Meus outros blogs:

sábado, 31 de outubro de 2015

Halloween


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Animal do Dia: Lémures


Os lémures pertencem à Ordem dos Primatas e infra-ordem dos Lemuriformes.
Os lémures são animais com o corpo coberto de pelo lanoso e muito macio. Têm olhos grandes e caudas geralmente longas e peludas. O seu focinho parece-se com o da raposa.
Os lémures podem ir de 30 gramas (o lémur-rato-pigmeu) aos 10 kg (o indri).
Os lémures vivem nas árvores das florestas tropicais da Ilha de Madagáscar (quarta maior ilha do planeta) e em algumas pequenas ilhas circundantes.
Os lémures são uma espécie ameaçada de extinção e isso deve-se por um lado à destruição/ desmatamento da sua floresta tropical e, por outro lado, à caça ilegal feita por alguns habitantes da ilha.
Os lémures vivem em grupo (até 25 elementos), pois assim estão mais seguros e defendem melhor o seu território.
Podem viver de 20 a 25 anos e são normalmente as fêmeas mais velhas as líderes do grupo. Quando há conflitos, são elas que lutam.
Estes animais são geralmente noturnos, por isso passam o dia a dormir nos troncos das árvores. 
Quando há perigo, os lémures soltam um grito que em grupo se torna muito assustador. Aliás, quando os primeiros europeus os ouviram, pensavam que se tratava de fantasmas.
É por esta razão que têm o seu nome. Lémure significa “fantasma”.
Os seus dedos e mãos fortes ajudam-nos a trepar às árvores facilmente.
Se umas espécies preferem andar pelo chão, outras consideram-no um desafio e preferem as copas das árvores, onde vão saltando de ramo para ramo.
O lémure é geralmente herbívoro e insetívoro, mas também há espécies omnívoras (como os ratos-lémures).
As espécies mais pequenas alimentam-se de frutos, folhas, néctar, insetos, pequenos vertebrados e ovos roubados a outros animais.
O resto da espécie é essencialmente herbívora, embora complemente a sua dieta com insetos.

Saci Perere

O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil.
O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.
Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia europeia um gorrinho vermelho.
A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser  muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc.
Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.
Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau.

domingo, 25 de outubro de 2015

Animal do Dia: Canguru


- O Canguru é um animal mamífero marsupial.

- O habitat dos cangurus são as planícies da Austrália e da Papua Nova Guiné.

- A alimentação dos cangurus consiste em frutas e vegetais.

- Um canguru adulto pesa em média 80 quilos. Com relação à altura, medem, em média, de 1 a 1,40 metros.

- O período de gestação da fêmea é de 30 a 40 dias. Em cada gestação nasce apenas um filhote. O filhote nasce bem imaturo. É no marsúpio (espécie de bolsa da mãe canguru), que ele vai se desenvolver durante um ano. Ganha também amamentação e protecção da mãe.

- O pelo dos cangurus é grosso e, grande parte das espécies, possui pelagem na coloração cinza escuro ou castanho (com a região do peito e barriga na cor creme).

- Os cangurus são animais velozes. Um adulto pode atingir até 50 km/h de velocidade.

Curiosidades sobre os cangurus:

- O Canguru é o animal símbolo da Austrália.

- Os cangurus da espécie Macropus rufus, conhecidos como cangurus vermelhos podem atingir até 1,40 metros de altura. Esta espécie é a maior do mundo entre todos os marsupiais.

- Os cangurus vermelhos podem saltar a uma altura de quase 2 metros.

- Os cangurus machos costumam lutar para ganhar o direito de reprodução com uma fêmea.

https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTNaReQe98R2IH6zB3QUK3zI3k8qkOzi0CJpAvcsSIgVW9A1Vfhew

sábado, 24 de outubro de 2015

A importância da Criança Interior

Criança interior: "Quem é essa????"

É a nossa parte mais genuína, mais brincalhona, sensível, espontânea, criativa, não condicionada, que acredita e que questiona tudo, que vive dentro de ti, mas que foi deixada para trás, algures na tua vida, por vários motivos."

Lê este texto e pergunta-te: "Onde é que eu deixei a minha Criança Interior? Quando é que perdi o brilho dos meus olhos? Quando é que deixei de brincar? Quando é que deixei de acreditar na vida, nos homens... em mim?"


"O grande homem é aquele que não perde o coração de criança"  (Mestre meng, taoísta)

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

23 de Outubro Dia Mundial de Combate à Poliomielite (Paralisia Infantil)

Rotary é uma ONG Mundial que desde 1984 procura erradicar esta doença através da vacinação das crianças em todo o mundo gratuitamente.
Um enorme esforço tem sido feito por milhares de voluntários e doações para que em 2017 seja declarada a erradiação da doença.

África deixou de ser um continente endémico da Pólio este ano; hoje só existe ativo o vírus tipo 1 da Pólio e em todo o mundo e até agora temos registados 51 casos de pólio (38 no Paquistão e 13 no Afeganistão).

Por isso podemos dizer que “FALTA MUITO POUCO” para chegar ao FIM.

A luta contra a Pólio é uma iniciativa que o Rotary e seus parceiros não podem empreender sozinhos.
Ajudem-nos a conseguir erradicar esta doença para protegermos todas as crianças da paralisia infantil.

AJUDEM / DIVULGUEM / LIGUEM

Obrigada pela vossa atenção.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Regresso ao Futuro

Regresso ao Futuro + Documentário Back in Time

http://www.ulisboa.pt/wp-content/uploads/notícia_A-940x529.jpg
A sessão especial na Aula Magna pretende celebrar a famosa data do filme Regresso ao Futuro II.
Para comemorar os 30 anos do filme será lançado o documentário “Back in Time” sobre a trilogia Regresso ao Futuro. O documentário conta com entrevistas com o ator Michael J. Fox, o realizador Robert Zemeckis, o produtor Steven Spielberg e outras estrelas do elenco, uma reportagem com os fãs e a história da substituição de Eric Stoltz — o ator inicialmente escolhido para o papel de Marty McFly — cinco semanas após começarem as filmagens.
A sessão especial na Aula Magna contará com a exibição do filme “Regresso ao Futuro II” e a estreia absoluta e exibição única do documentário “Back in Time” em Portugal.
A entrada é livre.
Apoio: Associação Portuguesa de Doentes de Parkinson e M80 Rádio
Data: 21 de outubro de 2015
Hora: 18h30
Local: Aula Magna, Reitoria da Universidade de Lisboa

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Convento dos Cardais

O Convento dos Cardaes

O edifício do século XVII é uma jóia na cidade, uma peça única. Sobreviveu ao terramoto de 1755 e é por isso uma das poucas estruturas pré-pombalinas que hoje existem. Guarda em si um significativo acervo de artes sacra e decorativas, conservado ao longo dos séculos por irmãs dedicadas à devoção. Mas não há nada que dê mais alegria a este convento do que a obra iniciada no século XIX e que ainda hoje se mantém viva: o acolhimento de pessoas portadoras de multideficiência grave, incluindo cegueira, que aqui têm a sua casa, a sua família.

LINK do site do Convento:

LINK com localização (bairro alto):



Imagem intercalada 3

Imagem intercalada 6

Imagem intercalada 7

Imagem intercalada 5

Imagem intercalada 2

Imagem intercalada 4

Imagem intercalada 1

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

domingo, 18 de outubro de 2015

Animal do Dia: Preguiça

http://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2013/09/bichos.jpg
O bicho preguiça, cujo nome científico é Bradypus Variegatus, tem como estratégia de sobrevivência os movimentos lentos e silenciosos e a pelagem que se confunde com as árvores, desviando a atenção dos predadores naturais.
Natural da Mata Atlântica e da Amazónia, a preguiça pode ser encontrado também em outros países da América do Sul e da América Central. Embora ainda não seja considerado um animal em extinção, já está a desaparecer de diversas regiões onde era comum.
O desmatamento é a principal causa do desaparecimento da espécie, que passa quase todo o tempo do seus 50 anos de vida (em média) em cima das árvores, onde se alimentam de 22 espécies diferentes de vegetação da Mata Atlântica e dormem cerca de 14 horas diárias. Vítimas também das queimadas, as preguiças costumam fugir para áreas próximas às cidades, tornando-se uma presa fácil para caçadores ilegais.
Animais de hábitos solitários, os machos e as fêmeas só se encontram para acasalar. A gestação dura de seis a oito meses, nascendo apenas um filhote, entre os meses de agosto e setembro. Quando adulto, a preguiça pode pesar até cinco quilos e medir 59 centímetros da ponta do nariz a ponta da cauda. O filhote mama durante um mês, permanecendo com a mãe até aos cinco meses, para aprender a se locomover e se alimentar sozinho. Atualmente, o homem é seu principal predador, já que os predadores naturais, aves de rapina e grandes felinos estão em extinção.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Comunidade Cultura e Arte — A Paramount criou um canal no youtube com 150...


http://comunidadeculturarte.tumblr.com/post/130811513264/a-paramount-criou-um-canal-no-youtube-com-150

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Calimero


 


O Calimero foi criado pelos italianos Nino e Toni Pagot. O boneco surgiu como um desenho animado para um anúncio de um sabão. Com o sucesso do anúncio foi produzida a primeira série de desenhos animados.
Depois de duas séries produzidas em Itália entre 1971 e 1973, a Toei Animation produziu duas séries. A primeira em 1974 com 47 episódios e a segunda em 1992 com 52 episódios.

História 

Calimero é um pequeno pinto, simpático e ingénuo. Ele passa a vida a vitimizar-se e sentir-se infeliz e injustiçado. Ficou conhecido pelas frases "É uma injustiça, pois é" e "Abusam porque sou pequenino". Ele é apaixonado por Pricilla e tem um rival, o pato Piero.
Na série produzida em 94, o Calimero deixa de sentir-se injustiçado e infeliz e passa a ter aventuras mais emocionantes e arranja novos amigos, Valeriano, Susy e Rosella.

As primeiras séries italianas do Calimero estrearam na RTP nos 70 com dobragem inglesa e legendas em português(Não tenho a certeza se a 1º série Japonesa passou tb nos anos 70). Em 1985 passou na RTP a primeira série produzida no Japão, com dobragem italiana e legendas em português. Finalmente a ultima série produzida em 1992 passou ma rtp no final dos anos 90, com dobragem portuguesa. 

domingo, 11 de outubro de 2015

Animal do Dia: Camaleão


O camaleão é um dos répteis mais conhecidos da família dos lagartos.
- Existem catalogadas mais de setenta espécies de camaleões.
- A cor dos camaleões, dependendo da espécie, varia do castanho ao verde. Algumas espécies são às riscas. Quanto à cor, um recurso importante, usado pelos camaleões para despistar os predadores, é a mudança de cor (mimetismo).
- Os camaleões possuem dois olhos, sendo que conseguem mover um para cada sítio ao mesmo tempo.
- Estes lagartos movimentam-se lentamente para não despertar a atenção das suas presas e predadores.
- A pele do camaleão é coberta por uma camada de queratina. Ao crescer, o camaleão precisa trocar de pele.
- Os camaleões são animais de hábitos diurnos.
- São animais solitários, sendo que os machos procuram as fêmeas na época do acasalamento.
- Possuem um comportamento muito agressivo, inclusive com animais da mesma espécie.
- Eles vivem , principalmente, na África, Madagáscar e sul do Saara. Algumas espécies também são encontradas no continente europeu e na Índia.
- Os camaleões possuem habitat muito variado (savanas, florestas tropicais, montanhas, estepes e até desertos). Gostam de viver sobre as árvores, arbustos e sob folhas secas.
- Os camaleões alimentam-se, principalmente, de insectos tais como moscas, joaninhas, borboletas, pequenos besouros e gafanhotos. Para apanhar estes insectos, ele utiliza um importante recurso: uma língua comprida, elástica e pegajosa.
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS:
Peso: o peso de um animal adulto, dependendo da espécie, pode variar entre 1 a 3 quilos.
Comprimento: um camaleão adulto pode ter, em média, de 40 a 60 cm.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Solo

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

10 curiosidades e fatos sobre peidos

Quando a gente menos espera, lá vem aquele cheiro angustiante, abominável e, simplesmente, podre do peido de alguém, especialmente quando se está dentro de uma sala fechada, com ar condicionado, sem possibilidades do odor passar depressa, não é mesmo? O pior de tudo é que ninguém gosta de falar de peidos e há sempre aquele ditado insuportável, que aparece todas as vezes que alguém dá o alarme de que tem “bufa” no ar: “a galinha que grita primeiro é a dona dos ovos”.
Claro que nós aqui do Fatos Desconhecidos também não gostamos de falar sobre algo tão fedorento quanto peidos, puns e bufas, como preferir nomear o seu; mas o fato é que vamos abrir espaço para que você tire algumas dúvidas sobre o assunto… daquelas que você nunca teria coragem de perguntar para ninguém. Bonzinhos, não somos?
Então confira abaixo, 10 curiosidades e fatos sobre peidos e o ato de peidar que quase ninguém conta:

1. Cueca sela-peidos

Sabia que existe uma roupa íntima inventada exatamente para evitar que as flatulências escapem? Pois é, ela projetada por Michael David Levitt, um dos pesquisadores que mais estudou o peido. Dizem que essa roupa íntima era feita em filme de poliéster, com um filtro de carvão ativado – daqueles usados em trajes de astronautas -, que fornece ar aos “documentos” e não deixa vazar o odor horrível que o pum é capaz de trazer do interior das pessoas.

2. Peido das mulheres é muito pior

Estudos apontam que o peido feminino pode ser muito mais “fatal” que o dos homens. Isso porque as mulheres têm uma concentração maior de ácido sulfídrico, responsável pelo futum desses gases. Por outro lado, os homens produzem muito mais gases que as mulheres.

3. Profissionais do pum

Michael Levitt, conhecido também como Senhor dos Peidos (rs), chegou a inventar uma técnica de avaliação de peidos para diagnosticar a má digestão de carboidratos por parte do intestino delgado. Para isso, claro, ele precisava cheirar a flatulência alheia.
Mas esse não foi o único profissional “cheirador” de puns. Na medicina tradicional chinesa, por exemplo, existe uma função apelidado de “wen pishi” que, basicamente, consiste em detectar doenças gastrintestinais por meio do odor dos peidos dos pacientes. Eca!

4. Peidos personalizados

Por incrível que pareça, cada peido tem um cheiro diferente e pode ser tão preciso quanto impressões digitais na hora de identificar as pessoas. Isso porque o odor de cada peido depende muito da forma que cada corpo funciona e, claro, da dieta que as pessoas costumam ingerir.

5. Pum para encontrar cadáveres

O cheiro da bufa também pode ser usada para localizar um cadáver usando somente o olfato (não que essa seja a melhor forma de procurar pelos mortos). Isso porque até três horas após a morte, os seres humanos podem expelir matéria fecal e peidos, resultantes da contração muscular e do inchaço do corpo, que antecede a fase de rigidez.

6. É fedorento, mas não mata

8
Ninguém gosta de cheirar aquele cheirinho podre dos peidos alheios, mas mesmo sendo nojentos, pode ficar tranquilo: eles não matam. Isso porque, mesmo se tratando de uma potente composição química com a presença de ácido sulfídrico – letal para o ser humano -, a quantidade desse último componente presente no peido humano não é suficiente para matar alguém asfixiado. A concentração deste gás com cheiro de ovo podre é apenas entre uma e três partes por milhão em cada pum. Para matar, no entanto, seria preciso mil partes por milhão!

7. Peido é inflamável

Pode parecer exagero, mas a verdade é que o pum pode sim pegar fogo! Claro que não é aconselhável fazer isso, mas se se você aproximar um isqueiro aceso na hora que você soltar uma daquelas bufas caprichadas, vai perceber que ela é totalmente inflamável! Há, inclusive, cientistas que afirmam que a combustão espontânea seria fruto de gases que ardem depois de entrar em contato com a eletricidade estática!

8. Peidando pela boca

Calma, que ninguém tem essa habilidade horrorosa, graças a Deus. O que acontece é que o ácido sulfídrico, responsável pelo fedor de nossos peidos, é o mesmo que causa aquele hálito de múmia pela manhã. Isso porque as bactérias que produz esse ácido está presente também em nossa boca e se alimenta das células mortas da língua humana, que aparecem quando ficamos horas respirando pela boca.

9. Comidas perigosas

Alguns alimentos são responsáveis pelo aumento da quantidade de gases no organismo humano. Frutas secas, cerveja, vinho, sidra de maçã e outras comidas e bebidas fermentadas contém uma uma grande quantidade de sulfitos, uma forma de sais do ácido sulfuroso que são usados como conservantes e que pode deixar o peido ainda mais fedido. Além disso, algumas coisas que comemos, como laticínios, podem ainda aumentar as bactérias no intestino delgado, o que também faz dos puns algo muito mais “mortal”.

10. Número de peidos

A altura em que a pessoa vive pode indicar a quantidades de puns que ela solta. Quem vive ao nível do mar, por exemplo, emite 15,1 peidos a cada 24 horas. Mas, a 7 mil metros de altura, essa quantidade multiplica de forma fenomenal, chegando a uma média de 129,6 peidos por dia. Claro, levando em consideração uma pessoa normal.

domingo, 4 de outubro de 2015

Heidi



A série "Heidi" é baseada no livro de 1880 da escritora Suiça, Johanna Spyri. A série foi produzida pela Nippon Animation e a EIZO Zuiyô em 1974. Foram produzidos 52episódios, realizados por Isao Takahata e com ajuda de Hayao Miyazaki e música de Takeo Watanabe.
Foi a primeira vez que Miyazaki saiu do Japão (desloca-se aos Alpes suíços), para desenhar os fundos para a série.
A série teve um enorme sucesso em toda a Europa e Portugal não foi excepção.


História 

Heidi é uma menina órfã que vive com sua Tia Dete. Um dia, a Tia arranja trabalho em Frankfurt e decide deixar Heidi aos cuidados do seu avô paterno que vive nas montanhas. O avô não é bem visto na sua aldeia, tanto que nem sai da sua casa nas montanhas. Mas os dois criam rapidamente uma empatia. Heide adora viver nas montanhas e brincar com o seu amigo Pedro. Até que um dia, a Tia Dete regressa às montanhas para levar Heidi para Frankfurt. A menina vai viver para a casa de uma família rica, onde conhece Clara, uma jovem muito só e parapelégica. Apesar de ficar amiga de Clara, Heidi não é feliz pois têm saudades das montanhas, do avô e do seu amigo Pedro.


A Heidi estreou em Portugal no ano de 1976 e começou por passar em japonês. Mais tarde, série começou a ser dobrada.

Animal do Dia: Cavalo Marinho

http://www.ninha.bio.br/biologia/marinhos/cavalos/Cavalo%20Marinho.jpg

Cavalo marinho (Hippocampus hystrix)
Embora seja um animal caricato, o cavalo-marinho é um peixe.
A principal peculiaridade é o formato do seu corpo, que parece ser o resultado de uma fusão de vários animais diferentes: uma cabeça semelhante à de de um cavalo, olhos que se movimentam como os dos camaleões, uma cauda parecida com a de um macaco e uma bolsa parecida com as 
bolsas marsupiais como a dos cangurus. Não menos estranho entre os peixes é a forma como se desloca, na vertical, e a reprodução onde é o macho quem “engravida” e fica responsável pela incubação dos ovos.
O cavalo marinho encontra-se espalhado em praticamente todos os oceanos e está particularmente difundido nas águas tropicais pouco profundas (entre 8 a 45 metros de profundidade). Podem ser vistos com frequência em recifes de coral e em superfícies oceânicas povoadas por algas.
Existem 54 espécies reconhecidas de cavalos marinhos (género Hippocampus), nos quais destacamos o Hippocampus hippocampus, uma espécie oficialmente protegida nos Açores, em Portugal e os Hippocampus reidi, Hippocampus erectus e Hippocampus zeostrae existentes no Brasil, sendo o último mais pequeno e também mais raro.
O cavalo marinho é um peixe relativamente pequeno, embora com tamanhos muito variados de espécie para espécie. O menor não chega sequer aos dois centímetros de comprimento, enquanto que o maior tem cerca de 36 centímetros.
Tem o corpo coberto de placas ósseas, com anéis que embora sejam rijos, são também flexíveis. Uma curiosidade peculiar, são os olhos. Tal como acontece nos camaleões, os olhos dos cavalos marinhos movem-se de forma independente um do outro, dando-lhe assim a possibilidade de um se concentrar na presa, e o outro no predador.
A boca encontra-se na extremidade de um focinho tubular. A sua alimentação baseia-se no plâncton, crustáceos e pequenos animais, que suga através do seu focinho tubular.
O cavalo marinho é um animal de hábitos solitários. Quando se sente ameaçado, permanece imóvel, agarrado às algas ou corais, através da cauda preênsil e faz uso da sua grande capacidade de mimetismo – altera a sua cor de acordo com o ambiente que o rodeia para se confundir com outros seres vivos.
Contrariamente à maioria dos outros peixes, locomove-se na vertical servindo-se da sua barbatana dorsal, que vibra rapidamente (até 35 vezes por segundo), embora este tipo de locomoção vertical o torne num nadador lento – pode demorar vários minutos a conseguir nadar um metro de distância.
A sua capacidade de emergir ou mergulhar rapidamente, deve-se a facto de possuir grandes bexigas de ar, dentro do corpo.

Curiosidades do Cavalo Marinho
  • Antigamente, acreditava-se que o cavalo marinho era meio peixe, meio cavalo. Aristóteles (384 – 322) a.C., foi o primeiro investigador de historia natural a fazer uma pesquisa sobre o cavalo marinho,;
  • O nome do género Hippocampus tem origem no grego antigo hippos (cavalo) e kampos(monstro marinho);
  • Apesar das semelhanças, os cavalos marinhos e os dragões marinhos pertencem a géneros diferentes, embora façam parte da mesma família (Syngnathidae), juntamente com os peixes-agulha;
  • Apesar de ter um corpo peculiar, possui guelras, bexiga natatória e barbatanas, tal como os outros peixes;
  • Os cavalos marinhos mais pequenos do mundo são apelidados de cavalos marinhos pigmeus e a espécie mais conhecida de cavalo marinho pigmeu é a Hippocampus bargibanti, com apenas 13 milímetros de comprimento (1,3 centímetros);
  • O cavalo marinho tem poucos predadores naturais, pois é duro e indigesto;
  • A única arma de defesa do cavalo marinho é a capacidade de se esconder através do mimetismo;
  • O cavalo marinho só se alimenta de alimentos que se estejam a mexer;
  • Consegue sugar comida até 3 centímetros de distância, puxando a água;
  • O cavalo marinho não tem dentes nem estômago, a comida passa rapidamente por todo o sistema digestivo e por esse motivo precisam de se alimentar constantemente;
  • O cavalo marinho emite um som parecido com um click, tanto quando está a sugar alimento como quando está a interagir com outros da sua espécie;
  • O cortejo do macho para atrair as fêmeas pode durar até 8 horas, que inclui girar em torno de si próprios, nadar lado a lado com as caudas unidas e mudar as suas cores;
  • Quando vai descansar, o cavalo marinho utiliza a cauda para se agarrar aos corais, algas ou outras formações marinhas, evitando assim ser arrastado pelas correntes.
Este artigo foi publicado na Revista nº5 do Mundo dos Animais, em Fevereiro de 2008, com o título “Cavalos Marinhos”.


http://www.mundodosanimais.pt/wp-media/imagens/cavalo-marinho-05.jpg

quinta-feira, 1 de outubro de 2015