Meus outros blogs:

domingo, 20 de maio de 2007

A vida numa caixa


Uma criança filipina pega em todos os seus pertences, incluindo o seu cachorro, e afasta-se da construção à qual costumava chamar casa, na localidade de Tambo, a sul de Manila. Centenas de famílias que vivem nas zonas costeiras perto da Baía de Manila foram forçadas a abandonar as suas casas, a fim de dar espaço a novos empreendimentos imobiliários. Foto: Joseph Agcaoili/Reuters

Provérbios - Letra E

É mais fácil prometer que dar.
É tarde para economia, quando a bolsa está vazia.
Em Abril águas mil.
Em Abril queima a velha o carro e o carril.
Em Abril, cada pulga dá mil.
Em Abril, lavra as altas, mesmo com água pelo machil.
Em Abril, vai onde deves ir, mas volta ao teu cuvil.
Em Agosto, antes vinagre do que mosto.
Em Agosto, nem vinho nem mosto.
Em Agosto, Sardinhas e mosto.
Em ano chuvoso, até o diligente é preguiçoso.
Em ano geado, não há pão dobrado.
Em casa de ferreiro, espeto de pau.
Em casa de Gonçalo, pode mais a galinha que o galo.
Em casa em que não há pão todos ralham e ninguém tem razão.
Em Dezembro, treme de frio cada membro.
Em dia de festa a barriga atesta.
Em dia de S. Matias (22/2), começam as enxertias.
Em Fevereiro, chega-te ao lameiro.
Em Fevereiro, chuva; em Agosto, uva.
Em Janeiro saltinho de carneiro.
Em Janeiro sobe ao outeiro; se vires verdejar, põe-te a chorar, se vires nevar, põe-te a cantar.
Em Janeiro uma hora por inteiro e, quem bem olhar, hora e meia há-de achar.
Em Janeiro, cada Ovelha com seu Cordeiro.
Em Janeiro, nem Galgo lebreiro, nem Açor perdigueiro.
Em Janeiro, seca a Ovelha no fumeiro.
Em Janeiro, sete capelos e um sombreiro.
Em Janeiro, um Porco ao sol e outro ao fumeiro.
Em Maio queima-se a cereja ao borralho.
Em Maio, já a velha aquece o palácio.
Em Maio, nem à porta de casa saio.
Em Março, esperam-se as rocas e sacham-se as hortas.
Em Março, tanto durmo como faço.
Em Novembro, prova o vinho e planta o cebolinho.
Em Outubro sê prudente: guarda pão, guarda semente.
Em Outubro, o fogo ao rubro.
Em Outubro, paga tudo.
Em princípio de Maio, corre o Lobo e o Veado.
Em Roma, faz como os Romanos.
Em Setembro, ardem os montes, secam-se as fontes.
Em tempo de Figos, não há amigos.
Em tempo de guerra todo o buraco é trincheira.
Em tempo de guerra, não se limpam as armas.
Em terra de cegos, quem tem um olho é Rei.
Enquanto se capa, não se assobia.
Enquanto se cava na vinha, não se cava no bacelo.
Entradas de Leão, saídas de Sendeiro.
Entre marido e mulher não metas a colher.
Entrudo borralheiro, Páscoa soalheira.
Escândalo aparta amor.
Escuta cem vezes, e fala uma só.
Escuta o conselho dos outros e segue o teu.
Espera de teus filhos o que a teus pais fizeres.
Este mundo é uma bola; quem anda nela é que se amola.