Meus outros blogs:

quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Natal em Lisboa

As origens de muitas das tradições que caracterizam as celebrações modernas do Natal perdem-se nos tempos. A festa que é das crianças, e encanta os adultos, é a época do ano mais esperada. Mas o importante é não nos esquecermos de oferecer algo aqueles de quem gostamos, não importa se é cara ou barata, importa é se é dada com amor.

O acto de trocar presentes entre aqueles que estão próximos uns dos outros é o mais antigo de todos os costumes do solstício do Inverno. As suas origens remotas podem ser seguidas até à Idade da Pedra Polida, há cerca de 10 mil anos, quando os seres humanos começaram a substituir a incerteza da vida caçadora, pelas garantias mais seguras da agricultura. O aparecimento da agricultura, traduziu-se pela primeira vez, num excedente de comida, o que tornou possível criar provisões de alimentos que ajudariam as pessoas durante os meses duros do Inverno..

Após terem passado os meses mais difíceis, a Primavera fazia os bons dias aparecerem e isso exigia uma grande celebração e uma maior descontracção em relação às provisões acumuladas. Organizava-se uma festa.

Cada agricultor tinha as suas especialidades alimentares e preparava-se uma troca de alimentos. Desta maneira todos podiam gozar de uma rica variedade de pratos.

Esta troca de comida foi o costume original da troca de presentes no solstício do Inverno e transformou-se no núcleo central das festividades. Tudo o resto que se se desenvolveu mais tarde se centralizava em volta dela.

Ao longo dos séculos, a gama de presentes aumentou, passando a incluir outras coisas além da comida. Na Roma antiga, a cerimónia da entrega de presentes tornou-se altamente elaborada e atraiu muitas superstições.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2006

Côcos Gigantes


Depois do "Super Pacu", agora é a vez dos "Côcos Gigantes"
30-Mai-2006
Dez dias depois de revelar para o mundo, o caso do "super pacu" de 42 quilos, encontrado em um dos córregos poluídos que cortam a cidade de Campo Grande, MS, o programa O Povo na TV destacou nesta terça-feira outra descoberta curiosa de sua equipe de reportagem: "côcos gigantes", cujo diâmetro ultrapassa 80 cm e o peso é estimado entre 30 e 40 quilos.

quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Caso austriaco de sequestro...

Natascha Kampusch (Viena, 17 de fevereiro de 1988) é uma garota austríaca que foi seqüestrada quando tinha dez anos de idade em 1998, permanecendo sob custódia de seu raptor por mais de oito anos, até sua fuga em 23 de agosto de 2006. O caso foi descrito como um dos mais dramáticos da história criminal da Áustria.

Natascha deixou sua residência no distrito vienense de Donaustadt dia 2 de março de 1998 para ir à escola, mas não voltou para casa. Inicialmente foi levantada a hipótese que o desaparecimento fosse fruto de discussões da criança com sua mãe, Brigitte Sirny. Todavia, testemunhas declararam ter visto Natascha subir num microônibus de cor branca. Intensas buscas foram levadas a cabo em seguida, não obtendo êxito.

Em 2001, um político da região da Estíria, Martin Wabl, acusou a família da menina de cumplicidade no caso. A polícia federal austríaca, entretanto, não encontrou nenhuma prova para tal afirmação.

Em agosto de 2006, Natascha aproveitou-se de um momento de distração de seu seqüestrador para escapar; na fuga, pediu ajuda a uma mulher, que avisou as autoridades. A garota foi identificada por uma cicatriz no corpo, bem como por seu passaporte, deixado no porão do cativeiro, onde ficou, durante todos os anos, em poder do criminoso.

Assim que o raptor, de 44 anos de idade, Wolfgang Priklopil, soube que a polícia o estava buscando, matou-se, saltando na linha de um trem de subúrbio em Viena.

O Wikiquote tem uma coleção de citações de ou sobre: Natascha Kampusch.Após a fuga, Natascha recebeu acompanhamento psicológico, demonstrando fortes sinais de simpatia e afeto por seu seqüestrador, o que foi diagnosticado como síndrome de Estocolmo.

sábado, 18 de novembro de 2006

Francesco Alberoni

O médico e filósofo Francesco Alberoni nasceu em 1929, em Piacenza, na Itália. Considerado um dos nomes mais importantes da moderna sociologia na Europa, tornou-se conhecido em todo o mundo com a sua teoria do estado nascente, dos movimentos coletivos, do enamoramento e do amor. Professor da Universidade IULM, de Milão, introduziu novas problemáticas e sugestões à pesquisa sociológica. Ao todo, já lançou 17 livros:
-enamoramento e Amor;
-A Amizade;
-O Erotismo;
-O Altruismo e a Moral;
-Génese;
-Os Invejosos;
-O Voo nupcial;
-Valores;
-O Optimismo;
-Amo-te;
-O Primeiro Amor;
-Tenham Coragem;
-As nascentes dos sonhos;
-A esperança;
-Saber decidir;
-O mistério do enamoramento;
e o ultimo, no qual fui á apresentação na embaixada de Itália:
-Sexo e Amor.

sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Juntos ao luar


Nicholas Sparks é um dos maiores romancistas da actualidade. E após o livro "Quem Ama Acredita" e da sua sequela "À Primeira Vista", o autor chega com mais uma bela história de amor.

Esta conta a difícil história de amor de John e Savannah, dois jovens que se conhecem por obra do destino e que pelo mesmo se vêem perante decisões de vida muito complexas. Devido à sua carreira militar, John vê-se separado da mulher da sua vida, Savannah. Deverá a jovem protagonista seguir a sua vida, lembrando para sempre a noite de lua cheia que passaram juntos, ou deverá esperar pelo seu grande amor? Conseguirá o amor destes jovens resistir a esta separação? Uma história maravilhosa, marcada pela força do amor e pelas partidas do destino.

quinta-feira, 9 de novembro de 2006

Dia Mundial dos Recordes

Para comemorar o Guinness Day (o Dia Mundial dos Recordes), que é celebrado em todo mundo em 9 de novembro, a Ediouro traz ao Brasil o homem mais alto do planeta. Ele é chinês, tem 55 anos e mede nada menos que 2,36m. Xi Shun cumprirá extensa agenda, que inclui visitas a livrarias para autografar o "Guinness World Records 2007", que está sendo lançado pela Ediouro. O chinês gigantão nasceu na Mongólia Interior, província situada no norte da China, e foi criado no campo. "Antes eu queria ser 'normal', mas agora estou satisfeito", costuma dizer Xi quando perguntado como se sente sendo tão alto.

Por conta de sua estatura, tornou-se jogador do time de basquete do Comando Militar de Shenyang, em 1973, mas tempos depois foi obrigado a parar de jogar por causa de reumatismo. Em 1975, voltou a trabalhar como pastor em sua cidade natal, Chifeng.

O chinês, que vive em uma casa especialmente construída para ele, em sua cidade natal, Chifeng, entrou para o Livro dos Recordes após ser submetido a uma bateria de exames físicos e mentais, em janeiro de 2005. Médicos do Hospital Municipal de Chifeng comprovaram que Xi cresceu naturalmente e não sofre de nenhuma enfermidade, o que garantiu o recorde.

Só para se ter idéia do tamanho do gigante, só a bengala que o chinês usa para se apoiar mede 1,30m. Outra medida impressionante é a altura do pé direito de sua casa: mede 5 metros!
Hospedado numa suíte presidencial, Xi Shun precisou de algumas adaptações no hotel em que ficou, no Flamengo, na Zona Sul do Rio. A cama de casal king size teve que se somar a uma cama de solteiro na horizontal para dar o comprimento necessário ao gigante chinês.

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

Festival Internacional de Chocolate (Óbidos)


Um mercado tradicional de frutas e legumes em chocolate e esculturas coloridas de personagens de banda desenhada e cinema, como Tintim ou o Homem Aranha, são as novidades deste ano da 5ª edição do Festival do Chocolate de Óbidos, que decorre de 2 a 12 de Novembro.
Outra novidade serão os cenários da Casa do Chocolate, um espaço onde só é permitida a entrada a crianças. Nesta casa, os mais novos poderão retirar e comer chocolate das paredes, mais uma novidade da edição de 2006 do festival. O evento inclui ainda uma passagem de modelos com chocolate e os concursos chocolatier português do ano, peças artísticas ao vivo e internacional de receitas de chocolate.

terça-feira, 7 de novembro de 2006

Conhecer a Bailarina Tarikavalli e a dança Bharata Natyam


Bailarina Tarikavalli de regresso a Portugal para mostrar dança indiana

Quatro anos depois de ter pisado pela primeira vez os palcos portugueses, a bailarina francesa Tarikavalli, está de regresso com quatro espectáculos de Bharata Natyam, dança tradicional indiana, que apresentará em três localidades.

Tarikavalli, que se considera a única portuguesa (é luso- descendente) a dançar profissionalmente a Bharata Natyam, tem espectáculos marcados para Palmela (sexta-feira), Abrantes (sábado) e Santarém (domingo).

Em entrevista à agência Lusa, a bailarina historiou o seu percurso profissional, contando como surgiu nela a paixão pela dança clássica indiana e a vontade de morar em Portugal para ensinar a sua arte.

Tarikavalli nasceu em França, é filha de portugueses e estudou dança na Faculdade de Sorbonne, em Paris, onde conheceu Amali Devi, a professora indiana que a iniciou na Bharata-Natyam. O interesse e o gosto por esta dança levaram-na até à Índia para estudar dança tradicional indiana.
"A minha paixão pela Bharata Natyam nasceu quando assisti a um espectáculo interpretado por uma bailarina francesa", referiu Tarikavalli, precisando que, "à medida que descobria e aprendia tudo o que envolvia essa dança, mais vontade tinha de continuar". Na Índia, estudou e participou em grupos de trabalho para aprofundar os seus conhecimentos. A bailarina explicou também por que adoptou o nome artístico Tarikavalli.
"Os professores indianos dão um nome aos alunos quando consideram que estes dominam a arte ensinada. No meu caso, o nome Tarikavalli foi-me dado pela minha primeira professora, Amala Devi", disse.

"`Tarika` quer dizer estrela e `Valli` grinalda", indicou, adiantando que "a tradução de Tarikavalli será `grinalda de estrelas`, uma espécie de presente que os indianos oferecem a Deus, tendo por isso um significado tradicional e profundamente religioso". Tarikavalli actuou pela primeira vez em Portugal em 2002 no Teatro da Trindade e diz ter ficado surpreendida com o interesse e o entusiasmo do público português por esta arte. A bailarina manifestou a vontade de viver em Portugal, onde não tem concorrência na sua arte, pois é a única "portuguesa" que faz dança indiana com carácter profissional.

A Bharata Natyam é o mais antigo de oito grandes estilos da Índia e é caracterizada por linhas simétricas e geometricamente perfeitas, voltas, saltos e complicadas deslocações de pés que marcam ritmos complexos. "à técnica pura acrescenta-se a abbinaya, que é um misto das expressões da cara acompanhadas de gestos de mãos (hasta) e postura do corpo (anga) para interpretar poemas e os hinos cantados", esclareceu. O repertório musical deste género de dança é constituído por excertos de textos religiosos ou composições de poetas, santos ou místicos. De acordo com os livros sagrados da Índia, a Bharata Natyam tem uma origem divina.
Várias regiões do sul da Índia desenvolveram o seu próprio estilo clássico, sendo o Bharata Natyam o mais antigo dos oito grandes estilos indianos. A tradição manteve-se no Sul da Índia durante séculos, preservada por mestres de dança e bailarinas sagradas, as "devasis" (servidoras da divindade), que estavam ligadas aos templos e que eram responsáveis pela oferenda diária da dança ritual.

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Portugal no Guiness com a maior bandeira humana...


PORTUGUESE FEMALE POWER
On 20 May 2006 we had the pleasure of spending 48 hours in Portugal adjudicating an attempt on the Guinness World Record for the Largest Human National Flag. The record to beat was set in Scotland earlier this year when 13,254 fans formed the Saltire, the Scottish national flag, at a Scotland v France Six-Nations game at Murrayfield Rugby Club.

Held at Lisbon's national stadium, the event was organized by a company called Realizar who had plenty of experience having organized seven other successful Guinness World Records attempts. These include the Largest Hockey Stick, a staggering 56 ft 7 in ( 17.25 m) long, the Largest Human Logo made up of 34,000 people (part of Portugal's successful bid to host the Euro 2004 soccer championships) and the Largest Football with a whopping diameter of 19 ft 10 in (6.06 m)!

But the focus this time was once again on mass participation. The record attempt was part of a larger celebration organized by Banco Espirito Santo, Federação Portuguesa de Futebol and Parceiros de Comunicação to show the support of Portuguese women for the national soccer team at the forthcoming World Cup in Germany. We are thrilled to say the previous record was smashed and these record–breaking Portuguese managed to gather 18,788 people! If that doesn't get Ronaldo, Pauleta and the rest of the Selecção going, nothing will – congratulations and good luck in Germany!!

domingo, 5 de novembro de 2006

Nelson de la Rosa, o menor homem do mundo, morre aos 38 anos


O dominicano Nelson de la Rosa, considerado o menor homem do mundo, morreu no domingo em Nova York. De la Rosa, que era ator e tinha 38 anos, será sepultado na República Dominicana.

De la Rosa, de 54 centímetros de estatura, ficou famoso por sua atuação, em 1996, ao lado de Marlon Brando e Val Kilmer no filme "A Ilha do Dr. Moreau".

Segundo Andrés Durán, representante do ator, seus problemas de saúde começaram quando ele viajava do Chile a Boston (EUA), após concluir sua atuação em um circo que inaugurava um espetáculo no país sul-americano.

sábado, 4 de novembro de 2006

Mãe negra e pai branco podem gerar filhos de cores diferentes


O jornal britânico "The Sun" fez neste fim-de-semana uma coletânea com vários casos recentes que parecem desafiar a lógica -- bebês gêmeos com cor de pele diferente, um "branco" e outro "negro". O último caso a ganhar notoriedade foi o da britânica Kerry Richardson, com seus meninos Layton (loiro) e Kaydon (mulato).

Trata-se de um acontecimento raro, mas não tem nada de miraculoso - e não é nem preciso duvidar da fidelidade da mãe ao marido para explicar o que acontece!

A informação crucial na maioria dos casos é que pelo menos um dos membros do casal tem herança racial mista. Como a cor da pele entre seres humanos é determinada por um conjunto de quatro a seis genes diferentes, casais mestiços podem, com uma bela dose de sorte, gerar bebês muito diferentes entre si.

Esses vários genes contêm a receita para a produção da melanina, a "tinta" bioquímica que dá cor à pele humana. Cada um deles induz a produção de tipos ligeiramente diferentes de melanina, uns ligados a pessoas de pele mais clara, outros a pessoas de pele mais escura. Os bebês recebem cópias desses genes tanto do pai quanto da mãe.


Luca e Marina
(inglesas)
Boyd e Oliver
(ingleses)
Alícia e Jasmin
(australianas)


Normalmente, se o pai é branco e a mãe é negra, os efeitos se misturam: é por isso que o filho de um negro (com genes para pele escura) com uma branca (com genes para pele clara) tende a ser mulato, ou seja, ter cor de pele intermediária. Mas, em seu DNA, o bebê tem ambos os tipos de gene.

Assim, no caso de Kerry, ela poderia passar a seus filhos tanto genes para pele clara quanto os para pele escura. Aí é que vem o acaso: quando produziu seus óvulos, ela deve ter passado para um deles apenas as cópias ligadas à pele clara; já o outro óvulo "ganhou" apenas as cópias de genes para pele escura. Assim, um dos bebês nasceu mulato (por causa da ação dos genes para pele clara do marido), enquanto o outro é loiro. -- Fonte: http://www.g1.com.br/

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Dia de Todos os Santos

Essa celebração teve origem em Antioquia no Oriente no século IV, e foi introduzida no Ocidente em Roma no século VI.

Várias foram as razões para realizar essa festa: resgatar a lembrança daqueles cujo nomes foram omitidos por falta de documentos e que somente são conhecidos por Deus, alcançar, por sua intercessão, as graças de que necessitamos e ter sempre presente esses modelos de conduta, a fim de imitá-los.

Deus prometeu de fato dar a eterna bem-aventurança aos pobres no espírito, aos mansos, aos que sofrem e aos que têm fome e sede de justiça, aos misericordiosos, aos puros de coração, aos pacíficos, aos perseguidos por causa da justiça e a todos os que recebem o ultraje da calúnia, da maledicência, da ofensa pública e da humilhação. Hoje todos esses Santos que tiveram fé na promessa de Cristo, a despeito das fáceis seduções do mal e das aparentes derrotas do bem, alegram-se e exultam pela grande recompensa dada por um Rei incompreensivelmente misericordioso e gênero, DEUS. Os Santos são amigos eficazes, pois a vontade deles e totalmente semelhante à de Deus, manifestada em Cristo, único Senhor deles e nosso.

Essa celebração presta homenagem também a todos os Santos desconhecidos, sem nome, que pareceram presença inútil no mundo, mas que carregaram em silêncio a marca do Filho do homem, ou seja a cruz. Para Deus, os Santos são amados todos do mesmo modo, pois o que conta não é a irradiação do testemunho dado na terra pelo mais lembrado ou pelo mais escondido deles, mas a fidelidade e o amor que somente Deus conhece.

Esta festa quer homenagear a multidão dos Santos que estão na glória de Deus e são para todos nós motivo de imensa alegria, pois são irmãos e irmãs nossos que souberam viver em Cristo e, pela graça de Deus, alcançaram a plenitude da vida eterna.

terça-feira, 31 de outubro de 2006

LENDA DE LINDA-A-VELHA

Segundo “Lendas Portuguesas” - Investigação recolha e texto de Fernanda Frazão, Amigos do Livro Editores, Lda. Anos 70/80, Transcrevemos a Lenda de Linda-a-Velha:

« Naquela tempo recuado, num ponto elevado das vizinhanças de Lisboa, existia um pequeno castelo com uma bela torre, à volta do qual se desenvolveu uma povoação. Num varandim da torre, virado ao rio, costumava sentar-se pela tarde uma velhinha de cabelos branquíssimos e rosto entranhadamente limpo de rugas, como se o tempo só lhe tivesse passado pelo corpo e a alma tivesse ficado incólume e esquecida noutras épocas.

As raparigas da povoação, quando calhava por ali passarem, ficavam extasiadas ante aquela beleza calma que dia a dia viam olhando longamente o estuário do Tejo como quem espera, esperando sempre o que já se não espera voltar a ver. Mas a velhinha sorria, sorria, como quem sorri para alguém que ama e está presente ainda que ausente. E as raparigas olhavam a torre e a velha e diziam:
- Como é bonita a velha!
- Linda a velha!

Curiosas, as raparigas interrogavam-se muitas vezes sobre a vida que teria vivido a velhinha da torre e imaginavam mil e umas vidas, que a castelã nunca vivera. Certa tarde em que se entretinham neste passatempo, passou por ali uma anciã da aldeia e ouviu a conversa das raparigas. Enquanto descansava sentada numa pedra foi ouvindo as divagações das mossas e, a certa altura, não se teve que não as interrompesse:
- A vida dela, minhas filhas, não foi o que estais para aí imaginando.
- Então a tiazinha conhece a história da castelã?
- Claro que conheço. E qualquer outra pessoa do meu tempo a conhece também.
- Então conte, por favor, conte!

Enquanto a tarde ia caindo docemente sobre os campos e reflectindo no rio e no mar cores miríficas e inimagináveis, a velha começou a contar:
- Quando eu era nova, e ela também, eu trabalhava nas cozinhas do castelo. A senhora era então uma bela rapariga de cabelos muito negros que toucava de véu e jóias. Nessa altura, o castelo era um corrupio de gentes, especialmente cavaleiros e jograis, jovens e velhos, que vinham cortejar a minha senhora. Mas ela, que a todos sorria delicadamente, recebia as homenagens que lhe prestavam corando, e sempre que podia escapava-se para os seus quartos, na torre, porque era ciosa de si e no fundo aborrecia-a tudo aquilo, talvez por não gostar de ninguém.

As paredes deste passo, meninas, viram mais moços fidalgos que castelo de rei e ouviram mais cantares ao luar que moura de história já cantou em noites de São João.”
“Acho que estes cantares e as homenagens dos fidalgos agradavam à minha senhora. Muitas vezes a vi sorrir, sem que dessem por ela. Mas era só à vaidade que aquilo agradava porque nunca ela cortejou ninguém, até que

A velha fez uma pausa quem sabe para se recordar os pormenores da história. Fechou os olhos por uns segundos e apareceu às raparigas que aqueles olhos estavam fechados à uma eternidade, tal a tenção e curiosidade com que seguiam a narração:
- Então, tiazinha, e depois! Não vá adormecer agora! O resto, o resto! …
- Calma, minhas filhas! Estou velha e a memória das coisas escapa-me. Vamos lá a ver se me recordo bem.
- A tiazinha está é a meter-se connosco! Não há direito de nos fazer sofrer! Conte, Conte!

- … Até que um dia apareceu um moço fidalgo. Chegou num alazão e trazia às costas uma viola. Ela recebeu-o como os outros, mas para ela, ele não foi mais como os outros, «Reparei, a hora da ceia quando servi os fidalgos um faisão recheado de nozes, que os olhos da minha senhora viram os do fidalgo, que, na ponta da mesa (por ser mais novo que os outros e recém chegado), se esquecera até da taça de vinho que tinha na mão. Não se falaram, nem uma palavra de cortesia sequer, mas que os olhos da minha senhora ficaram brandos e brilhantes.

«Pela noite estava já o paço descansado, ouvi um tanger de viola, tão lindo, tão suave como nunca ouvira antes nenhum. Enquanto o moço começava uma balada cheia de uma dor qualquer, vesti-me e saí a espreitar.
«Espreitar. Viu-o a ele, ali debaixo daquela árvore que fica em frente da varanda, de pé, olhando o mar. E via-a a ela, que nunca vinha à janela fosse quem fosse que cantava. Quando a música acabou falaram-se: ela do balcão; ele, ali debaixo. Tive vergonha de estar à espreita, e medo de ser vista e apanhada.

Voltei para dentro e deitei-me a dormir porque o meu dia não era como o dos fidalgos e ao alvorecer já eu tinha de acender o lume da cozinha, arear os tachos de cobre, amassar o pão e muitas vezes carregar a lenha ou ir apanhar a fruta ao pomar. Bem vêm, eu era a mais nova na cozinha e faziam de mim gato – sapato. Depois…
- Ora, tiazinha, isso não interessa! Conte mas é o resto da história da velhinha do castelo!
- Vá lá a gente querer contar alguma coisa da nossa vida!... Já nem os pobres querem saber da vida dos pobres!... Mas, então vá lá, ouvi o resto…
«Estava eu contando da serenata do moço… Pois a minha senhora apaixonou-se pelo fidalgo, que ele já o estava por ela. Presos um no outro, nem deram por que os outros convidados, ao verem aquela paixão, iam saindo do castelo, desenganados, definitivamente.

«Acontece que nessa, altura, o Papa e el-Rei pregaram uma cruzada e chamaram os fidalgos. E Também o cavaleiro-trovador teve de se preparar para partir para além-mar, para a Palestina, a combater os infiéis.
«Caiu então sobre o castelo uma névoa de tristeza.

Muitas vezes vi lágrimas brilhando teimosas no canto dos olhos da minha senhora. Uma noite, que foi a última, ouvi uma serenata do cavaleiro, mais doce e triste que nenhuma outra, cheia de dor de partida tão grande que até a mim magoou o coração. E nunca mais o vi.
No dia seguinte, a minha senhora, logo pela manhã, subiu à varanda da torre, donde se vê a praia e o mar. Todo o dia lá ficou. Quando subi a levar um caldinho – que ela nem tocou! - , olhei para as bandas do rio e vi os barcos que se aprestavam para partir, os batéis que iam e vinham coloridos de cavaleiros e pajens, cheios de provisões, as barcaças que transportavam os cavalos de guerra até às naus engalanadas de festa.

À tarde, eu quis ir ver a partida. Quando saí do paço vi a minha senhora lá no alto da torre olhando as velas que no mar já enfunavam de vento. Corri o mais que pude para não perder a partida – eu era nova, então, e as pernas obedeciam à minha vontade. Cheguei ainda a tempo de me juntar ao povo que na praia agitava os chapéus aios que partiam. E imaginei no alto da torre um lenço branco ondulando na brisa que levava os barcos rio abaixo, rio adiante, mar sem fim, até ficar embebido, como as velas, no sal do mar, no sal do corpo.

Quando retomei ao paço, a minha senhora rezava na capela. Dias e dias rezou ajoelhada na laje fria, até que a certa altura voltou à torre. Dali olhava o mar esperando uma vela branca não mais voltou…
«Soube-se, mais tarde, no Reino, que ao atravessar as longínquas Colunas de Hércules uma tempestade terrível fez naufragar o navio em que partira na esperança de voltar o cavaleiro-trovador. Ninguém ousou dizer-lho a ela, mas creio que o adivinhou na própria hora da desgraça põe essa estranha maneira de comunicar que têm os seres que se amam.

«Correram-lhe as lágrimas a fio, durante muito tempo. Depois secaram e o cabelo embranqueceu-lhe. Eu casei e saí do castelo porque o meu homem precisava de mim na horta. No entanto, nunca deixei de ver a minha senhora porque ela não mas largou a sua torre e a varanda sobre o rio.
«Hoje já não espera o seu trovador. Espera o tempo, o seu tempo, como eu espero o meu…

A velha calou-se. Fez-se um silêncio quem sabe se de respeito. Se de nostalgia, se de uma certa saudade de um amor assim, que se não teve e desejava ter tido.
A velha levantou-se por fim e partiu para casa porque a noite já ali estava roçando o seu manto pelos corpos recostados nas árvores. Levantaram-se as moças também, em silêncio.

Mais uma vez olharam a doce velha que na torre do castelo já mal se via e uma delas murmurou:
- Linda a velha!
O tempo que a linda velhinha esperava chegou por fim. E veio outro mais longo que derrubou os muros do velho paço e da sua torre. Mas este longo tempo que chegou poupou a povoação, de que não conheço o nome antigo, mas que a lenda chama, ainda hoje, Linda-a-Velha.

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

Vimeca celebra 75 anos


A Vimeca Transportes, empresa com sede em Queluz de Baixo, celebra hoje 75 anos de existência.
Fundada em 21 de Setembro de 1931 com o nome de Viação Mecânica de Carnaxide, a empresa foi crescendo até se tornar hoje numa empresa de referência pela sua baixa idade média da frota. Do parque herdado da antiga Rodoviária de Lisboa (em 1995 a empresa adquiriu os CATs 3 e 4 e mudou-se de Carnaxide para Queluz de Baixo, e tomou a dimensão com que hoje a conhecemos) já só os Volvo Articulados resistem.

domingo, 29 de outubro de 2006

Exposição "150 Anos dos Caminho-de-Ferro em Portugal" em Alcântara


Exposição de Material Ferroviário em Alcântara
No próximo dia 28, Sábado, a partir das 15 horas, prolongando-se até às 18 horas de Domingo, a zona das Docas de Alcântara, em Lisboa, vai acolher uma exposição sobre os diversos tipos de material circulante da CP.

A exposição inclui os 3 tipos de tracção (vapor, diesel e eléctrico) da frota actual da CP, ao serviço do Longo Curso, bem como dos serviços Urbanos, Regional e de Carga.

À excepção da mostra de vapor, que se encontrará estacionada em frente à secção de remo do Clube Ferroviário de Portugal, o restante material estará parqueado no feixe de linhas de carga. Esta exposição estará aberta ao público dia 28, das 15H às 23H e dia 29 das 10H às 18H.

A primeira viagem de comboio em Portugal, entre Lisboa e o Carregado, realizou-se a 28 de Outubro de 1856. Nesse tempo não havia estradas, nem sequer bons caminhos. Uma viagem de liteira, entre Lisboa e o Porto, demorava pelo menos cinco dias. Na mala-posta, seriam, no mínimo, trinta e quatro horas.
De então para cá, a evolução do caminho de ferro em Portugal, uma grande aventura humana, mudou e assinalou o desenvolvimento do País.

sexta-feira, 27 de outubro de 2006

Obesidade

A obesidade é a forma mais comum de má-nutrição no mundo ocidental, é uma doença crónica de armazenamento excessivo de gordura, com muitos anos de evolução, sendo multifactorial na sua génese, genéticamente relacionada, ameaçadora da vida humana, com elevado significado médico, psicológico, social, físico e económico. Como tal envolve na sua génese factores hereditários, bioquímicos, hormonais, ambienciais, comportamentais e culturais.
A prevalência no nosso País para a obesidade é estimada em 13% para o sexo masculino e 15% para o sexo feminino.
O tratamento médico para a obesidade clinicamente severa (mórbida), inclui combinações várias de dietas de baixas calorias, modificação comportamental, exercício e agentes farmacológicos. O maior problema deste tipo de abordagem é a sua incapacidade em manter um peso corporal reduzido na maior parte dos doentes obesos, havendo uma alta incidência da ineficácia em suster no tempo uma perda de 10% de peso com este tipo de tratamento.
Tipos de Cirurgias:

Balão- O balão intragástrico de silicone foi desenvolvido por Fred C. Gaun com a Inamed em 1986. O balão intragástrico é utilizado de uma forma de terapêutica temporária para perda de peso para doentes que tenham pelo menos um excesso de peso superior a 40% do peso ideal e que não perderam peso com um programa devidamente orientado para esse fim.
O balão intragástrico tem como função provocar uma sensação de plenitude gástrica, diminuindo o consumo de alimentos, facilitando assim o aprender de uma nova dieta e alterar comportamentos alimentares de rotina.
As desvantagens que pode trazer este tipo de tratamento são os vómitos por vezes incoerciveis, obrigando à sua remoção . Outra das complicações ainda mais rara é a possibilidade de o balão perfurar e esvaziar podendo provocar oclusão intestinal, para se dar conta deste problema o balão é preenchido com soro fisiológico tingido com azul de metileno, para, se perfurar o paciente nota que algo de diferente aconteceu pois a urina sai com cor esverdeada, devendo assim avisar imediatamente o seu médico.

Bandas - Outro modo de limitar a ingestão alimentar é colocar um anel à volta do estômago na sua parte alta (fundo), criando uma deformidade tipo vidro de relógio. Este anel tem que ser colocado perto da extremidade proximal gástrica, logo abaixo da junção esogástrica.
As bandas insufláveis têm acopladas um balão que se encontra ligado a um pequeno reservatório colocado por baixo da pele quer torácica quer abdominal, através do qual o balão pode ser insuflado reduzindo o tamanho do estoma ou desinsuflado aumentando o tamanho deste estoma sempre que necessário.
As suas maiores complicações são:
Imediatas - Lesão do baço, lesão esofágica e/ou gástrica, infecção do depósito e infecção da banda
Tardias - Slippage gástrico; erosão gástrica provocada pela banda, leak do reservatório, leak da banda, vómitos persistentes e refluxo gástrico para o esófago.
E outros....

sexta-feira, 20 de outubro de 2006

Conversa entre tias

Olá! Conta-me...Como correu o teu encontro na outra noite?
- Horrível! Não sei o que se passou!
- Porquê?... Não te deu nem um beijo?
- Sim!!!...Beijou-me tão forte! E mordeu-me os lábios com tanta força que pensei que me ia saltar o implante de colagénio!... Depois começou a acariciar-me o cabelo e soltaram-se algumas extensões que tinha.
- Não me digas que terminou aí?
- Nãooo...!! Depois agarrou-me a cara entre as mãos, até que tive que lhe pedir para parar porque estava a espalhar o botox! Além disso, as minhas pestanas postiças ficaram coladas no seu nariz.
- E não tentou mais nada?
- Sim...começou a fazer-me festas nas pernas. Tive que o travar porque me lembrei que não tinha tido tempo de fazer a depilação, e ao tentar pará-lo, saltaram-me duas unhas postiças. Depois deu-lhe um ataque de luxúria arrebatador e abraçou-me com tanta força que quase mudou a forma dos meus implantes de silicone.
- E depois o que aconteceu?
- Pôs-se a beber champanhe do meu sapato!
- Ai...que romântico!!!
- Romântico?...quase que morre ali mesmo!
- Porquê?
- Porque engoliu o corrector de joanetes e quase que sofocou!
- E depois, o que aconteceu?
- Acreditas que se foi embora???
- Cá para mim, era maricas!...

quinta-feira, 19 de outubro de 2006

Primeiro Beijo



Perguntas e respostas das pessoas amigas:

-> qual teria sido o nosso?
-> When I saw your letter, i though you were sending a photo of your first kiss to your fiance/or girl friend.But when I opened the attachment, I had a hearty laugh.
-> Grande porcaria! O teu concerteza que foi com um camelo..
-> Camelo do Jardim Zoológico, no momento que estava a ser penteado.
-> O meu primeiro beijo foi com um homem, mas no final veio a revelar um porco..

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Jornadas mundial de recusa da miséria

1992 - A Assembléia Geral da ONU define o dia 17 de outubro como dia Internacional para a erradicação da pobreza. O objetivo é criar a consciëncia da importância de erradicar a pobreza e a indigência em todos os países do mundo.

http://www.oct17.org/site/sommaire.php3?id_rubrique=8&lang=pt

"Por vezes a vida é dura, perde-se a esperança e deixa-se ir tudo por água abaixo.
Desde que esta Laje foi inaugurada no coração de Paris, sabemos que alguma coisa mudou. Nunca mais ninguém poderá negar nem esquecer os que sofrem da miséria no mundo."
"Esta Laje é para os que estão condenados a viver na miséria no mundo inteiro. Quando estamos sós, os esforços que fazemos não servem para nada. É preciso apoiar os que vivem na miséria tanto em França, como no resto do mundo e que, cada dia que passa, lutam para sobreviver. Juntemo-nos todos, para que toda a gente possa viver como ser humano."
"Para mim, a Laje é coisa séria, a respeitar : nela damos existência a todas estas vidas de sofrimento e de coragem que não são reconhecidas por ninguém."
"Foi um amigo que me convidou a vir até à Laje. Foi um grande choque para mim. Custava-me acreditar que homens, mulheres, famílias pudessem viver numa tal injustiça, dentro do meu próprio país...Com os meus colegas de trabalho, decidimos bater-nos, para que a nossa empresa desse trabalho e formasse trabalhadores sem qualificação."
"A Laje é a nossa lança, o nosso cavalo de combate à pobreza. É um local, onde cada encontro provoca o nascimento de qualquer coisa de novo no coração das pessoas. É o local donde toda a espécie de pensamento, de palavra ou de acção menos correctos e que possam atingir a dignidade e a vida dos seres humanos devem ser banidos."

"uma gota de salvamento num mar de sofrimento"

Nobel para Madre Teresa
Em 17 de outubro de 1979, Madre Teresa de Calcutá ganha o Prêmio Nobel da Paz. Ao receber o prêmio disse que sua obra é "uma gota de salvamento num mar de sofrimento". Sua mensagem é clara: "Juntos proclamamos com alegria a difusão da paz e percebemos que os pobres são nossos irmãos".

domingo, 15 de outubro de 2006

Costuma ser ao contrário...

Fim de tarde, um ginecologista aguarda sua última paciente que não chega.
Depois de 45 minutos, supõe que já não vem e resolve tomar um gim tónico para relaxar antes de voltar para casa. Instala-se confortavelmente numa poltrona e começa a ler o jornal quando toca a campainha...
É a paciente que chega e com os olhos cheios de lágrimas, pede desculpas pelo atraso. O dia tinha sido difícil.
- Não tem importância - responde o médico. Olhe, eu estava a tomar um gim tónico enquanto esperava. Quer um também?
- Aceito com prazer - diz a paciente.
Ele serve-lhe um copo, senta-se na sua frente e começam a conversar.
De repente ouve-se um barulho de chave na porta do consultório. O médico tem um sobressalto, levanta-se bruscamente e diz:
- É a minha mulher! Rápido, tire a roupa e abra as pernas...!

domingo, 1 de outubro de 2006

Dia Mundial da Música


A música clássica foi eleita para comemorar o Dia Mundial da Música um pouco por todo o país, embora as propostas passem também pelo jazz e...por música erudita com instrumentos de plástico.

http://news.google.pt/news?q=Dia+Mundial+da+m%C3%BAsica&hl=pt-PT&lr=&sa=X&oi=news&ct=title

quarta-feira, 27 de setembro de 2006

Depois de algum tempo..


"Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar a alma. E aprende que amar não significa apoiar-se e que companhia nem sempre significa segurança. E começa aprender que beijos não são contratos, e que presentes não são promessas. E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e os olhos adiante, com graça de um adulto e não a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, e o futuro tem o costume de cair meio em vão."

"Depois de algum tempo, você aprende que o sol queima, se ficar a ele exposto por muito tempo. E aprende que, não importa o quanto você se importe, algumas pessoas simplesmente não se importam... E aceita que, não importam quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo (a) de vez em quando, e você precisa perdoa-la por isso. Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que leva-se anos para construir confiança e apenas segundos para destruí-la, e que você pode fazer coisas em um instante, das quais se arrependerá para o resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias. E o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida. E que bons amigos são a família que nos permitiram escolher. Aprende que não temos que mudar de amigos, se compreendermos que os amigos mudam. Percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas com que você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa, por isso, devemos deixar as pessoas que amamos com palavras amorosas, pode ser a última vez que as vejamos."

"Aprende que as circunstâncias e os ambientes têm muita influência sobre nós, mas que nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa a aprender que não se deve comparar com os outros, mas com o melhor que você pode ser. Descobre que leva muito tempo para se chegar aonde está indo, mas que, se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve. Aprende que, ou você controla seus atos ou eles o controlarão, e não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existem dois lados."

"Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário fazer,enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática.Descobre que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute, quando você cai, é uma das poucas pessoas que o ajudam a levantar-se. Aprende que a maturidade tem mais a ver com tipos de experiências que se teve e o que se aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou. Aprende que há mais de seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens, poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.

Aprende que quando está com raiva, tem direito de estar com raiva, mas isso não lhe dá o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama mais do jeito que você quer não significa que esse alguém não o ame com todas as forças, pois existem pessoas que nos amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso. Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, e que algumas vezes, você tem que aprender a perdoar a si mesmo."

"E que, com a mesma severidade com que julga, será em algum momento condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára, para que você
junte seus cacos. Aprende que o tempo não é algo que se possa voltar para trás. Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E vocêaprende realmente que pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir mais longe, depois de pensar que não pode mais. E que realmente a vida tem valor diante da vida !!!"
por William Shakespeare

quinta-feira, 21 de setembro de 2006

DIA INTERNACIONAL DA PAZ

Este ano, a celebração do Dia Internacional da Paz é particularmente comovente e tem um propósito especial. Os acontecimentos perturbadores do último ano – os conflitos, a violência e o ódio, o atentado à bomba contra a própria sede das Nações Unidas em Bagdade, a profunda divisão entre os estados – suscitaram dúvidas fundamentais acerca dos esforços da comunidade internacional em prol da promoção da paz e do bem-estar de todos os seres humanos.

O Dia Internacional da Paz foi designado pela Assembléia-Geral das Nações Unidas “dia de cessar-fogo e de não-violência a nível mundial, um convite a todas as nações e povos para que honrem a cessação de hostilidades durante todo o dia “. Tem como objetivo silenciar as armas por algumas razões muito concretas: para que se possa prestar assistência humanitária mais facilmente; para que os civis possam sair das zonas de conflito em condições de segurança; para que se possam semear as culturas ou erguer abrigos, sem que estejam sujeitos à ameaça de destruição imediata; para que os refugiados e deslocados conheçam uma pausa nas hostilidades que os despojaram das suas casas.

Mas, é claro, o Dia Internacional da Paz deve ser também, para a comunidade internacional em geral, uma pausa para reflexão sobre as ameaças e desafios que enfrentamos. Em algumas partes do mundo, há a percepção de que as principais ameaças à paz e à segurança são as novas e potencialmente mais virulentas formas de terrorismo, a proliferação das armas não convencionais, a difusão de redes criminosas internacionais e as maneiras como todos estes problemas se juntam e reforçam mutuamente. Mas, para muitos outros habitantes do nosso planeta, a pobreza, a doença, a privação e a guerra civil continuam a ser as grandes prioridades.

O nosso desafio é garantir que haja regras, instrumentos e instituições para lidar com todas estas ameaças, não segundo uma hierarquia pela qual os assuntos são de “primeira ordem" ou de “segunda ordem”, mas sim como um conjunto de problemas globais, que ultrapassam fronteiras e afetam -- e devem preocupar -- todas as pessoas. As divisões que marcaram o último ano levantaram dúvidas sobre se essas regras e instrumentos serão adequados e eficazes.

No Dia Internacional da Paz, usemos essas 24 horas – esse breve período que esperamos seja relativamente calmo -- para iniciar um diálogo pacífico, que deverá prosseguir na Assembléia Geral, tendo em vista promover um consenso mundial em torno das principais ameaças à paz e à segurança no nosso tempo e, acima de tudo, sobre o que fazer em relação a elas.

Gentileza do Centro de Informação da ONU em Portugal

sexta-feira, 15 de setembro de 2006

Ajude a salvar o lobo ibérico


Se se preocupa com a extinção do lobo ibérico e gostaria de colaborar na sua conservação fazendo algo mais do que a ajuda financeira habitual, o Centro de Recuperação do Lobo Ibérico (CRLI), na Malveira, é o local indicado.

Nos 17 hectares do CRLI - situado na Freguesia do Gradil, perto da Malveira - vivem actualmente 27 lobos que já não podem viver em liberdade. O objectivo do centro é proporcionar-lhes boas condições de cativeiro.

Enquanto voluntário, poderá ajudar nas actividades de escritório, colaborar na recepção e apoio aos visitantes do centro, fazer observações aos animais e até ajudar na preparação da alimentação dos lobos.

O único pré-requisito é ter mais de 18 anos e assinar um termo de responsabilidade. Além destas ajudas, poderá ainda adoptar um lobo e ajudar nas despesas com a sua manutenção.

Se está interessado em passar para a acção, contacte o CRLI através do número 261.785.037 e marque o horário que mais lhe convenha.

Para outras informações sobre a espécie e o seu estatuto em Portugal, contacte o Grupo Lobo, através do número 217.500.073 ou via Internet: http://www.fc.ul.pt/lobo e globo@fc.ul.pt

Centro de Recuperação do Lobo Ibérico

A 40km de Lisboa e a 15 de Mafra, junto à localidade do Picão, após o recinto da Tapada Nacional de Mafra, encontra-s o Centro de Recuperação do Lobo Ibérico.

Criado em 1989 pelo Sr. Robert Lyle, com o objectivo de, segundo o próprio, proporcionar um abrigo para lobos feridos e promover um novo lar para lobos mantidos em más condições de cativeiro, este centro está aberto para visitas todos os fins-de semana e feriados. A época de visitas divide-se em duas temporadas: a primeira, de Verão, entre Maio e Setembro (que se realizam entre as 16h00 e as 20h00); a segunda, de Inverno, entre Outubro e Abril (que se realizam entre 14h30 e as 18h00).

http://tsf.sapo.pt/online/vida/interior.asp?id_artigo=TSF129778

domingo, 10 de setembro de 2006

ALGUNS DIAS EM SETEMBRO

O realizador Santiago Amigorena e a actriz Juliette Binoche vão estar em Lisboa para apresentar ALGUNS DIAS EM SETEMBRO, na antestreia em Lisboa, no Cinema Monumental, no próximo domingo, dia 10 de Setembro.

Esta é a primeira obra de Santiago Amigorena, argentino que conta com uma vintena de filmes enquanto argumentista, o filme, apresentado no Festival de Veneza, estreou em França a 6 de Setembro e em Portugal estreia no dia 14 de Setembro.
Quando passam cinco anos do dia 11 de Setembro, o filme levanta algumas questões sobre o que poderá ter estado por trás do atentado, situando-se nas antípodas de filmes como "Voo 93" ou "World Trade Center" e mostrando que essas não são as únicas visões que se pode ter sobre a tragédia.
Nos dias que antecedem o 11 de Setembro, Elliot, um espião americano desaparece sem deixar rasto e levando consigo uma informação crucial. Ao mesmo tempo, Elliot tenta rever a filha, Orlando, que abandonou dez anos antes. Organiza então um encontro, através de Irene, uma amiga de longa data, para o qual convida também David, o seu filho adoptivo. Mas Elliot não conta com a presença de William Pound, um assassino sem escrúpulos, poeta nos seus momentos...
Um filme inquietante sobre esses últimos dias de Setembro, em que uma ameaça invisível paira sobre todas as personagens, interpretadas brilhantemente por uma enigmática Juliette Binoche, um perturbador John Turturro e dois jovens actores revelação Sara Forestier e Tom Riley. Nick Nolte dá corpo a Elliot, o espião desaparecido, num filme a não perder.

Voo 93

Em 11 de setembro de 2001, o vôo 93 da United Airlines foi seqüestrado por terroristas como parte do atentado que levou à queda do World Trade Center, em Nova York. Os passageiros conseguiram descobrir que o vôo foi raptado e se sacrificaram para impedir que o avião chegasse a Washington e a tragédia fosse ainda maior. O filme acompanha os 90 minutos de duração do vôo, em `tempo real`.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006

sexta-feira, 1 de setembro de 2006

Lenda de Barcelos


Há muitos anos um peregrino galego passou em Portugal a caminho de Santiago de Compostela para pagar uma promessa e hospedou-se numa estalagem minhota. Como levava um grande farnel e fazia pouca despesa, o hospedeiro, que era muito ganancioso, entregou o honrado peregrino à policia acusando-o de roubo.
O pobre chefe de família, sem que ninguém o defendesse, pois era desconhecido naqueles sítios, foi condenado à morte por enforcamento.

Como última vontade, o galego pediu que o levassem até ao juiz que o tinha condenado. Quando o galego chegou a casa do juiz, ele estava com os seus amigos num grande banquete. Voltou a dizer-lhe que estava inocente e uma vez mais, ninguém acreditou nele...

Então no seu desespero, reparou num galo assado que estava numa travessa em cima da mesa, pronto a ser comido, e disse:
- É tão certo eu estar inocente como certo é esse galo cantar quando me enforcarem.

Todos se riram da afirmação do homem mas, resolveram não comer o galo.
Quando chegou a hora de o enforcarem, o galo assado levantou-se e cantou mesmo!

O juiz correu até ao sítio onde ele estava prestes a ser enforcado e mandou soltá-lo imediatamente.

Hoje, o galo de Barcelos, de barro colorido, é conhecido até no estrangeiro e lembrará para sempre esta lenda.

Para além da tradição e também a perpetuá-la, está a estátua de nosso Senhor do Galo, dentro de um nicho que se encontra no cimo de uma linda colina, mesmo ao sair de Barcelinhos.

quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Lenda do Palácio Nacional de Sintra


No Palácio Nacional de Sintra existe uma sala cujo o tecto está pintado com diversos desenhos de pegas.

Diz-se que o rei e a rainha que lá viviam nessa época fizeram casar mais de um cento de mulheres, entrando na conta as que ele próprio casou também, seguindo tão bons exemplos. Não havia uma ligação ilícita, nem um adultério conhecido. A corte era uma escola. D. Filipa, pregando ao peito o seu véu de esposa casta, com os olhos levantados ao céu, não perdoava. Terrível, na sua mansidão, trazia o marido sobre espinhos.

Certo dia, segundo reza a lenda, em Sintra, o rei esqueceu-se, e furtivamente pregava um beijo na face de uma das aias, quando apareceu logo, acusadora e grave, sem uma palavra, mas com um ar medonho, a rainha casta e loura. D. João, enfiado, titubeando, disse-lhe uma tolice: "Foi por bem!!!". A rainha saiu solenemente. Eram ciúmes? Não, ciúmes só sente quem está apaixonado, e não era o caso. Apenas sentia o seu orgulho ferido.

Rapidamente a notícia se espalhou pelo palácio, e toda a criadagem andava com a frase "Foi por bem" na boca. Chateado com a situação, o rei decidiu tomar uma iniciativa, mandou construir uma sala para a criadagem. Todos ficaram radiantes e contando os dias que faltavam para a sala estar pronta.

Finalmente chegou o dia, iam conhecer a sala. Qual não foi o espanto de todos ao verem que o tecto de tal sala estava todo pintado com pegas, que tinham escrito no bico "Pour Bien". (traduza-se por bem).

quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Lenda de Monserrate


Diz a tradição que nos tempos de domínio árabe morou naquele sítio, no alto da Penha, um moço árabe ou fidalgo cristão, que tinha grande predomínio com todas as famílias cristãs que habitavam a serra.

Esse moço árabe andava em rixa velha com o alcaide do castelo de Sintra, resultando dessa discórdia este vir desafiá-lo a um duelo. Deste duelo resultou a morte do moço árabe que ficou estendido no chão. Logo foi tido em conta por toda a gente como mártir, ao qual levantaram um túmulo e depois uma capelinha de oração.

Esta pequena ermida com o tempo ruiu, sendo em 1500 substituída por outra, edificada pelo padre Gaspar Preto, sob a invocação de Nossa Senhora de Monserrate, tendo vindo de Roma a imagem da Virgem, feita de alabastro.

terça-feira, 29 de agosto de 2006

Bush declara 29 de agosto Dia Nacional pelo Katrina

O presidente americano, George W. Bush, declarou 29 de agosto como Dia Nacional em lembrança da devastadora passagem do furacão Katrina pelo sul dos Estados Unidos, um ano depois, anunciou a Casa Branca nesta sexta-feira.

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Lenda do Cabo da Roca


Conta a lenda, que perto do Cabo da Roca, desapareceu de casa de sua mãe um menino, cuja idade rondava os cinco anos, sem que sua triste mãe pudesse saber onde ele estava. Já o presumia caído de alto penhasco abaixo no mar e afogado. Já o deplorava morto. Mas a verdade era outra. Umas bruxas o tinham tirado de sua casa e lançaram-no num despenhadeiro num monte sobre o mar.

Aos choros que o menino dava, acudiram uns pastores de gado que rapidamente deram a noticia à vila. De lá saíram muitos aldeões com a desconsolada mãe para socorrerem o pobre menino.

Para o tirarem do buraco que parecia de fundo inacessível foi uma tarefa complicada, mas rapidamente o conseguiram. Todos alegres por o verem são e salvo logo a mãe lhe perguntou quem o tinha posto ali; e quem lhe dera de comer durante tanto tempo. O menino explicou que tinham sido umas mulheres que o tinham trazido pelo ar e o tinham atirado para a tal cova, porém, disse que uma senhora, muito formosa, todos os dias lhe levava umas sopinhas de cravos para ele comer.

Depois da história explicada e tudo estar resolvido, toda a aldeia mais a mãe e o menino dirigiram-se à igreja para agradecer a Nossa Senhora tudo ter acabado em bem. Ao entrar na igreja e vendo a Senhora no altar o menino disse com estas formais palavras: "Ó mãe, eis ali a senhora que todos os dias me dava as sopinhas de cravo para eu comer". Este menino chamava-se José Gomes, mas foi sua alcunha que ficou conhecida na praça de Cascais, Chapinheiro.

Num retábulo pintado no interior da Igreja, que está ao pé do farol da Guia (Cascais), datado de 1858, encontra-se inscrito este milagre.

domingo, 27 de agosto de 2006

Interessante - O planeta Marte

O planeta Marte será o mais brilhante no céu noturno a partir de Agosto. Ele poderá ser observado a olho nu, tão grande quanto uma lua cheia, especialmene no dia 27, quando vai estar mais próximo da Terra.
Não deixe de observar o céu na noite de 27 de agosto, a meia-noite e meia, você verá duas luas!!! Não perca. A próxima vez que Marte vai aparecer assim será em 2287.

Marte é o quarto planeta em distância em relação ao Sol e pode ser visualizado sem ajuda de telescópio do planeta Terra. Tem uma atmosfera rarefeita e assemelha-se à Terra em vários aspectos. Sua atmosfera é formada de elementos tais como: gás carbônico, nitrogênio, argônio e oxigênio. A temperatura média de Marte é de aproximadamente 59 graus celsius negativos. Nos últimos anos tem sido o planeta mais estudado por agências espaciais do mundo todo, pois existem planos de buscar algum tipo de vida em marte e também projetos futuros e estudos para colonizar Marte. Grande parte destes projetos espaciais pertence a NASA.

sábado, 26 de agosto de 2006

Lenda da Peninha

Conta-se que no reinado de D. João III, na terra de Almoínhos-Velhos, havia uma pastora muda que tinha o costume de levar as suas ovelhas a pastar ao cimo da serra.

Certo dia, uma das suas ovelhas fugiu, deixando a jovem pastorinha desesperada em busca da tal ovelha.

Após longas buscas observou ao longe uma senhora que trazia consigo a sua ovelha.

A pastorinha agradeceu muito da maneira que pôde, visto que esta não conseguia falar.

A senhora, aproveitando a ocasião, pediu à pastorinha que lhe desse um pouco de pão. A pastora explicou-lhe, gestualmente, que esse ano tinha sido mau e havia muita fome. A senhora deu-lhe então um conselho:

- Quando chegares a casa chama pela tua mãe e procura pão.

A pastorinha tentou-lhe explicar que isso era impossível, pois para além de ter a certeza de não haver pão em sua casa, ela não podia chamar pela sua mãe, pois era muda. Mas a senhora tanto insistiu que a pastora decidiu fazer o que esta lhe dizia.

Ao chegar a casa chamou por sua mãe e a sua voz fez-se ouvir em toda a sua casa.

Contou a história a sua mãe e apressou-se em procurar o pão. E qual não foi o espanto das duas quando dentro de uma arca encontraram pão que chegou para a aldeia inteira.

No dia seguinte, como prova de agradecimento, toda a aldeia subiu à serra e precisamente no sítio onde a pastorinha tinha encontrado a senhora, estava agora uma gruta com a imagem de Nossa Senhora.

Esse local passou a ser sagrado e mais tarde foi aí construída uma capela, conhecida por capela de Nossa Senhora da Peninha.

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Lenda de Seteais


Seteais é um dos mais belos recantos de Sintra. O seu nome remonta a 1147, altura em que D. Afonso Henriques conquista Lisboa e Sintra se rende sem resistência, uma vez que ficava isolada do restante território árabe.

Segundo a lenda, um dos primeiros cavaleiros cristãos a subir a serra de Xentra foi D. Mendo de Paiva que encontrou uma porta secreta por onde fugiam vários mouros. Entre eles encontrava-se uma moura muito bonita com a sua velha aia.

Quando viu o cavaleiro, a jovem, por se sentir descoberta, suspirou.

A aia, aflita, pediu-lhe que não suspirasse mais. D. Mendo decidiu fazer a jovem sua prisioneira. Quando o disse à aia a jovem voltou a suspirar.

O novo suspiro da bela moura fez com que a velha aia confessasse ao cavaleiro que a jovem tinha sido amaldiçoada por uma feiticeira e que morreria no dia em que desse sete ais.

A revelação deste segredo fez com que a moura suspirasse de novo.

O cavaleiro não acreditou na história o que provocou outro suspiro da jovem. Quando o cavaleiro anunciou que fazia ambas suas prisioneiras a bela moura soltou novo suspiro. A pobre velha ficou desesperada porque a sua ama já tinha suspirado cinco vezes. O cavaleiro voltou a dizer que não acreditava em tais maldições e que iria procurar um local sossegado para onde as levaria.

Depois do cavaleiro se afastar surgiu um grupo de mouros que tinha ouvido a conversa e que se preparou para roubar as duas mulheres. Com um golpe de adaga cortaram a cabeça da velha ama o que provocou novo ai na jovem. Este foi o sexto ai. O sétimo foi a última coisa que disse, no momento em que viu a adaga voltear para lhe cair sobre o pescoço.

Quando D. Mendo voltou ficou muito triste e deu àquele recanto de Sintra, em honra da bela moura, o nome de Seteais.

quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Borlas

Cinema ao Ar Livre
No jardim da estrela, sempre ás 22 horas:
29- Dick e Jane-Ladroes sem jeito;
30- Kiss Kiss, Bang Bang;
31- Dizem por ai;
1- Zathura - Aventuras no Espaço;
2- Firewall;
3- O Código da Vinci.
Podem ver no site: www.jf-lapa.pt

Regresso à Idade Media II
Na pousada de São Filipe, na Serra da Arrábida, se viaja à era medieval. As Noites do Castelo - que terminam no próximo sábado, 26- prometem um serão diferente, com recriação de jantares da época.

ZimbraMel- VIII Feira do Mel da Peninsula de Setúbal
No Castelo de Sesimbra, de 25 a 27 de Agosto.

Delfins no Estoril
A banda liderada por Miguel Ângelo actua no DU Arte Lounge do Casino Estoril, na Quinta-feira, 24 de Agosto pelas 23.30.

Passeios na natureza
A câmara Municipal da Nazaré organiza até á proxima terça-feira, 29 de Agosto, actividades de sensibilização ambiental como os Passeios de Observação da Natureza e a Visita aos Cabozes e Passeio aos Golfinhos.

A catedral dos cocktails
Não termine o dia sem antes experimentar o cocktail Pink Mojito, no bar Cinco Lounge, no coração do Principe Real. Uma deliciosa combinação de tequilha, sumo de arando, hortelã fresca, lima e açucar mascavado.

PLANÍCIE MEDITERRÂNICA 2006 - XIV Festival Sete Sóis Sete Luas
Castro Verde, de 12 a 16 de Setembro de 2001
De 7 a 10 de Setembro, o diálogo entre as culturas mediterrânicas regressa a Castro Verde no âmbito da Planície Mediterrânica 2006, uma produção que integra a rede cultural da XIV edição do Festival Sete Sóis Sete Luas.
Em parceria com cerca de 30 pequenas cidades de diferentes países do sul da Europa, o Festival promove intercâmbios culturais que permitem uma permuta de experiências entre as diferentes culturas da bacia do Mediterrâneo e o desenvolvimento de novas manifestações artísticas.
Nesta edição, Castro Verde recebe Memória Andaluzí (um projecto original concebido por José Luís Rodriguez, que reúne em palco Nour Eddine, Marco Reis e Pastora Galván), Akim El Sikameya e Acquaragia Drom com "Mister Romano Tour", um espectáculo vibrante e irónico no original estilo cigano.
Este ano invoca-se a trilogia do mediterrâneo composta pelo "Trigo, Azeite e Vinho", dinamizando para o efeito um conjunto de iniciativas em torno desta temática, com destaque para o "Bafo de Baco - Roteiro das Tabernas" e para a "Tiborna", um sabor bem mediterrânico.
Vejam mais em
http://attambur.com/Noticias/20013t/planicie_mediterranica.htm

segunda-feira, 21 de agosto de 2006

REYES, MARIA JESUS ALAVA

A Inutilidade do sofrimento


O dia-a-dia é feito de dificuldades e contrariedades que, muitas vezes, nos fazem esquecer a importância das pequenas coisas da vida. Acabamos por nos sentir sempre insatisfeitos, sofrendo por antecipação com situações que até acabam por se revelar simples de resolver. É verdade que todas as pessoas sofrem. Mas, uma coisa é sofrer por um acontecimento doloroso, outra é passar o tempo a lamentarmo-nos por coisas sem grande importância e não fazermos nada para mudar. Para ajudar a descobrir este lado positivo da vida e a encará-la como uma dádiva que devemos receber de braços abertos.

«Carpe Diem, aproveitai o dia, porque o passado já era, e o futuro ainda não chegou!»

Um grande amigo aconselhou-me a ler este livro, no momento mais marcante da minha vida. Talvez me ajude a esclarecer dúvidas, e a saber aonde buscar energia e força para enfrentar o futuro...

"O importante na nossa vida são os pensamentos e não os acontecimentos"
"Podemos sentir-nos bem, ainda que a realidade que vivemos seja dificil"
"Tudo depende de ponto de vista"
"O ser humano sente-se mais feliz quando atinge uma meta dificil do que quando logra algo rapidamente e sem dificuldade."
"O presente pertence-nos."
"As situações podiam ser dificeis, mais dificeis. Mas sempre, inclusive nesses momentos, continuava a ter a possibilidade de sentir-se bem consigo próprio."
"Uma criança é um pequeno ser único, incrivel e singular, desde o momento em que nasce. É único porque não existe ninguém como ele, ainda que tenha um gémeo com idêntica carga genética, mas ele é só ele, tem o seu próprio temperamento."
"Viver cada dia como se fosse o ultimo da nossa vida"
"Aprendemos a viver o presente sem os condicionantes negativas do nosso passado."
"O mais recente que vovemos é o que mais gravado está na nossa mente."
"Quando perdemos a confiança em nós próprios, a nossa vida desmorona-se. Nesse momento, é extraordinariamente difícil de reagir, mas é ai que temos de lutar e não nos deixar vencer pela apatia, o desencanto, a tristeza, a falta de esperança, de fé..., a ausência de horizontes."

sábado, 19 de agosto de 2006

Noobai Café

Com uma vista magnifica sobre a cidade de Lisboa, no Miradouro do Adamastor em Santa Catarina, o Noobai Café oferece um menu recheado de coisas boas. Se é adepto de gaspacho, não deixe de experimentar esta iguaria. Segundo o suplemento da Visão desta semana.
Ou outras coisas boas..Entradas, coisas doces, batidos, chá deliciosos, etc...
http://www.noobaicafe.com/

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

O primeiro aniversário da morte do irmão Roger

16 de Agosto - 4ª feira às 19.45h
À semelhança do que acontece em Taizé gostariamos de assinalar este dia com uma oração na Igreja de São Nicolau na Baixa às 19.45h. Por favor divulguem!
Obrigada!

O primeiro aniversário da morte do irmão Roger será marcado de forma muito simples com uma Eucaristia celebrada às 20.30h de 16 de Agosto na Igreja da Reconciliação. Milhares de jovens de mais de 60 países, que estarão em Taizénessa semana, participarão na celebração.«Cristo de compaixão, tu concedes-nos estar em comunhão com aqueles que nos precederam e que podem permanecer tão próximos de nós. Entregamos nas tuas mãos o nosso irmão Roger. Ele contempla já o invisível. Seguindo os seus passos, tu preparas-nos para acolhermos um reflexo da tua luz.»

terça-feira, 15 de agosto de 2006

Livros na Feira do Livro 2006

"Dizei uma palavra e serei salvo"
Com uma vida marcada pela dor e pela perda, Jim passou a confiar apenas na palavra; imagina que só pela palavra escrita é capaz de expressar tudo o que ao longo da sua vida deixou por dizer reencontrando e recuperando assim o amor perdido.
Dizei Uma Palavra e Serei Salvo é uma história de aceitação do passado e de esperança no futuro. Profundamente sentida, espantosamente bem contada e escrita na prosa lírica e bem ritmada de Niall Williams. É simultaneamente um romance sobre as palavras, os livros, sobre a tentativa de compreender a dor. É um testemunho poderoso e íntimo da persistência do amor.

«Um livro maravilhoso, animador, repleto de esperança. Ofereçam-no a toda a gente!» Sunday Tribune

«Intenso, lírico… Pura emoção numa escrita admirável» The Times

"Os Factos de Vida"
Sete Irmãs vivem juntas sob a sombra da guerra, unidas pela lealdade, pelo amor, pelo medo e pela esperança. Até que chega uma noite alucinante em que Luftwaffe arrasa Conventry. No meio das tempestades de fogo que se propagam pela cidade, a irmã mais nova experimenta um despertar mágico que resultará, anos depois, no nascimento de um criança. Após o fim da guerra, os percursos das irmãs divergem, mas permanecem atraídas por esta criança extraordinária. À medida que o rapaz cresce, as circunstâncias conspiram para pôr à prova as suas lealdades mútuas, enquanto abrem o pano dum mundo de eventos verdadeiramente espectaculares.

«Adorei este livro! É uma saga épica acerca da família, do amor, e da magia. Há muito tempo que um romance não me encantava a este ponto.»
Isabel Allende

"O Historiador"
O sucesso deste livro que chega agora às bancas portuguesas, segundo os leitores, está na forma como a autora consegue entrar num mundo mágico que alguns consideram de máquina do tempo. O Historiador é um romance que decorre num ambiente histórico e relata o destino do homem que inspirou a lenda de Drácula. Neste thriller literário com pitadas de história de amor, a personagem principal começa por entrar numa outra dimensão quando está a limpar uns velhos livros do seu pai. Por entre um desses livros encontra um conjunto de cartas amareladas pelo tempo que têm a particularidade de começarem todas da mesma forma, com a expressão “Meu caro e desventurado sucessor”.
As cartas abrem caminho para um dos poderes mais perversos que a humanidade já conheceu e para uma busca que dura há séculos para encontrar a origem dessa perversidade e extingui-la. É uma busca da verdade sobre "Vlad, o Empalador", o governante medieval cujo bárbaro reinado esteve na base da lenda do Drácula. Gerações de historiadores arriscaram a reputação, a saúde mental e mesmo a vida para saber a verdade sobre este personagem e sobre Drácula. Agora, a jovem decide empreender por sua vez essa busca para seguir o pai numa perseguição que quase o destruiu quando ainda era um novo e entusiasta académico e a mãe ainda estava viva.

sexta-feira, 4 de agosto de 2006

Cantinho


Nas colinas de Taizé,
Nas paisagens verdejantes,
nos lugares mais lindos,
no local mais silencioso
encontrarás o teu cantinho.

Um cantinho de paz,
um cantinho de convivio,
com diversas pessoas
diferentes linguas, raças, cores culturas
e diferentes experiencias de vida.

Um cantinho mas perto de Deus,
aonde podemos abrir os corações,
aonde podemos conviver sem mágoas,
aonde podemos trocar experiências,
aonde podemos fazer amizades.

Numa comunidade, numa aldeia,
aonde existe simplicidade
dedicação, amor e paz,
organização e trabalho,
aonde podemos dar e receber
ou não receber sem receios.

LMCF

terça-feira, 1 de agosto de 2006

Roy, Arundhati

Deus das Pequenas Coisas

Um primeiro romance que mereceu imediatamente, em 1977, o "Booker Prize", o mais importante prémio literário da língua inglesa. "A qualidade do livro é tão extraordinária - é uma obra ao mesmo tempo moralmente tão intensa e de uma tal riqueza imaginativa - que o leitor permanece completamente agarrado até ao final".

segunda-feira, 31 de julho de 2006

Oração

Os sinos tocam,
ultimas badaladas
tudo em oração,
um silencio total,
milhares de pessoas,
na sua diversidade,
raças, linguas, classes,
idades, sexos, castas
momentos de silêncio,
apenas ouve-se
o cantar dos passaros.
Os olhos fecham
tudo aguarda
aquele toque,
aquele inicio,
o arranque das melodias.
Quando começa,
todos cantam,
tudo vibra,
coração pula,
pela emoção de uma suave melodia.
Um olhar em redor,
mistura de cores,
mistura de diversidades,
tudo belo e tudo bonito
tudo estranho e tudo diferente.........

LMCF

domingo, 30 de julho de 2006

Chegada a Taizé

Sejamos bem-vindos
sejamos bem-acolhidos
uns chegam e alegram de reviver Taizé,
outros partem e levem o espirito de taizé,
no coração, a tristeza de dizer até um dia.

Escolhemos tema, escolhemos trabalho,
escolhemos camarada, companheira..

Na simplicidade de uma aldeia
tudo é tão simples, tão sereno,
tudo se medita, tudo se resolve
mesmo aquilo que não tem solução.

Um pouco de tudo,
Oração, silêncio, organização, diversão, meditação
e no fim, uma noite bem descansada.

LMCF

sábado, 29 de julho de 2006

Encontros em Taizé


O Acolhimento sempre representou uma parte essencial da vida em Taizé. Semana após semana, ao longo de todo o ano, jovens de todos os países da Europa e também de outros continentes vêm participar em encontros centrados na «vida interior e solidariedade humana».

De um domingo até ao domingo seguinte, cada um é convidado a entrar no ritmo de uma vida comunitária durante uma semana: reunir-se com os irmãos três vezes por dia para a oração, juntar-se a pessoas de outros países para os encontros, as refeições, as discussões em pequenos grupos, e diversos trabalhos.

Existem encontros para jovens, adultos de mais de 30 anos e para famílias com os seus filhos. Encontra-se também uma página destinada à preparação da vinda de grupos de jovens.

sexta-feira, 21 de julho de 2006

Amor e Destino

"Somos uma mãe natureza,
uma rosa vermelha, rosa, amarela, branca,
seja ela qual for a sua imensa beleza.

Nascemos, crescemos, sobrevivemos
ao vento, á chuva, á violência,
á tempestade, ao sol, tórrido,
ás tristezas de não mexermos,
ás alegrias de ver o sol.

Mais cedo ou mais tarde
Mudamos de vida
conhecemos outras caracteristicas,
seja felicidade, sentimentos sinceros.

Em nome do amor e do destino
de uma vida melhor
a tudo resistimos, a tua sobrevivemos,
a tudo damos vida...

Teremos que viver
o nosso próprio destino
o rumo já traçado
das nossas vidas."

LMCF

quarta-feira, 19 de julho de 2006

50 anos - Fundação Calouste Gulbenkian

Criada a 18 Julho de 1956, a Fundação Calouste Gulbenkian comemora este ano o seu cinquentenário. Ao longo de anos 2006 e 2007, vamos celebrar 50 anos de actividade, em Portugal e no Estrangeiro, nas nossas 4 áreas-chave de actuação:
-Arte (belas artes e música)
-Beneficência (saúde e desenvolvimento humano)
-Ciência (investigação e divulgação)
-Educação (apoio e desenvolvimento educativo)

segunda-feira, 17 de julho de 2006

Pai

As saudades são grandes,
A tua falta é sentida,
mas no coração sempre estarás presente..

Existe um enorme buraco,
existem muitos problemas,
mas basta lembrar-me de ti,
lembrar-me como resolvias os problemas,
lembrar-me do teu olhar..

Hoje, sente-se mais a tua falta,
mas sinto-te por perto..
Tu estás perto de Deus,
estás aonde não existe dor nem sofrimento..

Neste dia especial,
e em todos os dias,
Adoro-te Pai..

quinta-feira, 13 de julho de 2006

Bar dos Geméos - um espaço diferente!

E com o calor a apertar só apetece ir para a praia. Aqueles que têm a sorte de viver perto da praia podem sempre dar o saltinho a uma esplanada depois das aulas e ao fim de semana todo o tempo é pouco para fugir à rotina do dia-a-dia.
11/05/06
Se bem que cada um de nós tem as suas esplanadas de eleição, o Inverso sugere-te hoje uma opção diferente O Bar dos Gémeos, em Carcavelos.
O Bar dos Gémeos fica na zona de Carcavelos e tem uma longevidade de mais de 10 anos. Depois de ter surgido para conquistar o mercado rapidamente se tornou numa referência. Foi na Praia da Mó, algures entra as praias da Torre e de Carcavelos, que dois irmãos gémeos resolveram construir o seu sonho: um bar, para os apreciadores de jazz e de um serviço com classe. Aqui podes ouvir jazz de qualidade, fundido com a música das ondas do mar.
Grandes apreciadores do meio ambiente e perfeitamente conscientes dos perigos que o rodeiam hoje em dia, estes empresários disponibilizam durante a época balnear alguns utensílios curiosos, como é o caso de latas de refrigerante recicladas e transformadas em cinzeiros de praia, assim ninguém tem desculpa para colocar a beata na areia. O bar foi ainda um dos pioneiros a fazer recolha selectiva de lixo, separando o papel do vidro, das latas, do plástico e das pilhas.
À noite este bar é o espaço ideal para apreciar um bom whisky ou um bom chocolate quente.

"Há já sete anos que fazemos a separação do lixo. Tentamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que este bar seja tão agradável para as pessoas como também para o ambiente", afirma. "Não se imagina a quantidade de beatas que as pessoas deixam no areal depois de um dia inteiro de praia", observa, acrescentando: "Até agora a adesão aos cinzeiros tem sido fantástica."

Mesmo próximo da esplanada, à beira das rochas junto ao mar, uma estrutura em madeira, com três trelas e um depósito de água, "parque de estacionamento" para cães, permite que os donos aí deixem os seus fiéis amigos, à sombra, "enquanto se evita que estes estejam a incomodar os restantes clientes do bar, ou a envolverem-se em balbúrdias com outros animais"!

Não se pode proibir sem que também se arranjem alternativas", alega Rui Barreto. "Se não queremos beatas na areia, temos que disponibilizar cinzeiros, se não queremos cães na esplanada temos que arranjar um sitio onde se possa deixá-los".

terça-feira, 11 de julho de 2006

Radiação ultravioleta atinge pico de intensidade

Não se vêem, não se sentem e, no entanto, causam cancro da pele, cataratas e diminuem a eficácia do sistema imunológico, entre outros problemas. Estamos a falar das radiações ultravioletas que atingem esta semana um pico de intensidade em Portugal. O Instituto de Meteorologia prevê índices entre os nove e onze, sinal de proibição à exposição solar sem protecção.

Os índices de raios ultravioletas (UV) atingem os valores mais elevados desde sábado, prevendo-se uma ligeira diminuição para hoje, voltando a subir amanhã. Isto porque é a altura do ano em que o sol está muito alto e o ozono é menos abundante. A maior intensidade dos UV nada tem a ver com as elevadas temperaturas do ar atingidas esta semana. "Há factores coincidentes, mas não há uma relação casual", explica o meteorologista Diamantino Henriques.

A prova é que o maior índice de ultravioletas regista-se na Madeira (11), que tem temperaturas na ordem dos 25 graus, enquanto o Continente, com uma onda de calor que atinge os 35 graus, tem um nível de radiação inferior.

A radiação UV é cada vez mais preocupante porque está a diminuir o ozono atmosférico, que é o único gás que absorve de forma significativa os raios. "A natureza não é capaz de repor a camada de ozono à mesma velocidade com que é destruída, logo é previsível que se venham a verificar valores mais elevados de radiação ultravioleta de ano para ano", diz Diamantino Henriques. Os actuais índices de UV nos Açores e a Madeira devem-se, precisamente, a uma invasão de ar tropical estratosférico menos rico em ozono.

O maior problema, alertam os médicos e físicos, é que os raios ultravioletas não se sentem, ao contrário do que acontece com os infravermelhos. Neste último caso, o desconforto causado pelo calor leva a que as pessoas procurem uma sombra e a protegerem-se com roupa, chapéu e protectores solares.

Mesmo em dias de nevoeiro, podem apanhar-se queimaduras solares, porque a exposição aos ultravioletas é mais prolongada que num dia em que o céu está limpo. "A ultravioleta emite uma energia muito pequena, mas é muito eficaz para o efeito da queimadura na pele, por exemplo", diz Diamantino Henriques.

Um estudo da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia concluiu que a maioria dos inquiridos não sabe definir raios UV e apenas 37,9% indicam que as lentes escuras com protecção eram a medida mais indicada para proteger os efeitos nocivos deste tipo de radiação

segunda-feira, 10 de julho de 2006

Viver é um espectáculo imperdível

Podes ter defeitos, viveres ansioso e ficares irritado algumas vezes,
mas não te esqueças de que a tua vida é a maior empresa do mundo.
Só tu, podes evitar que ela vá à falência.
Lembra-te sempre de que ser feliz não é ter um céu sem tempestades,
caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar "eu errei".
É ter ousadia para dizer "perdoe-me".
É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de ti".
É ter capacidade de dizer "eu amo-te".
Faça da sua vida um canteiro de oportunidades.
Que nas suas primaveras seja amante da alegria.
Que nos seus invernos seja amigo da sabedoria.
E, quando errar o caminho, comece tudo de novo.

Pois assim serás cada vez mais apaixonado pela vida e
descobrirás que ser feliz não é ter uma vida perfeita,
mas é usares as lágrimas para irrigares a tolerância,
usares as perdas para refinares a paciência,
usare as falhas para esculpires a serenidade,
usares a dor para lapidares o prazer,
usares os obstáculos para abrires as janelas da inteligência.

Jamais desistas de ti mesmo.
Jamais desistas das pessoas que amas.
Jamais desistas de ser feliz, pois a vida é um espectáculo imperdível...

domingo, 9 de julho de 2006

Passeio: Obidos, Foz de Arelho, Lagoa de Obidos


Uma verdadeira maravilha, o castelo de Óbidos está completamente restaurado sendo assim um dos mais belos castelos em uso.

Assente sobre modesto penhasco à beira de extenso areal que ainda há pouco mais de dois séculos as águas do mar cobriam, Óbidos pode orgulhar-se do seu interessante castelo.

Formando quadrado, com uns trinta metros de lado, a muralha casteleira, reforçada de torreões cilíndricos nas faces setentrional e austral, bem como nos vértices de noroeste e sudoeste, e de torres quadrangulares nos de nordeste e sueste, cerca um terreiro no qual se erguia o paço do alcaide, a cujas ruínas deu nova vida a obra de geral restauro empreendida há poucos anos pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais. Uma robusta torre, adossada a Face ocidental da muralha, integra se no conjunto casteleiro. A face oriental da muralha constitui, por assim dizer, a parte nuclear daquela que envolve castelo e vila, e que, prolongando-se por um e outro lado em direcção sul, vai fechar em ponta, percorrido cerca de meio quilometro, na chamada Torre do Facho, afectando assim, muito aproximadamente, a configuração de um estirado triângulo isósceles. No seu conjunto, o actual castelo de Óbidos representa a fase final duma série construtiva que é possível acompanhar, por vezes mesmo documentalmente.


A partir das Dunas de Salir do Porto, desfruta-se uma paisagem ímpar de beleza, pela estrada Atlântica em direcção à Lagoa de Óbidos. Este plano de água é um dos mais bonitos locais da costa ocidental de Portugal, e constitui um frágil ecossistema, onde diversas espécies encontram um privilegiado habitat. Numerosas aves aquáticas e migratórias podem aqui ser observadas, mas é sobretudo ao nível dos moluscos bivalves que reside a importância da fauna desta área. Até ao final da Idade Média a Lagôa estendia-se até ao sopé da Vila de Óbidos mas a evolução da linha da costa, numa constante mutação, limitou substancialmente o seu perímetro. Ainda assim, a lagoa tem uma extensão apreciável sendo local excepcional para a prática de diversos desportos como o remo, a vela e o windsurf.
Junto à Lagoa a Praia da Foz do Arelho, é um lugar onde a natureza nos brindou, com as suas excepcionais qualidades terapêuticas e um extenso areal, local de eleição para surfistas, as águas calmas e tranquilas da Lagôa são um encanto para as crianças. Na zona do pequeno cais, pode comprar toda a variedade de espécies que a Lagoa oferece, do berbigão às ameijoas, nesta praia encontra óptimas esplanadas e restaurantes, onde se pode deliciar com pratos de peixe, enguias fritas, ameijoas e a magnifica caldeirada da Lagoa.

MUNDIAL 2006




1º Lugar: Itália
2º Lugar: França
3º Lugar: Alemanha
4º Lugar: Portugal

sábado, 8 de julho de 2006

Patins em Linha

Quem acompanhou o desporto alternativo em Portugal durante os anos 90, lembra-se concerteza da invasão dos patins em linha que tiveram o seu momento alto a meio da última década.
Durante os anos de 95 e 96, a moda desportiva chamava-se In-Line e toda a gente queria experimentar as rodinhas mágicas que deslizavam um pouco por todo o País.
Além do mais, este desporto proporcionava momentos de espectáculo notáveis, sempre que os melhores atletas nacionais entravam em acção, executando saltos sobre rampas e fazendo incríveis perícias ao deslizar sobre corrimões.
Os patins em linha foram também um dos maiores fenómenos desportivos de adesão popular dos últimos 10 anos, dado que ao contrário dos seus congéneres radicais como o Surf, Bodyboard, Skate ou Parapente, não era preciso molhar o cabelo nem ser muito temerário para experimentar a nova sensação desportiva.
Mas quando parecia que a modalidade ia tomar conta dos hábitos desportivos dos Portugueses, eis que se dá uma espécie de truque de ilusionismo e os ditos patins desaparecem da circulação como por magia.
Em 1997, a febre do "In-Line" tinha desaparecido, o público procurava a nova grande sensação. Dos tempos áureos dos patins em linha, restavam apenas alguns praticantes incondicionais e um parque de patinagem em Lisboa, junto à Foz do Tejo em Algés.

O que aconteceu?
Muito simplesmente, calculou-se mal o desenvolvimento do fenómeno, porque não existiam infra-estruturas para a prática da patinagem em Portugal, nem ao nível do desporto radical (skateparks), nem ao nível do desporto de manutenção (zonas de circulação ciclo-pedestre).
Em 1998, ainda ouve uma espécie de reanimação artificial, quando a EXPO 98 apresentou uma área consagrada à patinagem, perto da entrada norte da feira.
Praticamente 20.000 pessoas patinaram durante os 4 meses e meio que durou a exposição mundial, muitos deles estrangeiros. Mas terminada a feira o entusiasmo arrefeceu novamente, restando apenas o "In-Line Parque Portugal" na foz do Tejo, um projecto que viria a encerrar em 2000, por motivo de obras.
Mas então, qual o motivo para falar-mos em patins, depois do seu enterro histórico no final dos anos 90? Simplesmente porque eles estão de volta e mais fortes do que nunca!
A principal explicação para o ressurgimento dos patins em linha é aliás, bastante irónica: a moda é ciclica, (veja-se o recente boom das calças de ganga), e tanto na roupa como no desporto, os fenómenos repetem-se periodicamente. Entretanto chegou a vez do mercado Europeu voltar a recuperar as "Rodas em Linha".
Enquanto isso, no nosso País, assistiu-se nos últimos anos ao aparecimento de muitas insfra-estruturas adequadas à pratica do In-Line, nomeadamente as tão cobiçadas ciclo-vias e os polémicos skateparks. Tudo isso, leva-nos a pensar que este relançamento dos patins possa ser mais estável que o fenómeno de moda "In-Line" dos anos 90.

Larita experimentou e ADOROU. Tinha 3 professores para 2 alunas, que explicavam muito bem, debaixo de um sol torrido tiveram muita paciência!!!!!!

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Danças de Salão

Em cada passo
percorremos diversos caminhos,
em cada giro
viajamos o mundo,
em cada olhar
transmitimos desejos,
em cada toque
multiplicamos sensações,
em cada queda
transcendemos a emoção,
em cada dança
sonhamos; com os pés no chão.


Por Rinaldo Donizete de Freitas

quinta-feira, 6 de julho de 2006

A Borboleta e a Flor


Um homem pediu a Deus uma flor e uma borboleta.
Deus deu-lhe um cacto e uma lagarta.
O homem ficou muito triste e não entendeu o porquê de seu pedido ter vindo errado, mas não questionou.
Passado algum tempo, o homem foi verificar o pedido que deixara esquecido.
Para a sua surpresa, do espinhoso cacto havia nascido a mais bela das flores e a horrível lagarta transformara-se em uma belíssima borboleta.

Deus age sempre certo.
O Seu caminho é o melhor, mesmo que aos nossos olhos pareça estar tudo errado.
Se pediste uma coisa à Deus e recebeste outra, confie.
Tenha a certeza de que Ele dá sempre o que precisa, no momento certo.
Nem sempre é o que se deseja, é o que precisas.
Como Ele nunca erra na entrega de seus pedidos, siga em frente sem murmurar ou duvidar.

O espinho de hoje...Será a flor de amanhã!

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Final e 3º/4ª lugares - MUNDIAL 2006




09/07  20H  J16: Vencedor J13: Itália 1-1 Vencedor J14: França
Penaltis: Itália 5-3 França
08/07  20H  J15: Derrotado J09: Alemanha 3-1 Derrotado J11: Portugal

Amor e Paixão

Então e o amor... a paixão?
O amor é o sorriso, o que nos faz feliz quando estamos tristes. O que nos faz acreditar de novo no mundo, recuperar a nossa confiança. Somos amados e amamos, quem disse que eu não servia para nada? Damos e recebemos prazer, trocamos ternuras. Não consegues controlar a tua impaciência, o teu desejo de que alguém apareça e te arrebate, te deixe nas nuvens... a pairar de amor. Mas o amor não se encomenda, "por favor queria um amor para levar, linda de morrer, simpática e com recheio de bom humor".

É preciso....
Aprender
Esperar
Dar
Receber
Partilhar
Construir
Apreciar.

No entanto, como evitamos sofrer de amor... Somos levados pelos nossos sonhos pelas nossas fantasias. Idealizámos namorados, construímos castelos de amor. Temos medos, chorámos, batemos com as portas. O amor é tudo isto, a fantasia, a espera, a ansiedade as palpitações, o nó no estômago, a reconciliação com a vida.

Depois da dor, como conservar a inocência?
Leia um bom livro, legue as lágrimas à ciência.
E parta o vidro em caso de necessidade.
Deixe o seu coração em liberdade.


Aos Amores!

Amizade

Descontrai-te, sorri e não tenhas medo de dizer asneiras. Porque não perguntar: "Então, como vão as coisas?", ou, "Olá!, eu sou o João. Posso sentar-me ao pé de vocês, estava ali naquela mesa sozinho. Acho que andamos na mesma escola". Depois não fiques calado, fala, sorri, procura encontrar interesses em comum. Tal como na conquista amorosa, o que custa mais é o primeiro passo, depois é fácil, basta seres espontânea(o).
Tu mesmo!

É difícil fazer amigos, mas mais difícil é perder os amigos. Um amigo é um confidente, um conselheiro, um ombro quente. As amizades crescem, modificam-se, acabam. Não são sempre iguais. A tua amiga mudou-se com os pais para longe, o teu amigo preferiu a companhia da namorada. Ou simplesmente o teu conceito de amizade é diferente do conceito dos outros. Sentes que arrancaram um bocadinho de ti, abandonada.

Descobre novas formas para as tuas amizades, escreve cartas, manda e-mails, visita os teus amigos fora da escola. O teu mundo não são as quatro paredes de uma sala de aula ou o recreio da tua escola.

Lá porque são os teus amigos também é importante conseguir-lhes dizer não, quando sentires que é necessário. Ser livre, independente e autónomo é também saber dizer não. Os verdadeiros amigos compreendem e aceitam.

O melhor amigo/a
"Gostava que conhecessem a minha melhor amiga. Passamos horas a falar, na escola, ao telefone (quando a minha mãe descobrir a conta vai ser um sarilho...), contamos segredos, fazemos planos. Andamos de braço dado na escola e enfrentamos tudo e todos".

Existe uma grande cumplicidade entre ti e a tua amiga. É como nos filmes: uma amizade para sempre, mais forte que o amor... Mas a amizade também pode estar sujeita a algumas provas. Sentes que a distância entre vocês aumenta quando arranjas um namorado. A tua amiga sente-se traída e abandonada.

Nas amizades, tal como no amor, a conversar é que as pessoas se entendem. Fala com ela e explica-lhe que continuas a gostar dela, que queres continuar a ser sua amiga. Não devemos ter exclusividade sobre os nossos amigos, eles podem ter outros amigos ou um amor especial. Ela irá compreender e a vossa relação irá crescer, mais sincera e bonita.