Meus outros blogs:

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Preciso de férias...

Sinto uma pressão dentro de mim
Pronta a explodir a qualquer momento...
A pressão das férias á porta
E deixar tudo pronta e seguro para mexerem sem problemas.
A pressão de ter alguém sobre os meus ombros,
O querer algo que não consigo controlar.
Aonde estás tu, coração radical...

Não sei o que se passa comigo...
Será carência? Será a aproximação das férias?
Será a necessidade do querer ou não querer...
A onda do provocar e deixar-me ser provocada.
Aonde já nem sei dizer o não e o sim no momento certo…
Aonde estás tu, desejo louco...

Há momentos, que a pressão é tão grande
Que tenho vontade de chorar...
Mas as lágrimas não saem.
Sinto um peso brutal em cima de mim,
Em cima do meu corpo.
Aonde estás tu, meu anjo protector?

Sinto a tua falta, desses teus gestos
Sinto á porta de fazer loucuras
Que um dia vou arrepender...
Das tentações e atentados.
Há coisas que acontecem sem eu querer
E sem solução á vista e fico de rastos.
Aonde estás, férias necessitadas…

terça-feira, 29 de junho de 2010

PORTUGAL X ESPANHA (Mundial 2010)

Portugal e Espanha fazem a última partida das oitavas de final da Copa na terça-feira, às 15h30 (Brasília), na Cidade do Cabo.

A seleção portuguesa pode bater o recorde de jogos sem perder, caso some o 20.º encontro sem derrotas frente à Espanha, nos oitavos de final do Mundial2010 de futebol, na Cidade do Cabo.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Oregãos (oregano)

Os gregos deram-nos as lendas e o nome desta antigra «erva» culinária: oros granos, alegria-da-montanha. Os que já visitaram a Grécia, onde os orégrão (manjerona-brava) cobrem as colinas e perfumam o Verão, estão certamente de acordo com este nome. Planta herbácea, de caule erecto, folhas ovaladas e pontiagrudas e flores que vão do rosa ao branco. Suas folhas são usadas como condimento, principalmente na cozinha italiana. Aroma típico da cozinha italiana, principalmente da pizza, o orégãos é uma planta deliciosamente perfumada e de um empregro fácil. Cresce espontaneamente em toda a Europa, mas é no sul da Itália que o orégãos tem o melhor perfume.

Originário da Ásia, esta planta era conhecida dos egrípcios e dos gregos do período clássico, que utilizavam-na na preparação de tônicos, aperitivos e fortificantes. Existe uma grande variedade de espécies de orégãos. Suas flores vão do rosa pálido ao vermelho e são muito apreciadas pelas abelhas. O orégãos pode ser utilizado fresco ou desidratado. Este tempero faz parte da mistura chamada “herbes de provence). É inseparável da pizza, vai muito bem em saladas de tomate, recheios, caçarolas de legumes, peixes, porco e cordeiro.

É utilizado como tempero em queijos gregos (como o feta). Pode-se também colocar dentro de uma garrafa de vinagre um ramo de orégãos fresco para obter um vinagre perfumado. A rama do Orégão é referida como usada em chá para a tosse e constipações. Esporadicamente são também referidos alguns xaropes para estas enfermidades. O oregão contém ainda um ingrediente activo que parece ajudar a curar inflamações.

domingo, 27 de junho de 2010

Vários quadros, um rosto

Muito interessante...

sábado, 26 de junho de 2010

É o Tempo das Cerejas

Sábado, 26 de Junho
“É o Tempo das Cerejas” no Mercado de Campo de Ourique

Sábado, 26 de Junho, o mercado municipal de Campo de Ourique dedica o dia à cereja do Fundão. Entre as 9 e as 17 horas vai ser possível comprar cerejas directamente a produtores desta região, compotas, licores, bolos e sobremesas feitos a partir deste fruto, participar em degustações e demonstrações culinárias. Haverá ainda o colóquio “As conversas são como as cerejas”, entre as 17 e as 19 horas, e uma exposição de objectos que falam de cerejas.

Este evento é organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e pela associação “As idades dos sabores”. A entrada é livre.

Venha festejar a cereja nos mercados de Lisboa!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Saint-Exupéry

Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry (29 de junho de 1900, Lyon - 31 de julho de 1944, Mar Mediterrâneo) foi um escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial, terceiro filho do conde Jean Saint-Exupéry e da condessa Marie Foscolombe.

Marco histórico na casa que foi de Saint-Exupéry (Quebec, Canadá)Apaixonado desde a infância pela mecânica, estudou a princípio no colégio jesuíta de Notre-Dame de Saint-Croix, em Mans, de 1909 a 1914. Neste ano da Primeira Guerra Mundial, juntamente com seu irmão François, transfere-se para o colégio dos Maristas, em Friburgo, na Suíça, onde permanece até 1917. Quatro anos mais tarde, em abril de 1921, Antoine inicia o serviço militar no 2º Regimento de Aviação de Estrasburgo, depois de reprovado nos exames para admissão da Escola Naval.

A 17 de junho, obtém em Rabat, para onde fora mandado, o brevê de piloto civil. No ano seguinte, 1922, já é piloto militar brevetado, com o posto de subtenente da reserva. Em 1926, recomendado por amigo, o Abade Sudour, é admitido na Sociedade Latécoère de Aviação, onde começa então sua carreira como piloto de linha, voando entre Toulouse, Casablanca e Dacar, na mesma equipe dos pioneiros Vacher, Mermoz, Guillaumet e outros. Foi por essa época, quando chefiou o posto de Cap Juby, que os mouros lhe deram o cognome de senhor das areias[carece de fontes?].

Faleceu durante uma missão de reconhecimento sobre Grenoble e Annecy. Recentemente, o alemão Horst Rippert assumiu ser o autor dos tiros responsáveis pela queda do avião e disse ter lamentado a morte de Saint-Exupéry[1]. Em 3 de novembro, em homenagem póstuma, recebeu as maiores honras do exército. Em 2004, os destroços do avião que pilotava foram achados a poucos quilômetros da costa de Marselha. Seu corpo jamais foi encontrado.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

SONAL MANSINGH IN LISBOA

"A dancer is not just a dancer. She is a part of this environment. She does not exist in a vacuum. Society and its happenings have an impact on all individuals, specially artistes. If an art form does not reflect the existing milieu, it stagnates." - Dr Sonal Mansingh

segunda-feira, 21 de junho de 2010

PORTUGAL... Soberbo... 7 golos.

Portugal realizou, esta segunda-feira, frente à Coreia do Norte, uma exibição soberba, coroada com uma goleada que deixa a equipa á beira da qualificação para os oitavos de final do Mundial 2010. Ambição, vontade, coragem, velocidade e espírito coletivo foram os ingredientes de uma vitória histórica, a maior de sempre em Campeonatos do Mundo e a maior, para já, neste Mundial 2010.

O Verão está aí…

domingo, 20 de junho de 2010

Nossa Senhora de Perpetua Socorro

Domingo, 20 de Junho 2009, missa ás 11.30 e Festa com a comunidade Goesa, na Igreja Paroquial de Linda-a-Velha.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Significado das Cores

É um facto que as cores têm uma grande influência psicológica sobre o ser humano. Existem cores que se apresentam como estimulantes, alegres, optimistas, outras serenas e tranquilas, entre outras.

Assim, quando o Homem tomou consciência desta realidade, aprendeu a usar as cores como estímulos para encontrar determinadas respostas e, a cor que durante muito tempo só teve finalidades estéticas, passou a ter também finalidades e funcionalidades práticas.

É possível pois, compreender a simbologia das cores e através delas dar e receber informações. Vejamos alguns exemplos de Psicodinâmica das Cores:

O VERDE é a cor mais harmoniosa e calmante de todas. Representa as energias da natureza, esperança, perseverança, segurança e satisfação; fertilidade. Facilita a comunicação com as plantas e os devas da natureza. Simboliza: vida nova, energia, fertilidade, crescimento e saúde. Usada em excesso, determina orgulho, superioridade e arrogância.

O VERMELHO é a cor mais quente, activa e estimulante. Fortalece o corpo e dá mais energia física, impulso sexual (vermelho cereja), força de vontade, conquista, liderança e senso de auto-estima. Deve ser usado, antes das refeições, por quem tem problemas digestivos e circulatórios. Se usado em excesso, o vermelho torna a pessoa agressiva e briguenta; Simboliza: perigo, fogo, sangue, paixão, destruição, raiva, guerra, combate e conquista; cor de aproximação e encontro. Melhor usado às terças-feiras (dia de Marte).

A cor AMARELA ou DOURADA, desperta novas esperanças no caso de resignação de doentes que desistiram da cura. Dá vivacidade, alegria, desprendimento, leveza. Produz desinibição, brilho, espirituosidade e espiritualidade. Diminui a ansiedade e as preocupações; fortalece os olhos e os ouvidos além de ajudar na cura da artrite. Atrai dinheiro e poder. Atrai pessoas alegres para a sua vida, rejuvenesce e traz charme; constrói confiança, dá poder de persuasão, energia e inteligência. Traz luz para a solução de problemas, ajuda a reter conhecimentos e desenvolver a sabedoria. Usada em excesso, torna a pessoa irresponsável e volúvel. O Amarelo simboliza: criatividade, as ideias, o conhecimento, alegria, juventude e nobreza. O Dourado simboliza: vibração elevada, vigor, inteligência superior e nobreza. Melhor usado aos Domingos.

A cor AZUL ajuda a baixar a pressão arterial, acalma e traz clareza mental. Produz tranquilidade, ternura, afectuosidade, paz de espírito e segurança. Reduz o stress e a ansiedade, traz saúde emocional, paz e calma. Promove o entendimento entre as pessoas. Favorece as actividades intelectuais e a meditação. Deve ser usada, ao acordar, por quem tem problemas respiratórios. Simboliza: devoção, fé, aspiração, sinceridade, lealdade, confiança e tranquilidade. Não possui contra-indicações.

O VIOLETA é uma cor metafísica. É também a cor da alquimia e da magia. Ela é vista como a cor da energia cósmica e da inspiração espiritual. A cor violeta e excelente para purificação e cura dos níveis físico, emocional e mental. Ajuda a encontrar novos caminhos para a espiritualidade e a elevar nossa intuição espiritual. Traz poderes mentais. Deve ser usada para combater a insónia. Simboliza: dignidade, devoção, piedade, sinceridade, espiritualidade, purificação e transformação. Quando usada em excesso acaba provocando manias e fanatismo. Melhor usar há quintas-feiras (dia de Júpiter).
O MARROM representa a constância, a disciplina, a uniformidade e a observação das regras. Atrai dinheiro ganho através do trabalho e conecta a pessoa à Mãe Terra. Usado em excesso traz autocrítica exagerada, dependência afectiva e isolamento. Absorve a negatividade, mas a retém, devendo ser sempre limpo, de alguma forma.

O CINZA ou o PRATEADO, dá equilíbrio e estabilidade, por ser o equilíbrio do preto e do branco. Não deve ser usado por quem sofre de memória fraca. É usado para cancelar ou neutralizar encantamentos que não servem mais aos nossos propósitos. Melhor dia para usar – na segunda-feira.

O PRETO transmite introspecção, favorece a auto-análise e permite um aprofundamento do indivíduo no seu processo existencial. Absorve, transmuta e devolve as energias negativas, transformadas em positivas. Remove obstáculos, vícios e emoções não desejadas. O uso em excesso traz melancolia, depressão, tristeza, confusão, perdas e medo. Por isso, jamais deveria ser usado por pessoas que acabaram de perder um ente querido. O amarelo seria o mais indicado. Melhor usado aos sábados (dia de Saturno).

O BRANCO traz pureza, sinceridade e verdade; repele energias negativas e eleva as vibrações; equilibra a aura; facilita o contacto com os guias espirituais e com os ancestrais; gerência o equilíbrio interior, protecção, instinto, memória, partos, cuidado de animais domésticos e de crianças, sonhos. Também pode ser usado como coringa, para todos os propósitos, substituto para qualquer cor. Melhor dia para usar, segunda-feira.

O LARANJA é a mistura do vermelho com o amarelo, portanto traz as qualidades dessas duas cores e deve ser usado, ao deitar, nas articulações, juntas doloridas, dores de coluna, ciática, hérnia de disco, etc. Traz sucesso, agilidade mental, atrai boa sorte e prosperidade; desencoraja a preguiça. Melhor dia para usar, quarta-feira. Simboliza: encorajamento, estimulação, robustez, atracção, gentileza, cordialidade, tolerância e prosperidade.

O ROSA é o vermelho, temperado com as qualidades do branco. É romance, amor espiritual (sem conotação sexual). Eleva as vibrações e o contacto espiritual, afasta energias negativas e promove fraternidade. Melhor usado às sextas-feiras (dia de Vênus).

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sorriso

Unidade, Continuidade, Integridade, Progressividade...
Saber e resgatar a unidade do nosso corpo: emoções, instintos e pensamentos.
A vida não é um peso. Pode ter a leveza de um pássaro a voar.
A liberdade de um pássaro num horizonte sobre o mar.
Sobre as ondas de um azul céu...
O toque, as mãos, os olhos, sorriso
um agradecimento como vivência para guardar.
Quando estava de mãos dados com os meus amigos,
quando os meus olhos mantinham-se fechados,
quase entrei em transe, para lá...
senti como se andasse sobre o mar...
visualizei pessoas como se fizessem parte da música
com os instrumentos a tocarem.
Senti os meus lábios a sorrir
uma alegria, fora do normal...

quarta-feira, 16 de junho de 2010

7 Poderes da Biodanza

"O grupo na Biodanza é uma matriz de renascimento que se integra a nível afetivo e constitui um campo de integração muito intenso. Biodanza não é um sistema solipcista nem de comunicação verbal. Seu poder está na indução recíproca de vivências entre os participantes do grupo. As situações de encontro tem o poder de mudar profundamente atividades e formas de relacionamento humano. A forma de integração do grupo de Biodanza se diferencia radicalmente da dinâmica de grupo tradicional."

A identidade expressa-se perante o outro. Eu-Tu passa a ser Nós. Aprende-se a conviver. O vínculo estabelece-se pela afectividade.
Como tudo o que nos acontece, tem uma razão e acima de tudo pode levar a uma acção, o que desejo é que todos possamos convidar gente que se possa juntar ao grupo, dando corpo e número ao nosso projecto.

Enviada por: Geane Bonfim

terça-feira, 15 de junho de 2010

Pó de Caril

O caril é uma mistura de especiarias muito utilizada na culinária de países como Índia, Tailândia e alguns outros países asiáticos. Este condimento é feito à base de pó amarelo de açafrão-da-índia (curcuma), cardamomo, coentro, gengibre, cominho, casca de noz-moscada, cravinho, pimenta e canela.

Para além destes ingredientes básicos, outros são incluídos, de acordo com as preferências: alforva, pimenta-de-caiena, cominhos finos, noz-moscada, pimenta-da-jamaica, pimentão e alecrim, entre outros. Existem caris que chegam a levar setenta plantas diferentes. A cor amarela resulta da utilização de açafrão moído.

Inicialmente o caril servia para temperar exclusivamente o arroz, mas actualmente é usado principalmente em peixes, frangos, sopas,omeletes e todos os tipos de molho. Os compostos existentes no caril terão efeitos benéficos osbre a saúde, nomeadamente combatendo o Mal de Alzheimer, o envelhecimento e diversos tipos de cânceres

domingo, 13 de junho de 2010

Lenda do Manto de Santo António

Diz a lenda que, em Monchique, uma jovem pediu a Santo António para lhe arranjar casamento. Ela casou e, agradecida, cobriu a imagem do santo com um manto azul bordado a ouro.
A jovem não foi tão feliz como esperava. O marido tratava-a mal, apesar da sua gravidez. Assim, nasceu uma filha, que cresceu entre discussões azedas. Aos oito anos, a criança decidiu pedir a Santo António para pôr termo a tantas discussões. Em troca, prometeu-lhe que nunca lhe faltariam flores. Após algumas horas a rezar junto à imagem do santo, a menina sentiu alguém tocar-lhe no ombro. Um homem estranho pediu-lhe algo para comer e um sítio para descansar. A menina levou-o para sua casa, mas o pai resmungou pelo atrevimento da filha. Então, o visitante resolveu conversar com ele. Encantado com as palavras do visitante, o pai da criança sentiu que iniciava nesse instante uma vida nova e resolveu ajudar a mulher a preparar a refeição. Quando voltou à sala, o estranho homem tinha desaparecido e no seu lugar estava uma pequena imagem de Santo António, semelhante à que se encontrava no nicho da vila. A partir daquele dia, nunca mais faltaram flores a Santo António.

Internet: Infopédia

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Progressividade

"...uma maneira de viver o mundo: o movimento graças ao qual as raízes não param de extrair forças do universo para projectar ao céu ramos e flores, fecundar infinitamente a terra e respirar o céu...Despertará no fundo de nós próprios, uma significação mais total e mais plena da vida, que se dilata até os confins do mundo e que experimentamos directamente em nosso corpo, em sua feliz plenitude. Pela dança, o corpo deixa de ser uma coisa para tornar-se uma interrogação".
Roger Garaudy

Para a Biodanza, a dança representa o movimento de vida, pleno de sentido. Utiliza a dança como uma linguagem pré-verbal, instintiva, emocional, expressiva, pré-reflexiva, buscando resgatar o movimento integrado, espontâneo. Este percurso se faz com progressividade.
Isto significa que, a Biodanza não pretende propor danças impactantes, num nível de intensidade sentida momentaneamente.
Como a semente que precisa do seu tempo para se desenvolver, o processo evolutivo em biodanza consiste na gradação da intensidade das vivências.

Enviada por: Geane Bonfim

quarta-feira, 9 de junho de 2010

terça-feira, 8 de junho de 2010

Será??

Há fases da vida que não nos compreendemos
E penso que o que nos resta
É esperar o tempo passar.
Sinto-me confusa
Por as coisas estarem a acontecer
E eu não saber como reagir
O coração aperta e o cansaço pesa
O tempo passa e eu fico mais desassossegada.
Sinto-me estranha,
Como se o meu corpo fosse estranha para mim,
Como se agisse de maneira diferente
Como se a minha mente falasse de coisas
E eu não conseguisse perceber, entender
Como certas coisas que puxa pelo meu sorriso
E logo de seguida, a vontade de me esconder
Meu coração pula aceleradamente, mil á hora.
Há coisas que desejava nunca acontecer
Como há coisas que adorava que acontecessem
Entre o querer e o ter, fica a minha eterna dúvida
Já pensei voltar a ter o “Coração Pedra de gelo”
Que um dia tive para não sofrer,
E que pouco a pouco deixei de ter
Numa luta de poder viver a vida plenamente.
Dura e implacável,
Para não quebrar-me
Perante as contrariedades da cabeça e coração
Para não ter atitudes desnecessárias.
Mas não consigo,
Sinto-me fragil,
Sinto a dor de tudo
Até das pequenas coisas da vida.
Não consigo pensar noutra coisas
Senão na dor que sinto em mim…
Talvez seja a dor que preciso
Para voltar a nascer de novo…
Para voltar a ser livre…

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O amor em cubos de gelo

“...mas pra que a gente acorde é fundamental sonhar...” ( Alice Ruiz)

Os sonhos têm pupilas dilatadas, cílios longos e a íris colorida sempre pintando a realidade com tons mais vibrantes!
Basta o silêncio e ele vem como uma música, orquestrando as histórias guardadas, interrompidas, mas jamais esquecidas.
Eu tenho sorrisos estampados no vestido e nos meus olhos, um mar aberto, pronta para viajar, porque a vida é um milagre!
O tudo e o nada caminham de mãos dadas. Tudo pode acontecer no intervalo entre as duas notas, é como se fosse o nascimento e a morte, e bem no meio, a vida!
Sim, porque não basta nascer para se estar vivo. É preciso mais que isto, mais que um coração a bater, é preciso ter a alma a pulsar e um guerreiro sempre pronto para a travessia.
No espaço entre essas duas notas pode caber uma sinfonia, para quem traz nas mãos a batuta do sonho!
Delirar é preciso, neste sobreviver impreciso.
Ainda que me roubem horizontes, reinvento outros. Acendendo o sol na escuridão mais profunda do mar, que sou eu mesma. E o oceano, enfim, vira uma grande lamparina a clarear os sertões da alma!
Tenho reservas de água, líquida e cristalina, cristais de luz que algumas sombras tentam furtar-me. Mas sempre escapo, escorrendo por entre as fendas, essas pequenas fissuras que atravessam a realidade e tornam a vida possível, despressurizando o insuportável dos dias.
Esse intervalo não é uma pausa, pelo o contrário, é cheio de música!
É quando saímos de cima do muro, cansados de esperar por respostas.
A resposta só eu mesma posso me dar, ela está em mim, no durante.
Eu sou a ecoante pergunta e a misteriosa resposta.
O início, o fim e o meio. Falta-me, talvez, a coragem.
Então, as fendas me arrastam em suas correntezas, e de surpresa, me dizem para ir!
E, sem tempo pra pensar, eu vou, pois só a surpresa, só o estranho pode devolver-me as manhãs fresquinhas com gostinho de morangos em calda!
E eu quero lambuzar-me inteira, desse presente que a vida me dá, de repente!
Não desperdiço nada, já bastam os desperdícios no mundo, tanta escassez de tudo!
E a gente pensando em presentes de Natal e no consumismo que nos consume os nervos e o coração.
Até mesmo o amor, que deveria ser o maior presente, todos os dias, tornou-se uma ameaça, pois não queremos perder o controle, o poder e amar nos torna vulneráveis.
Amar é bicho perigoso, nessa Atlântida que os homens construíram, é uma ameaça à manutenção de suas geleiras, pois o amor é incandescente!
Enquanto o colocamos em cubos de gelo, a indiferença aquece as esquinas das cidades, onde a fome escancara um sorriso sem dentes e a gente preparando banquetes para celebrar o nascimento de Cristo, símbolo de fraternidade.
Contraditório demais tudo isso. Não observamos que as pessoas mais felizes não têm as melhores coisas, mas fazem com o que possuem uma grande festa, uma celebração!
Não quero receber nada, quero, apenas, me ofertar inteira, ao menos enquanto durar esse pequeno intervalo, onde cabe a eternidade.
A eternidade acontece, quando não temos compromisso com o tempo.
Mas os relógios dos homens tentam controlar os destinos, marcando horários para tudo.
Dormimos pouco, talvez para que sonhemos menos.
Contudo, para quem tem a batuta nas mãos, o sonho torna-se real a cada movimento, a cada nota que vai compondo a melodia dos dias.
Sonho com olhos bem abertos! Acho que é por isso que me dizem que eles sempre parecem estar a contar algo, olhos que saltam no escuro das coisas, pois sabem que no fundo de tudo existe a luz.
Até mesmo no fundo da alma do pior algoz, há uma dor que o fragiliza em algum ponto.
Ser humano é ser o herói e o carrasco de si mesmo, a luz e a escuridão, o começo e o fim.
Contudo, o ‘ás’ desse jogo está no meio, na metamorfose.
Entre a crisálida e a borboleta está o segredo para os futuros voos.
Acordar é preciso, mas esse despertar é mais que abrir os olhos, é ter uma fé inabalável em si mesmo e sonhos nas pontas dos dedos.
Mãos em movimento, verbos de acção e ligação que nos conduz, passos incansáveis em direcção ao infinito, porque nem o céu é o limite para quem não desiste da velha mania de sonhar.
Em essência, somos alma que são encantamentos, nunca terminam, atravessam o espaço e constroem pontes sem ao menos se tocar, porém são capazes de sentir cheiros e gostos das coisas à distância, até mesmo amar, pois o amor acontece no etéreo.
Puro mistério, amor é surpresa!
O ser humano é um milagre, é uma promessa e promessas não cumpridas machucam. Não posso desistir.
Farei tentáculos dos meus sentidos e agarrarei a vida luminosa no fundo da escuridão do mar.
Mergulharei no espelho, até que desapareça a imagem e descobrirei que, por dentro, tenho o sertão, mas, também, a água, sempre em movimento, que é a alma. Se tentarmos represá-la, os tsunamis acontecerão, dentro de nós.
Então, pinto os olhos do medo de azul da cor do mar, prontos para a onda que pintar! Contudo, o meio, onde são guardados os segredos, será pintado de vermelho: vida e revolução, desejos à flor dos ventos que sopram os encontros, atracção dos corpos e almas, que carregam na palma da mão o destino, esse fio misterioso que nos puxa pra lá e pra cá, até alinhar os caminhos.
Enlouquecer é preciso, 'inflamar pode ser mais que durar'!
Às vezes, só o precipício nos pode salvar, sem nos dar tempo para arrumar as malas, pois, por segundos, poderíamos desistir de pular, poderíamos perder a viagem...
E pra quê bagagem, se tudo que precisamos é coragem?

(Raiblue)
Dezembro de 2008

domingo, 6 de junho de 2010

Gosto de viver...

"Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente desesperada, agudamente infeliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional." (Agatha Christie)

Gosto de viver...

"Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente desesperada, agudamente infeliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional."
(Agatha Christie)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O JUDEU NO BORDEL !!!

Jacob há muito tempo que não dava uma .....
Chegou na zona das meninas e disse para uma:
- Quanto cobra?
- 100,00 €.
- Muito caro! Muito caro!!!
- Então 50,00 €.
- Não, não.....eu só tenho 12,00 €.
- É muito pouco...por isso eu não vou.....
- Então eu dou-te 12,00 € e o telemóvel.
A gata pensou, pensou e disse:
- Está bem.
Foram para o quarto, deram uma senhora trancada...o Jacob levantou-se, vestiu as calças e deu 12,00 € à rapariga,
que disse:
- E o telemóvel?
- Anota aí....962149524!

Amor, onde estás tu?

Por estes dias, dias difíceis de passar,
Dias que o coração aperta sem saber o porquê,
Pendurei um fio de ouro com um coração vermelho ao pescoço
Na intenção de me sentir melhor, protegida e segura.
Descobrir que aquela marca de nascença
Que tenho num braço, ora está mais visível ou não
Ter a forma de um coração pequeno
Perfeito, como uma tatuagem.

Que poderá significar?
Um sinal que tu, meu amor
Estarás sempre perto de mim,
Mesmo nos momentos mais longos...
Basta um olhar e provocas-me um sorriso
Ao lembrar das tuas doces palavras…
Ditas num silêncio mas inesquecíveis.

Será que alguma vez amei
Ou ainda tenho um amor escondido
Ainda por revelar, ainda por descobrir
Acredito que amei, uma única vez
E foi de tão curta duração…
Mas sei que ao separar-nos, doeu muito.
Aonde existe dor, existe amor.
Foram escassos os amores que tive
Foram muitas as paixões avassaladoras
Foram raras as relações com rumo
Foram muitas as aventuras vampíricas
Talvez por ser um cubo de gelo murada de pedra
Á espera de um príncipe encantado,
Que apenas com o suave toque
Para flamejar-me de amor

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Cominhos

Planta herbácea, de caule estriado, folhas verdes, flores brancas ou rosadas e frutos pequenos e com listras. As folhas e sementes são aproveitadas como condimento. As folhas possuem sabor picante e levemente amargos. As sementes são picantes e adocicadas. Falso-anis, falso-aneto, kümel, os grãos desta planta são confundidos com outros temperos. O seu aroma é intenso e seu gosto é levemente amargo.

Provavelmente originário da Ásia central, o cominho é utilizado há muito tempo: os egrípcios usavam-no como pimenta e colocavam seus frutos dentro das tumbas, como oferenda.

Na Idade Média, o cominho era considerado como um tempero aristocrático, utilizado para temperar as aves a fim de facilitar a digestão. De sabor forte, deve ser usado em pequenas quantidades em pratos à base de queijos, ovos, carne, peixes, aves, carneiro, batatas e legumes. Usado para perfumar pães, é adicionado directamente à massa. O cominho faz parte da composição do curry, é utilizado na cozinha oriental e mediterrânea. As folhas são bastante aromáticas, é um tempero importante na cozinha nordestina. Vai bem ate no feijão. As sementes moídas são muito usadas para tempero de picles. Experimente antes de usar, pois o gosto é forte.

terça-feira, 1 de junho de 2010

FELIZ DIA DA CRIANÇA para TODOS!!!


Hoje beijem, abracem alguém
uma criança se possível,
riam, brinquem
porque todos somos crianças que cresceram.

Um beijo-rebuçado encantado!

Enviada: O.D.