Meus outros blogs:

domingo, 20 de agosto de 2017

Vc vê, vc tem

Um aluno me escreveu recentemente: "Quero parar de criticar as pessoas, mas não consigo. É como respirar, é parte do que sou e do que faço. É mais fácil para mim prender a respiração. O que posso fazer?"

Qualquer comportamento incômodo que você veja em outra pessoa existe dentro de você. Esta pessoa é um espelho que lhe mostra o que você precisa corrigir na sua vida. Em algum lugar da sua consciência, seja na superfície, num nível intermediário ou num nível bem profundo, você tem exatamente a mesma característica que está criticando.

Bom, já ouvimos isto antes. As pessoas são espelhos, nós já entendemos. Mas é preciso ir um passo além. Você precisa não só assumir a responsabilidade de que o que vê existe dentro de você, mas precisa saber com certeza que a pessoa não mudará enquanto você não mudar. 

Isto é difícil de entender. Você é responsável por todas as pessoas que vê na sua vida? Sim! E uma vez que tenha aceitado esta responsabilidade, redirecionando o julgamento para o seu próprio comportamento e fazendo a transformação interna, verá a mudança refletida neles. 

Há mais uma coisa. Eu posso lhe dizer que as pessoas que fazem parte de sua vida também são responsáveis pelo que acontece dentro de você. Mas você não pode dizer isto. E eu não posso dizer isto a respeito de mim mesmo.  Você compreende?  Caso o fizéssemos, usaríamos isto como desculpa para não ter que assumir 100% de responsabilidade.

Espiritualidade é tecnologia; é a forma como o universo é programado. Deus, "em sua infinita sabedoria", [que nada mais é que um gigantesco cálculo de computador] organiza tudo, karmicamente falando, para que as pessoas que precisamos confrontar estejam na nossa vida. 

Esta semana, pense duas vezes a respeito da pessoa incomoda a sua frente. Pode ser que você não consiga parar de criticar da noite para o dia, mas pelo menos pode começar a estar consciente do mecanismo de julgamento. Use estas palavras como uma arma na guerra contra seu próprio ego. Olhe para dentro. Assuma responsabilidade. Faça algumas mudanças nesses próximos dias. 

Quando o fizer, você se sentirá muito bem não somente por ter mudado, mas principalmente por se aliviar do fardo pesado do julgamento e do ódio. E é isto que eu chamo de liberdade.

Sem comentários: