravilhoso de estar vivenciando os frutos de seu fruto, ou seja, a continuidade das gerações.

Celebrar o Dia dos Avós significa celebrar a experiência de vida, reconhecer o valor da sabedoria adquirida, não apenas nos livros, nem nas escolas, mas no convívio com as pessoas e com a própria natureza.

Os Padroeiros dos Avós
Comemora-se o Dia dos Avós em 26 de julho, e esse dia foi escolhido para a comemoração porque é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo.

Século I a.C. - Conta a história que Ana e seu marido, Joaquim, viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. Apesar da idade avançada do casal, um anjo do Senhor apareceu e comunicou que Ana estava grávida, e eles tiveram a graça de ter uma menina abençoada a quem batizaram de Maria. Santa Ana morreu quando a menina tinha apenas 3 anos. Devido a sua história, Santa Ana é considerada a padroeira das mulheres grávidas e dos que desejam ter filhos. Maria cresceu conhecendo e amando a Deus e foi por Ele a escolhida para ser Mãe de Seu Filho. São Joaquim e Santa Ana são os padroeiros dos avós.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Saldos...


Os saldos vieram mais cedo. E em força. Vão ser charters...

domingo, 24 de julho de 2011

Igreja de Altura


A igreja do Imaculado Coração de Maria, em Altura, comunidade da paróquia de Castro Marim, será dedicada e benzida, dia 11 de Junho de 2005, pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, no decorrer de uma Celebração Eucarística que acontecerá pelas 15 horas.



Para a comunidade cristã local, o dia da inauguração da tão esperada igreja reveste-se de uma importância ímpar, pois passarão a poder contar com uma infraestrutura pastoral que em parte também foi construída graças à sua generosidade e colaboração.
Depois de assinado, em 25 de Março de 2000, o protocolo entre a diocese do Algarve e Câmara Municipal de Castro Marim que estabelecia o financiamento de verbas para construção da nova igreja, só em Outubro de 2002 é que a obra foi finalmente iniciada.
A construção da infraestrutura contemplou quatro fases distintas mas segundo o actual pároco, o padre Marclino de Freitas, «o financiamento garantido pela autarquia não chegou para terminar a primeira fase». De acordo com o sacerdote, «as obras de construção dos alicerces e estrutura da nova igreja importaram em 675 mil euros e a totalidade da verba atribuída pela edilidade não ultrapassou os 500 mil euros».
No entanto, garante ainda o padre Marcelino de Freitas, a segunda e terceira fases, que contemplaram respectivamente a edificação do salão paroquial e das salas de catequese e da residência paroquial e das duas casas mortuárias, «contaram com o apoio da população». «Todos os construtores civis de Altura, Vila Real de Santo António, Castro Marim e Monte Gordo ofereceram materiais de construção para a obra e também alguns operadores turísticos da zona contribuiram», afirma.
Foi ainda promovida, pelos membros da comunidade, uma campanha para aquisição dos bancos da igreja, sendo que «as pessoas associaram-se em grupos para que cada um conseguisse angariar 500 euros», valor de cada assento.
A última fase da obra foi a edificação da nave da igreja, construção que custou cerca de 170 mil euros.
Apesar de ainda não conseguir contabilizar o valor total da construção, o padre Marcelino de Freitas assegura que 70 por cento do seu custo está já liquidado.
Para o pároco, «a nova igreja vai sobretudo ajudar as comunidades vizinhas de Monte Gordo e Manta Rota, uma vez que as pessoas dessas localidades deixarão de ter o incómodo de fazer grandes deslocações para poder participar na Eucaristia».

sábado, 23 de julho de 2011

Porque me olhas assim...

Porque que me olhas assim
Porque que me deixas com ciúmes e ao mesmo tempo serena.
Porque que apenas com um toque
Me deixas eriçada e ao mesmo tempo calorosa.

Porque que quando não estou perto de ti, procuro por ti sem cessar
Penso em ti, sem querer, durmo e acordo a pensar em ti
Por mais que queira esquecer de ti, não consigo
Estás preso nas teias no meu coração…

Sinto a frustração de não te ter, sinto a decepção de ter quase nada
Sinto a tristeza de te perder antes de te ter
Porque que me deixas desassossegada
Porque que os sentimentos são tão contraditórios, porque que o tempo não passa…

Quando estou perto de ti,
Quando me olhas nos olhos e desvias o olhar,
Finges que não estou nem ai
Sinto-me magoada, sinto uma pontada no peito

Quando estou perto de ti,
Quando me olhas nos olhos, na fraca luz do teu brilho
Sinto a tristeza que vai no teu coração
Tenho a vontade enorme de te enrolar nos meus braços

Quando estou perto de ti,
Quando me olhas nos olhos, demoradamente em câmara lenta
Vejo um brilho forte e vibrante
Capaz de por o meu coração aos pulos e quando vem com um sorriso…

quinta-feira, 21 de julho de 2011

segunda-feira, 18 de julho de 2011

domingo, 17 de julho de 2011

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Esperar dói. Esquecer dói...

"Nem sempre os nossos sentimentos estão explícitos no nosso coração,
onde facilmente se expõem em palavras o que está a acontecer dentro de nós.
Se a dor tiver que vir, que venha rápido,
porque tenho uma vida pela frente e preciso de a viver da melhor maneira possivel.
Se ele tem que fazer alguma escolha, que a faça logo.
Então, eu espero-o. Ou esqueço-o.
Esperar dói. Esquecer dói.
Mas não saber que decisão tomar é o pior dos sofrimentos."

terça-feira, 12 de julho de 2011

Catedral de São Basílio

A Catedral de São Basílio (em russo: Собор Василия Блаженногo/Sobor Basiliya Blazhennogo), é uma catedral ortodoxa russa erguida na Praça Vermelha em Moscou, Rússia, entre 1555 e 1561. Construída sob a ordem de Ivã IV da Rússia, para comemorar a captura de Kazan e Astrakhan, marca o centro geométrico da cidade e o centro do seu crescimento, desde o século XIV. Foi o edifício mais alto de Moscou até a conclusão do Campanário de Ivã, o Grande, em 1600.

O edifício original, conhecido como "Igreja da Trindade" e depois de "Catedral da Trindade", continha oito igrejas laterais dispostas ao redor do edifício central; a décima igreja foi erguida em 1588 sobre o túmulo do santo venerado local Vasily (Basílio). Nos séculos XVI e XVII a catedral, considerada o símbolo terreno da "Cidade Celestial", era popularmente conhecida como "Jerusalém" e serviu como uma alegoria ao Templo de Jerusalém no desfile de Domingo de Ramos com a presença do Patriarca de Moscou e do czar.

O projeto do edifício, em forma de chama de uma fogueira subindo ao céu, não tem análogos no domínio da arquitetura russa: "É como nenhum outro edifício russo. Nada semelhante pode ser encontrado no milênio inteiro da tradição bizantina, do século V ao XV ... um estranhamento que surpreende pela sua imprevisibilidade, complexidade e beleza." A catedral antecipou o clímax da arquitetura nacional da Rússia no século XVII.

A catedral tem operado como uma divisão do Museu Histórico do Estado desde 1928.Foi completamente secularizada em 1929 e, em 2010, continuou a ser uma propriedade federal da Federação Russa. A catedral é parte do Kremlin e da Praça Vermelha, Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1990.

domingo, 10 de julho de 2011

Felicidade

Desejamos sempre alguma coisa mais da vida. Temos necessidade de ser felizes. Poderemos encontrar satisfação nas “coisas”, mas logo ela tem de voltar a ser satisfeita com outra “coisa”. Então a felicidade não está nas coisas… está na busca serena que toca as profundezas do coração.
Grão de mostarda

Pecados Capitais

Os conceitos incorporados no que se conhece hoje como os sete pecados capitais se trata de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios que é muito antiga e que precede ao surgimento do cristianismo mas que foi usada mais tarde pelo catolicismo com o intuito de controlar, educar, e proteger os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano. O que foi visto como problema de saúde pelos antigos gregos, por exemplo, a depressão (melancolia, ou tristetia), foi transformado em pecado pelos grandes pensadores da Igreja Católica.

Castidade (latim: castitas) — opõe luxúria.
Auto-satisfação, simplicidade. Abraçar a moral de si próprio e alcançar pureza de pensamento através de educação e melhorias.
A luxúria (do latim luxuriae) é o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material. Também pode ser entendido em seu sentido original: “deixar-se dominar pelas paixões”.

Generosidade (latim: liberalitas) — opõe avareza.
Despreendimento, largueza. Dar sem esperar receber, uma notabilidade de pensamentos ou ações.
Avareza é o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades.

Temperança (latim: temperantia) — opõe gula.
Auto-controle, moderação, temperança. Constante demonstração de uma prática de abstenção.
Gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida, bebida ou intoxicantes.

Diligência (latim: diligentia) — opõe preguiça.
Presteza, ética, decisão, concisão e objetividade. Ações e trabalhos integrados com a própria fé.
A preguiça é caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza, de causa orgânica ou psíquica, que a leva à inatividade acentuada. Aversão ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem.

Paciência (latim: patientia) — opõe ira.
Serenidade, paz. Resistência a influências externas e moderação da própria vontade.
É o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. É um sentimento mental que conflita o agente causador da ira e o irado.
A ira torna a pessoa furiosa e descontrolada com o desejo de destruir aquilo que provocou sua ira, que é algo que provoca a pessoa.

Caridade (latim: humanitas) — opõe inveja.
Auto-satisfação. Compaixão, amizade e simpatia sem causar prejuízos
.A inveja é considerado pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bençãos e prioriza o status de outra pessoa no lugar do próprio crescimento espiritual.
É o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue. O invejoso ignora tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo.

Humildade (latim: humilitas) — opõe soberba.
Modéstia. Comportamento de total respeito ao próximo.
A vaidade (chamada também de orgulho ou soberba) é o desejo de atrair a admiração das outras pessoas. Uma pessoa vaidosa cria uma imagem pessoal para transmitir aos outros, com o objetivo de ser admirada. Mostra com extravagância seus pontos positivos e esconde seus pontos negativos.

sábado, 9 de julho de 2011

“Nada me faltará”

“Nada me faltará”
Aura Miguel
RR on-line 08-07-2011 08:40
Encontrei a Zezinha Nogueira Pinto pouco depois de ela saber que estava gravemente doente. Ao dizer-lhe que podia contar com as minhas orações, ela agradeceu e sorriu com um ar tão jovial, que até parecia que estávamos a falar de uma coisa boa…
Impressionou-me, sobretudo, a certeza serena que ela tinha. E foi, talvez perante o meu silêncio, que então me explicou que não rezava a Deus pela sua cura, mas para que a ajudasse a dizer sempre que sim.
“Porque – disse ela – ou tudo isto em que acreditamos é verdade ou então não faz sentido o que andamos a dizer”.
Quando nos despedimos, ainda acrescentou: “Sabe o que também me ajuda a abraçar esta cruz? O modo como o nosso João Paulo II viveu o sofrimento!”.
Assim foi. Tal como o grande Papa polaco, a Zezinha não se escondeu por estar doente, nem disfarçou a sua fragilidade, ensinando-nos, deste modo, a abraçar todas as circunstâncias que Deus nos dá, “confiando no melhor”.
Mas que tipo de confiança é esta? A resposta partilhou-a ela com todos, no último artigo que própria escreveu, publicado ontem postumamente: “Seja qual for o desfecho, como o Senhor é meu pastor, nada me faltará”.

Sardinhada na Casa de Goa

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Pico entre as 5 melhores ilhas secretas do mundo

Pico entre as 5 melhores ilhas secretas do mundo

ilha do Pico, nos Açores, está entre as cinco melhores ilhas secretas do mundo, classificação atribuída esta sexta-feira, pela BBC. O património classificado pela UNESCO e a paisagem da cultura da vinha da ilha do Pico (cultivada em chão de lava) são algumas das características que, segundo a BBC, tornam a ilha especial.
Christine Ciarmelloo, jornalista da BBC, sublinha que a ilha "permanece virtualmente desconhecida" e enaltece a beleza da ilha, que fez parte de uma das expedições de Colombo, destacando a paisagem predominante assente em chão de lava.
A Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, uma área com 987 hectares, foi classificada património da UNESCO em 2004. A zona inclui uma paisagem de muros lineares paralelos e perpendiculares à linha de costa rochosa, onde as vinhas são cultivadas em chão de lava negra.
A BBC destaca ainda um dos locais da ilha que permaneceu inalterado com a passagem dos tempos, a Baía do Pocinho, uma zona balnear, no lugar do Monte, do concelho da Madalena do Pico.
As melhores ilhas secretas do mundo classificadas pela BBC são sempre cinco, sendo o critério de classificação a manutenção do estado natural destes territórios. Além do Pico, este ano a BBC enumera ainda as seguintes ilhas: Scrub (nas ilhas virgens britânicas), Con Dao (Vietnam), Sandön (Suécia) e Gili Trawangan (Indonésia).

in 
Boas Notícias http://www.boasnoticias.pt/noticias_Pico-entre-as-5-melhores-ilhas-secretas-do-mundo_6896.html

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Porque Cantam os Pássaros?

Um professor, muito elogiado pelos conhecimentos e discursos acerca da natureza do universo, foi questionado por um aluno acerca da diferença que esperava fazer no mundo através dos seus ensinamentos.
Depois de pensar por um instante, o professor respondeu que não esperava fazer diferença nenhuma.
“Aqueles que conseguem verdadeiramente ouvir o que tenho a dizer não precisam de facto que eu o diga; e os que não conseguem, podiam escutar-me até eu estar rouco e afónico, e mesmo assim não mudavam o que quer que fosse. ”
O aluno ficou baralhado.
“Mas se não consegue fazer nenhuma diferença com as suas ideias, porque é que as ensina?”
O professor sorriu.
“Porque cantam os pássaros?”

- Autor Desconhecido -

Pense diferente, encontre novas soluções
Enviada por SM

domingo, 3 de julho de 2011

Nossa Senhora do Carmo (escapulário)

Nossa Senhora do Carmo é um título consagrado a Nossa Senhora, também conhecida por Nossa Senhora do Monte Carmelo. Este título apareceu por propósito de relembrar o convento construído em honra à Virgem Maria, nos primeiros séculos do Cristianismo, no Monte Carmelo, na Samaria.

Sua principal característica é carregar consigo o escapulário, que representa estar a serviço do Reino de Deus e traz muitas indulgências, graças e outros benefícios espirituais a quem assume este sinal e esta proposta como seus. A festa a Ela é comemorada em 16 de Julho.

Todo cristão deve ter especial devoção por Maria, pela função que esta mulher representa na história da salvação, sendo a mãe de Jesus. “Mas quando veio à plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que nasceu de uma mulher e nasceu submetido à lei, a fim de remir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção” (Gl, 4, 4-5)

Não sendo diferente no Carmelo, desde o principio os carmelitas reconheceram Nossa Senhora não só como a mãe de Jesus, mas como a usa própria mãe, a ponto de na tradição carmelitana se fazer uma analogia entre a nuvenzinha vista pelo Profeta Elias no Carmelo (1Rs, 18) com a Virgem, pois assim como a nuvenzinha traria a chuva a Israel que vivia numa grande seca, ou seja a benção, Nossa Senhora foi aquela que derramou a chuva de graças, e não só sobre Israel mais sobre todo a mundo nos concedendo o Salvador.

Porém, a devoção a Mãe de Deus no monte Carmelo se inicia com os primeiros carmelitas, que no centro entre suas celas (habitação dos frades) construíram uma capela dedicada a Nossa Senhora, que passa a ser chamada de Senhora do Lugar, e posteriormente Senhora do Carmo. Carmelo significa jardim, o jardim do Carmelo foi ornado com a mais bela Flor, Maria, e por relação tão íntima dos carmelitas para com a Virgem, esses ficam conhecidos como os Irmãos da Bem-Aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo.

Os frades em 1238 foram expulsos do Monte Carmelo e assim chegaram a Europa, cultivando a mesma pura e profunda devoção pela Mãe do Senhor; é na Inglaterra que se dá outro importante fato da tradição mariana no Carmelo, aconteceu em 1251 quando São Simão Stock, por ver as grandes dificuldades que a Ordem enfrentava na, Europa, reza a Santíssima Virgem, e esta lhe aparece e toca o escapulário de seu habito, prometendo proteção a todos que dele se revestissem. São Simão reza então um das mais belas orações marinas da Igreja, que depois se tornaria o hino a Virgem do Carmo, a oração diz: “Flor do Carmelo, Videira florida, Esplendor do Céu, Virgem Mãe singular. Mãe afável, mas sempre Virgem, aos carmelitas, sê tu propícia. Estrela do mar.

Desde este dia os frades começaram a usar o escapulário como insígnia de devoção a Maria. Muitas outras pessoas passaram também a usá-lo, tornando o escapulário a segunda maior devoção mariana da Igreja. São incontáveis as pessoas que se encontram sobre especial proteção da Irmã do Carmelo, por usarem esta veste, que é uma marca colocada no coração de cada um, para que sirva de memorial a Virgem Santíssima, e sempre recorramos a ela em nossos corações, sendo um convite para se viver na divina presença e como Maria guardar todas as coisas em nosso coração.

Você também é convidado a fazer parte desta família, participe da novena de Nossa Senhora do Carmo, e de sua solene festa no dia 16 de Julho, peça a imposição do Santo Escapulário e manifeste sua devoção a Mãe de Jesus.

Também nesse domingo que é o dia do Senhor, recorramos à benção de Maria, para que com seu exemplo e auxilio possamos mais perfeitamente seguir seu filho Jesus.
Orações a N. Sra. do Carmo

Nota: Meu Pai nasceu no dia a seguir ao dia Padroeira de Corturim, Nossa Senhora do Carmo (16 Julho).