Meus outros blogs:

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Cenoura

A cenoura foi conhecida e apreciada pelos gregos e romanos e é uma raiz, tipicamente cor de laranja com uma textura lenhosa. As cenouras são raizes tuberosas.

As cenouras são comidas cruas, inteiras, ou como parte de saladas, e são também cozidas em sopas e refogados. Também se pode fazer bolo de cenoura. A parte folhosa da planta não é comida na maioria das culturas, mas é comestível. A cenoura silvestre (Daucus carota) também pertence à família das Apiaceae.

As cenouras são grandes fontes de fibra dietética, antioxidantes, minerais e β-caroteno. Este último, responsável pela coloração alaranjada característica do vegetal, é uma provitamina A (substância que dá origem à vitamina A dentro de um organismo vivo). Ele ajuda o desempenho dos receptores da retina, melhorando a visão. Também ajuda a manter o bom estado da pele e das mucosas. No ser humano, apenas cem gramas de cenoura são suficientes para suprir as necessidades diárias de vitamina A.

As cenouras, originalmente, apareciam com cores púrpura, branca e amarela. A cenoura laranja, que é hoje sinónimo de cenoura, foi desenvolvida na Holanda como tributo a Guilherme I de Orange ("orange" = "laranja") durante a luta holandesa de independência da Espanha, no século XVI.

Nunca se deve descascar uma cenoura, pois a parte mais nutritiva está justamente perto da superfície. Basta lavá-la e raspá-la. As maiores cenouras do mundo são obtidas tradicionalmente em Ohakune, na Nova Zelândia.

Valor nutricional em cada 100 gramas de Cenoura (Daucus carota) contém: Calorias - 51kcal; Proteínas - 1,5g ; Gorduras - 0,3g; Provitamina A - 14500 U.l.; Vitamina B2 (Riboflavina) - 30 mcg; Vitamina B3 (Niacina) - 0,3 mg; Vitamina C (Ácido ascórbico) - 27 mg; Potássio - 290 mg; Sódio - 100 mg; Cálcio - 45 mg; Fósforo - 40 mg; Enxofre - 22 mg; Cloro - 5 mg; Magnésio - 4 mg; Silício - 2 mg; Ferro - 1 mg

Adicionar porções diárias de cenoura nas refeições é a dica mais recente dos médicos no combate à doença da menopausa. A indicação é resultado de uma pesquisa realizada na prestigiada Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos. Os médicos descobriram que o poder dos carotenóides, presentes nos vegetais alaranjados, ajuda as células a permanecerem saudáveis por mais tempo a novidade foi anunciada após um acompanhamento rigoroso de 12 mil pacientes, 5.700 com diagnóstico de câncer de mama e 6.300 mulheres saudáveis, para controle.

“Por causa do betacaroteno, a cenoura une diversos benefícios à saúde: atua como antioxidante, beneficia a visão noturna, aumenta a imunidade, dá elasticidade à pele, brilho aos cabelos e fortalece as unhas, além de atuar no metabolismo de gorduras”, afirma a nutricionista do MinhaVida, Roberta Stella.

Mas os cuidados precisam começar antes da menopausa os nutrientes não têm efeito quando a menstruação já foi, definitivamente, interrompida, de acordo com a pesquisa. Comer, pelo menos, duas porções diárias de alimentos ricos em caroteno diminui em até 17% os riscos de câncer de mama.

A notícia é um alento, principalmente, quando se tem em vista as principais causas relacionadas, atualmente, ao câncer de mama: a idade da primeira menstruação, fatores genéticos ou o nascimento do primeiro filho. Enquanto nenhum desses elementos pode ser alterado, a dieta pode ser adaptada a padrões mais saudáveis a qualquer instante.

A cenoura é campeã na oferta de betacaroteno, mas existem outras opções:
Vegetal Betacaroteno
Acerola (10 frutas) 2,7mg
Abóbora (100 gramas) 4,3 mg
Cenoura (100 gramas) 4,7 mg
Manga (1 fruta média) 2,4 mg
Moranga (100 gramas) 1,6 mg
Rúcula (1 prato cheio) 4,3 mg

sábado, 28 de novembro de 2009

Banco Alimentar contra a fome


Aproveitar onde sobra para distribuir onde falta. É este o nosso objectivo: evitar o desperdício de alimentos fazendo-os chegar às pessoas que têm fome. O Banco Alimentar recebe toda a qualidade de géneros alimentares, ofertas de empresas e particulares, em muitos casos excedentes de produção da indústria agroalimentar, excedentes agrícolas e da grande distribuição, e ainda produtos de intervenção da União Europeia.

São recolhidos localmente e a nível nacional no estrito respeito pelas normas de higiene e de segurança alimentar.
A estas dádivas, acrescentam-se os produtos oferecidos por particulares nas campanhas de recolha efectuadas nas superfícies comerciais.

Uma logística
Os Bancos Alimentares possuem uma organização logística profissional para:
- a recolha e o encaminhamento de produtos alimentares;
- a sua triagem e armazenagem;
- o controlo de qualidade;
- rede de frio;

Uma partilha
Os Bancos Alimentares abastecem, ao longo de todo o ano, instituições caritativas e humanitárias situadas em Portugal. Para além da entrega gratuita de alimentos destinados às pessoas com carências alimentares os Bancos Alimentares acompanham e partilham a acção das instituições no sentido de lutar contra a exclusão social.

Agir com as instituições
Os Bancos Alimentares celebram acordos com as instituições de solidariedade locais tendo em conta as suas características próprias de actuação. A ajuda alimentar é efectuada na forma que melhor se adapta às necessidades da população apoiada:
- cabazes de produtos alimentares entregues às famílias;
- refeições confeccionadas: servidas nos centros de acolhimento distribuídas na rua aos sem abrigo entregues ao domicilio;

Uma total transparência
Os Bancos Alimentares são instituições não governamentais, apolíticas e não confessionais. Comprometem-se a praticar uma gestão transparente que obedece a regras estritas, idênticas para todos os Bancos. Possuem contabilidade organizada e as contas são auditadas anualmente por uma empresa exterior, que garante a sua idoneidade.

Entre outros hipermercados, supermercados, o Hipermercado de Loures-Santo António dos Cavaleiros, precisam-se voluntários para o dia 28 e 29 de Novembro de 2009.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Saudades

Chega o Mês de Novembro
Algo se passa dentro de mim
Sinto um enorme vazio
Um enorme buraco escuro

Sinto saudades a transbordar
Sinto peso no meu coração
Sinto a minha cabeça longe
Completamente noutro lugar

Como se voltasse atrás
Como se recordasse os momentos
Mais tristes da minha vida
No passado, não muito longínquo.

Tenho saudades de ti, Pai.
Eu sei, és meu anjo sempre presente
Eu sei, estarás sempre no meu coração
Eu sei, queres ver-me alegre do que triste

A saudade muitas vezes alimentada
Torna-se grande e pesada
E a única maneira de aliviar
É estar sossegada
E chorar até não poder mais
Na manhã seguinte, chegará a bonança.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Espargos

Originários da Ásia e cultivados desde a Antiguidade, os espargos podem ser verdes (mais pequenos e menos suculentos), brancos (tenros e adocicados) e violetas (de sabor mais intenso).

Qualquer que seja a variedade, são pouco calóricos e ricos em vitaminas. Os espargos frescos são fáceis de preparar, devendo ter-se sempre o cuidado de remover previamente as partes lenhosas não digeríveis.

Muito utilizados em entradas, podem ser servidos quentes - com molho holandês ou sob a forma de uma sopa cremosa - ou frios (com vinagreta ou maionese). Para além destas, existem versões mais requintadas, gratinados ou “à polaca”, a par de pratos rústicos tipicamente alentejanos, como a sopa ou as migas de espargos bravos.

Se não for possível encontrar frescos os congelados e as conservas são substitutos (quase) à altura. Experimenta preparar um soufflé com uns bons espargos em conserva e verás como fica igualmente delicioso!

Os seus rebentos novos são um vegetal bastante apreciado, particularmente na cozinha inglesa, alemã e francesa. Tem um sabor delicado, poucas calorias e é particularmente rico em ácido fólico, além de ter propriedades diuréticas.

O aspargo é uma planta perene. A colheita dos brotos se faz na primavera, a partir do segundo ou terceiro ano. Os aspargos brancos são cultivados impedindo os brotos jovens de obter luz.

O aspargo pode provocar um odor característico na urina da pessoa que os consumiu, sem nenhuma consequência nociva. A substância que provoca odor não existe originalmente no vegetal: é um resultado do metabolismo de alguns de seus componentes, que contêm enxofre. Apenas 40% das pessoas produzem esse metabólito e têm o cheiro da urina afetado. Curiosamente, nem todas as pessoas conseguem perceber o odor — cerca de 60% das pessoas são insensíveis a ele. Não parece haver correlação entre a capacidade de produzir o metabólito e a capacidade de percebê-lo.

Há registros na história acerca de apreciadores de iguarias com base nos espargos, tais como o imperador romano Otávio Augusto, o gastrônomo romano Apícius, o naturalista também romano Plínio, o velho (que chamava os aspargos de "a verdura de Deus"), na antiguidade. O prestígio dos aspargos caiu muito durante a Idade Média, voltando a ser um prato apreciado durante o Renascimento, sendo daí em diante muito apreciado popr personalidades como o Rei Sol, Luís XIV e pelo chanceler alemão Bismarck.

Há cerca de 2000 mil anos, que os espargos são consideradas uma delicia rara e fina, e cujas propriedades medicinais já eram mencionadas por Hipócrates (médico grego, considerado o pai da medicina, século V a.C.)
O espargo é uma excelente fonte de vitamina k, vitamina C, vitamina A e ácido fólico (vitamina B9). É ainda uma boa fonte de trypthopan, vitamina B1 (Tiamina), B2 (Riboflavina), B6 (piridoxina), fibra, cobre, fósforo, proteínas, potássio, ferro, zinco, magnésio selénio e cálcio.
A vitamina K é necessária para o mecanismo da coagulação sanguínea. A vitamina A tem um papel importante na protecção da nossa pele e dos nossos olhos.

O ácido fólico é uma vitamina do grupo B, hidrosolúvel, essencial para o bom funcionamento do corpo humano. Tem um papel importante no metabolismo dos aminoácidos, os constituintes das proteínas. Além de serem deliciosos, nutritivos e convenientes, os espargos quatro folhas® são também versáteis. Embora deliciosos servidos sós, são também uma colorida e saborosa adição a um sem-número de receitas.

domingo, 22 de novembro de 2009

Signo de Sagitário

O signo de Sagitário representa a sabedoria intelectual. Filósofo nato, o sagitariano é optimista, entusiasta e amante da liberdade. É aventureiro, impaciente e pode ser exagerado em tudo que faz.

Optimista, social, entusiasmado. Honesto, agitado, descuidado ou extravagante.
A sua tolerância permite trabalhar bem com todas as pessoas e as aceita
como são. A sua franqueza ou extravagância podem sem querer ferir pessoas mais sensíveis. Busca a verdade, a justiça e grandes aventuras. Detesta a mentira.

Gosta de ter liberdade. "Não me restrinja", é o que sempre diz. O tempo não é importante e fura
compromissos, mas fica absorvido por algo que lhe desperte interesse. Não leva a vida a sério...

Prega, moraliza, doutrina mas não houve os outros. Aprende com as situações. Acha que tudo se ajeita,
não enfrenta emoções: intelectualiza, filosofa. Precisa ter uma direcção para não se perder.
Predisposto ao avanço, sempre em busca de novos caminhos. Preocupa-se mais
consigo mesmo. Não acredita em fracassos.

O MUNDO DISTANTE - na forma extrovertida: as grandes viagens, o exterior e os estrangeiros; na forma introvertida: as conquistas superiores da mente e do espírito, filosofia e religião.

Representa a filosofia de vida, as leis, os dogmas, a religiosidade, a espiritualidade, as crenças, as longas viagens, os novos objectivos e o estrangeiro.

Condimentos: Pimenta da Jamaica.
Erva: Folha de limão.
Metal: Lata.
Animal: Cavalo.
Cristal: Topaz.
Árvores: Carvalho, Bétula, Limoeiro e Freixo.
Flores: Dente-de-leão, flor de limão e cravo.
Elemento: fogo
Planeta regente: Júpiter (na mitologia grega é Zeus, o deus dos deuses)
Princípio: activo
Parte do corpo: quadris e coxas
Frase: "Mais vale um passarinho a voar do que dois na mão."
Cor: Púrpura e Azul escuro
Pedra: Topázio

sábado, 21 de novembro de 2009

Piano..

Algo interessante para ver:


Incentivo para subir as escadas sem ser rolantes...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Passas


Passas (ou uvas passas) é o nome dado a um tipo de uva especial, de tamanho menor, que sofreu um processo de desidratação. Possuem menor formato, cor escurecida e textura enruguecida. O processo natural parte da uva fresca que se coloca ao sol até desidratar. Depois as indústrias processam esses cachos secos que passam por extração dos pedúnculos, lavado, secado e seleção final até o empacotamento a granel em sacos plásticos dentro de caixas de papelão com 10 ou 13,608 kg. Por meio de peneiras se seleciona o tamanho que é medido em unidades por 100g.

É utilizada em massas de pães, bolos, tortas, pudins, salada de frutas, sorvetes ou consumidas como aperitivo.
Contém vitaminas do complexo B e sais minerais como fósforo, potássio, ferro e cálcio.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

VAI ACONTECER...

Noites com poemas é uma iniciativa dinamizada por Jorge de Castro na Biblioteca Municipal de Cascais - São Domingos de Rana no dia 19 de Novembro pelas 21:30 horas.
--------------------------------------------------------
Tema : " Contares e Cantares de GOA "
Convidados : Elsa Noronha
Grupo EKVAT da Casa de Goa
--------------------------------------------------------

-Declamar e dizer alguns poemas de autores goeses e/ou sobre Goa
-projecção de imagens sobre Goa/cultura Goesa

Cantar e Dançar "Goa"

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Ecológica "Earth Song"

O vídeo é do single de maior sucesso de Michael Jackson no Reino Unido, que não foi nem "Billie Jean", nem "Beat it", e sim a ecológica "Earth Song", de 1996.
A letra fala de desmatamento, sobrepesca e poluição, e, por um pequeno detalhe, talvez você nunca terá a oportunidade de assistir na televisão.

O Detalhe: "Earth Song" nunca foi lançada como single nos Estados Unidos, historicamente o maior poluidor do planeta. Por isso a maioria de nós nunca teve acesso ao clip. Ou seja, o que não passa nos EUA, não passa no resto do mundo. Só mostram o que lhes interessa e só assistimos ao que eles querem.

Veja, então, o que os americanos nunca mostraram de Michael Jackson. Filmado na Africa, Amazonia, Croácia e New York.Emocionante!



Se não conseguir ver, clique no primeiro link:
-Earth Song
-Black and white

Comentário: Não sou super fã do Michael Jackson, mas tinha um coração bom.
Tinha uma fundação de caridade e solidariedade. Fez muitas coisas pela Africa, nomeadamente duas musicas bem conhecidas e uma delas correu o mundo.
Quem não conhece o black and white?? - Devido ao racismo.. As pessoas de cor e brancos.
"Earth song" está muito bem concebida, e mostra uma possibilidade de um futuro..
Será isto que queremos para os futuros dos nossos filhos e netos.
O encaminhar das destruição, poluição move remotamente para esse fim... que me assusta muito, apesar de não ter filhos.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Tolerância

Hoje assinala-se o Dia Internacional para a Tolerância. Este dia foi instituído pelas Nações Unidas em 1995 em reconhecimento à Declaração de Paris, na qual os Estados reafirmaram o seu compromisso no respeito pelos Direitos Humanos fundamentais e pela dignidade e valor da pessoa humana.

Infelizmente a convivência pacífica com a diferença ainda está longe de ser uma realidade. Em muitas partes do mundo existem centenas de conflitos raciais, religiosos e políticos, que alimentam a intolerância. Mas nem precisamos de uma análise tão global... quantas vezes, mesmo ao nosso lado, não presenciamos ou somos protagonistas de atitudes intolerantes?

O video que apresentamos hoje é ilustrativo deste tipo de atitudes.


Veja e divulgue! Tem trinta segundos para tentar perceber se já alguma vez presenciou este filme. E depois, cabe-lhe a si ajudar a inverter situações como esta.

domingo, 15 de novembro de 2009

Castanhas

Com o Outono chegam as castanhas assadas. Sabia que as castanhas, que actualmente são quase um pitéu, tiveram, noutros tempos, uma enorme importância na dieta dos portugueses? No século XVII, eram mesmo um dos produtos básicos da alimentação dos beirões e transmontanos, chegando, se necessário, a substituir o pão ou as batatas.

A castanha é usada na alimentação desde tempos pré-históricos e a respectiva árvore - Castanea sativa - foi introduzida na Europa há cerca de três mil anos. Contudo, no livro de Jorge Lage, "Castanea...", no sub-capítulo, "O castanheiro em Portugal", na página 35, ao citar o mais importante botânico nacional vivo, Prof. Jorge Paiva, refere-se que os estudos polínicos levados a cabo na Serra da Estrela provam o contrário, apontando para uma data bem mais recuada, e hoje é considerada uma árvore autóctone.

A castanha que comemos é, de facto, uma semente que surge no interior de um ouriço (o fruto do castanheiro). Mas, embora seja uma semente como as nozes, tem muito menos gordura e muito mais amido (um hidrato de carbono), o que lhe dá outras possibilidades de uso na alimentação. As castanhas têm mesmo cerca do dobro da percentagem de amido das batatas. São também ricas em vitaminas C e B6 e uma boa fonte potássio.

As castanhas são comidas assadas ou cozidas com erva-doce. Mas, antes de cozinhadas, deve-se retalhar a casca. Como se pode ver no quadro, têm bastante água e, quando são aquecidas, essa água passa a vapor. A pressão do vapor vai aumentando e "empurrando" a casca e, se esta não tiver levado um golpe, a castanha pode explodir.

O amido é uma reserva de energia das plantas e existe, sobretudo, nas raízes e nas sementes. Surge com uma estrutura coesa e organizada, com zonas cristalinas e outras amorfas, chamada grânulo.

Quando cozinhamos alimentos com elevadas percentagens de amido um dos objectivos é torná-los digeríveis. A frio, a estrutura do amido mantém-se inalterada. Mas, quando é aquecido na presença de água (e a castanha contém água na sua constituição), grandes modificações ocorrem. A energia térmica introduzida enfraquece as ligações entre as moléculas do amido, a estrutura granular "relaxa" e alguma água penetra no interior dos grânulos, que incham, formando um complexo gelatinoso com a água. É isto o que acontece quando cozinhamos castanhas e lhes altera a textura.

A recolha de dados para este trabalho centralizar-se-á sobretudo na excelente obra de Jorge Lage «Castanea – Uma Dádiva dos Deuses», cuja publicação teve o apoio das Câmaras Municipais de Valpaços e de Mirandela. Existem várias espécies de castanha. Em Bragança as mais comuns são a camarinha, a judia, e a longal ou enxerta.

A castanha tem aplicações na medicina. As folhas, a casca, as flores e o fruto têm sido utilizados devido às suas propriedades curativas e profiláticas, adstringentes, sedativas, tónicas, vitamínicas, remineralizantes e estomáquicas.

Pelo seu valor nutritivo e energético, era utiliza outrora em vários estados de mal-estar e doença. É também tónica, estimulante cerebral e sexual, anti-anémica (castanha crua), anticéptica e revitalizante. Para afinar as cordas vocais e debelar a faringite e a tosse nada melhor do que gargarejos com infusão de folhas de castanheiro ou de ouriços. Em Mirandela usa-se o termo muchetar as castanhas, cortar com a faca antes de serem cozidas ou assadas. Por associação, levar um muchete é levar um apertão com os dois primeiros dedos da mão, geralmente dados por rapazes ou homens atrevidos a raparigas e mulheres néscias e que pode ser o começo de “entradas mais audazes”.

sábado, 14 de novembro de 2009

Diabetes

Devidamente tratada, a diabetes não impede o doente de ter uma vida perfeitamente normal e autónoma. Contudo, é fundamental que o diabético se ajude a si mesmo, auto-controlando a sua doença. Aliás, se o doente for determinado neste papel de auto-vigilância, a sua vida ficará muito facilitada.

O que é a diabetes? A diabetes é uma doença crónica que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. À quantidade de glicose no sangue chama-se glicemia e quando esta aumenta diz-se que o doente está com hiper-glicemia.

Quem está em risco de ser diabético? A diabetes é uma doença em crescimento, que atinge cada vez mais pessoas em todo o mundo e em idades mais jovens. No entanto, há grupos de risco com fortes probabilidades de se tornarem diabéticos:
• Pessoas com familiares directos com diabetes;
• Homens e mulheres obesos;
• Homens e mulheres com tensão arterial alta ou níveis elevados de colesterol no sangue;
• Mulheres que contraíram a diabetes gestacional na gravidez;
• Crianças com peso igual ou superior a quatro quilogramas à nascença;
• Doentes com problemas no pâncreas ou com doenças endócrinas.

Quais são os sintomas típicos da diabetes? Nos adultos - A diabetes é, geralmente, do tipo 2 e manifesta-se através dos seguintes sintomas:
• Urinar em grande quantidade e muitas mais vezes, especialmente durante a noite (poliúria);
• Sede constante e intensa (polidipsia);
• Fome constante e difícil de saciar (polifagia);
• Fadiga;
• Comichão (prurido) no corpo, designadamente nos órgãos genitais;
• Visão turva.
Nas crianças e jovens - A diabetes é quase sempre do tipo 1 e aparece de maneira súbita, sendo os sintomas muito nítidos. Entre eles encontram-se:
• Urinar muito, podendo voltar a urinar na cama;
• Ter muita sede;
• Emagrecer rapidamente;
• Grande fadiga, associada a dores musculares intensas;
• Comer muito sem nada aproveitar;
• Dores de cabeça, náuseas e vómitos.
É importante ter presente que os sintomas da diabetes nas crianças e nos jovens são muito nítidos. Nos adultos, a diabetes não se manifesta tão claramente, sobretudo no início, motivo pelo qual pode passar despercebida durante alguns anos.
Os sintomas surgem com maior intensidade quando a glicemia está muito elevada. E, nestes casos, podem já existir complicações (na visão, por exemplo) quando se detecta a doença.

Como se diagnostica a diabetes? Se sentir alguns ou vários dos sintomas deve consultar o médico do centro de saúde da sua área de residência, o qual lhe pedirá para realizar análises ao sangue e à urina. Pode ser diabético...
• Se tiver uma glicemia ocasional de 200 miligramas por decilitro ou superior com sintomas;
• Se tiver uma glicemia em jejum (oito horas) de 126 miligramas por decilitro ou superior em duas ocasiões separadas de curto espaço de tempo.

Que tipos de diabetes existem?
• Diabetes Tipo 2 (Diabetes Não Insulino-Dependente) - É a mais frequente (90 por cento dos casos).
O pâncreas produz insulina, mas as células do organismo oferecem resistência à acção da insulina. O pâncreas vê-se, assim, obrigado a trabalhar cada vez mais, até que a insulina produzida se torna insuficiente e o organismo tem cada vez mais dificuldade em absorver o açúcar proveniente dos alimentos.
Este tipo de diabetes aparece normalmente na idade adulta e o seu tratamento, na maioria dos casos, consiste na adopção duma dieta alimentar, por forma a normalizar os níveis de açúcar no sangue. Recomenda-se também a actividade física regular.
Caso não consiga controlar a diabetes através de dieta e actividade física regular, o doente deve recorrer a medicação específica e, em certos casos, ao uso da insulina. Neste caso deve consultar sempre o seu médico.
• Diabetes Tipo 1 (Diabetes Insulino-Dependente) - É mais rara.
O pâncreas produz insulina em quantidade insuficiente ou em qualidade deficiente ou ambas as situações. Como resultado, as células do organismo não conseguem absorver, do sangue, o açúcar necessário, ainda que o seu nível se mantenha elevado e seja expelido para a urina.
Contrariamente à diabetes tipo 2, a diabetes tipo 1 aparece com maior frequência nas crianças e nos jovens, podendo também aparecer em adultos e até em idosos.
Não está directamente relacionada, como no caso da diabetes tipo 2, com hábitos de vida ou de alimentação errados, mas sim com a manifesta falta de insulina. Os doentes necessitam de uma terapêutica com insulina para toda a vida, porque o pâncreas deixa de a produzir, devendo ser acompanhados em permanência pelo médico e outros profissionais de saúde.
• Diabetes Gestacional - Surge durante a gravidez e desaparece, habitualmente, quando concluído o período de gestação. No entanto, é fundamental que as grávidas diabéticas tomem medidas de precaução para evitar que a diabetes do tipo 2 se instale mais tarde no seu organismo.
A diabetes gestacional requer muita atenção, sendo fundamental que, depois de detectada a hiperglicemia, seja corrigida com a adopção duma dieta apropriada. Quando esta não é suficiente, há que recorrer, com a ajuda do médico, ao uso da insulina, para que a gravidez decorra sem problemas para a mãe e para o bebé.
Uma em cada 20 grávidas pode sofrer desta forma de diabetes.

Outras complicações associadas à diabetes
• Retinopatia - lesão da retina;
• Nefropatia - lesão renal;
• Neuropatia - lesão nos nervos do organismo;
• Macroangiopatia - doença coronária, cerebral e dos membros inferiores;
• Hipertensão arterial;
• Hipoglicemia - baixa do açúcar no sangue;
• Hiperglicemia - nível elevado de açúcar no sangue;
• Lípidos no sangue - gorduras no sangue;
• Pé diabético - arteriopatia, neuropatia;
• Doenças cardiovasculares - angina de peito, ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais;
• Obstrução arterial periférica - perturbação da circulação, por exemplo nas pernas e nos pés;
• Disfunção e impotência sexual - a primeira manifesta-se de diferentes formas em ambos os sexos;
• Infecções diversas e persistentes - boca e gengivas, infecções urinárias, infecções das cicatrizes depois das cirurgias.

Como se trata a diabetes?
• Diabetes tipo 1 – Os doentes podem ter uma vida saudável, plena e sem grandes limitações, bastando que façam o tratamento prescrito pelo médico correctamente.
O objectivo do tratamento é manter o açúcar (glicose) no sangue o mais próximo possível dos valores considerados normais (bom controlo da diabetes) para que se sintam bem e sem nenhum sintoma da doença. Serve ainda para prevenir o desenvolvimento das manifestações tardias da doença e ainda para diminuir o risco das descompensações agudas, nomeadamente da hiperglicemia e da cetoacidose (acidez do sangue).
Este tratamento, que deve ser acompanhado obrigatoriamente pelo médico de família, engloba três vertentes fundamentais: adopção de uma dieta alimentar adequada, prática regular de exercício físico e o uso da insulina.
• Diabetes tipo 2 - O tratamento é semelhante mas, devido à menor perigosidade da doença, a maioria das vezes basta que a alimentação seja adequada e que o exercício físico passe a fazer parte da rotina diária para que, com a ajuda de outros medicamentos específicos (que não a insulina), a diabetes consiga ser perfeitamente controlada pelo doente e pelo médico.
Os medicamentos usados no tratamento deste tipo de diabetes são geralmente fármacos (comprimidos) que actuam no pâncreas, estimulando a produção de insulina.
Seguindo uma alimentação correcta e adequada, praticando exercício físico diário e respeitando a toma dos comprimidos indicada pelo médico, um doente com diabetes tipo 2 garante a diminuição do risco de tromboses e ataques cardíacos; a prevenção de doenças nos olhos e nos rins e da má circulação nas pernas e nos pés, factor que diminui significativamente o risco de amputações futuras.

O que é a insulina? A insulina é uma hormonal hipoglicemiante segregada pelas células beta dos ilhéus de Langerhans do pâncreas, que é usada no tratamento dos doentes diabéticos. Pode ser obtida a partir do pâncreas do porco ou feita quimicamente e de forma idêntica à insulina humana através do uso de tecnologia do DNA recombinante ou da modificação química da insulina do porco. Em Portugal só é comercializada insulina igual à insulina humana, produzida com recurso a técnicas de engenharia genética, sendo as reacções alérgicas muito raras em virtude da sua grande pureza. No mercado estão disponíveis diversas concentrações de insulina. No nosso país, só se encontra disponível a concentração U-100 (1ml=100 unidades).
Por que é que a insulina é necessária para o tratamento da diabetes tipo 1? Porque, nos doentes com a diabetes tipo 1, as células do pâncreas que produzem insulina foram destruídas, motivo pelo qual este produz muito pouca ou nenhuma insulina. Como sem insulina não se pode viver, a administração de insulina produzida laboratorialmente é um tratamento imprescindível de substituição.

Como se usa a insulina? O tratamento com insulina é feito através de injecção na gordura por baixo da pele (subcutânea). Até à data o desenvolvimento científico ainda não conseguiu produzir nenhuma forma de insulina que possa ser tomada por via oral, uma vez que o estômago a destrói automaticamente. Por ser injectável, é necessário que o doente tenha atenção ao modo como a manuseia. Deve ter os seguintes cuidados:
• Colocar a cápsula de protecção sem tocar na agulha após a utilização da seringa/caneta;
• Guardar a seringa/caneta à temperatura ambiente;
• Não utilizar a seringa ou a agulha da caneta se estas estiverem rombas;
• Não limpar a agulha com álcool;
• Manter a cápsula quando inutilizar a seringa/caneta e ter muito cuidado na sua eliminação.

Onde se injecta a insulina? A insulina pode ser injectada na região abdominal, nas coxas, nos braços e nas nádegas. A parede abdominal é o local de eleição para uma mais breve absorção da insulina de acção rápida. Deve ser usada para as injecções realizadas durante o dia. A coxa utiliza-se preferencialmente para as injecções de insulina de acção intermédia, sendo a região das nádegas uma boa alternativa.
Deve proceder-se à rotação dos locais onde se administra a injecção, de forma a evitar a formação de nódulos, porque estes podem interferir na absorção da insulina.

Como conservar a insulina? Os frascos de insulina, as cargas instaladas nas canetas e as seringas pré-cheias descartáveis em uso devem ser conservadas à temperatura ambiente, mas afastadas da luz solar directa e de locais como a televisão e o porta-luvas do carro.
Que problemas podem surgir no decurso do tratamento de um doente diabético?
• Hipoglicemia: baixo valor de açúcar no sangue;
• Hiperglicemia: elevado valor de açúcar no sangue, que significa que a diabetes não está bem controlada;
• Cetoacidose: situação provocada pelo excesso de corpos cetónicos no organismo. Os corpos cetónicos são substâncias que acidificam o sangue e que podem conduzir ao coma cetoacidótico, pondo a vida do doente em risco.

O que significa ter a diabetes controlada? Significa que os níveis de açúcar no sangue se encontram dentro dos parâmetros definidos pelos especialistas. É o médico que, de acordo com factores como a idade, tipo de vida, actividade e existência de outras doenças, define quais os valores de glicemia que o doente deve ter em jejum e depois das refeições. Convém lembrar-se de que os valores do açúcar no sangue variam ao longo do dia, motivo pelo qual se fala em limites mínimos e limites máximos.

Como se sabe se a diabetes está controlada? Diariamente, é o doente que se analisa e vigia a si próprio, quer através do seguimento da alimentação correcta e da prática de exercício, quer da realização de testes ao sangue e à urina em sua casa.
São justamente os testes realizados diariamente pelo doente que permitem saber se o açúcar no sangue está elevado, baixo ou normal e que, posteriormente, lhe permitem o ajustamento de todo o tratamento. Consequentemente, a melhor forma de saber se a diabetes se encontra ou não controlada é realizando testes de glicemia capilar (picada no dedo) diariamente e várias vezes ao dia. Se os valores estiverem dentro dos limites indicados pelo médico, a diabetes está controlada. Se não, o doente deve consultar o médico assistente.

Como prevenir a diabetes?
• Controlo rigoroso da glicemia, da tensão arterial e dos lípidos;
• Vigilância dos órgãos mais sensíveis, como a retina, rim, coração, nervos periféricos, entre outros;
• Bons hábitos alimentares;
• Prática de exercício físico;
• Não fumar;
• Cuidar da higiene e vigilância dos pés.

Onde procurar ajuda? No centro de saúde da sua área de residência, onde deverá contactar o seu médico de família.
Para saber mais, consulte:
Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal
Direcção-Geral da Saúde
Publicações Direcção-Geral da Saúde: "Como viver com Diabetes - Guia para as pessoas idosas" e "Guia do Diabético"

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Popota




quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Magusto


O Magusto é uma festa popular, cujas formas de celebração divergem um pouco consoante as tradições regionais. Grupos de amigos e famílias juntam-se à volta de uma fogueira onde se assam castanhas ou bolotas para comer, bebe-se a jeropiga ou vinho novo, fazem-se brincadeiras , as pessoas enfarruscam-se com as cinzas, cantam-se cantigas. O magusto realiza-se em datas festivas: no dia de São Simão, no dia de Todos-os-Santos ou no dia São Martinho. Inúmeras celebrações ocorrem não só por Portugal inteiro mas também na Galiza e nas Astúrias. Na Aldeia Viçosa o "Magusto da Velha" é uma tradição local.

Leite de Vasconcelos considerava o magusto como o vestígio de um antigo sacrifício em honra dos mortos e refere que em Barqueiros era tradição preparar, à meia-noite, uma mesa com castanhas para os mortos da família irem comer; ninguém mais tocava nas castanhas porque se dizia que estavam “babadas dos defuntos”.

A celebração do magusto está associada a uma lenda, a qual dizia que um soldado romano, mais tarde conhecido por Martinho de Tours, ao passar a cavalo por um mendigo quase nu, como não tinha nada para lhe dar, cortou a sua capa ao meio com a sua espada; estava um dia chuvoso e diz-se que, neste preciso momento, parou de chover, derivando daí a expressão: "Verão de São Martinho".

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Rua Sésamo nasceu há 40 anos

É o programa infantil mais famoso no mundo e nasceu há 40 anos, nos EUA. Em Portugal, tivemos de esperar um pouco mais, mas ainda assim há já 20 anos que passeamos pela Rua Sésamo.

Criada em 1969, pela mão de Jim Henson, a Rua Sésamo (Sesame Street, em inglês) foi primeiramente emitida pela PBS, a estação pública dos EUA.

Actualmente, a série continua em exibição e já conta com mais de quatro mil episódios.

Em Portugal, a Rua Sésamo chegou em 1989, num formato adaptado à realidade nacional.

Além de encantar os mais pequenos com personagens como o Poupas, o Ferrão, o Egas ou Becas, a série acabou por cativar os pais, que viam na Rua Sésamo uma forma de compensar a debilidade do ensino pré-escolar, que em 1989 tinha uma taxa de cobertura pouco superior a 30%.

Apesar do sucesso, a versão portuguesa da Rua Sésamo terminou em 1993, depois do final da quarta série.

Título: Egas e Becas da Rua Sésamo numa Noite de Trovoada
Subtítulo: É irresistível relembrar a Rua Sésamo


Desenhos Animados na Internet

Trigo


O trigo (Triticum spp.) é uma gramínea que é cultivada em todo mundo. Globalmente, é a segunda-maior cultura de cereais, a seguir ao milho; o terceiro é o arroz. O grão de trigo é um alimento básico usado para fazer farinha e, com esta, o pão, na alimentação dos animais domésticos e como um ingrediente na fabricação de cerveja. O trigo é plantado também estritamente como uma forragem para animais domésticos, como o feno.

História
O trigo foi primeiramente cultivado no Crescente Fértil, no Médio Oriente. Os arqueólogos demonstraram que o cultivo do trigo é originário da Síria, Jordânia, Turquia e Iraque. Há cerca de 8.000 anos, uma mutação ou hibridização ocorreu, resultando em uma planta com sementes grandes, porém que não podiam espalhar-se pelo vento. Esta planta não poderia vingar como silvestre, porém, poderia produzir mais comida para os humanos e, de fato, ela teve maior sucesso que outras plantas com sementes menores e tornou-se o ancestral do trigo moderno.

Espécies mais comuns
Trigo Comum - (T. aestivum) Uma espécie hexaplóide que é a mais cultivada no mundo.
Triticum monococcum - Uma espécie diplóide com variedades selvagens e domesticadas. Foi uma das primeiras espécies cultivadas, mas raramente utilizada atualmente.
Farro - (T. turgidum var. dicoccum) Uma espécie tetraplóide com variedades selvagens e domesticadas. Cultivada em tempos antigos, mas pouco atualmente. É de farro que vem a palavra farinha.
Trigo duro - (T. turgidum var. durum) A única variedade tetraplóide largamente usada hoje.
Kamut® - (T. turgidum var. polonicum) Uma variedade tetraplóide cultivada em pequenas quantidades, mas extensivamente comercializada. Originária do Médio Oriente
Espelta - (T. spelta) Outra espécie hexaplóide cultivada em pequenas quantidades.

Cultivares
Os cultivares de trigo são classificados segundo a estação do ano em que crescem (trigo de inverno ou trigo da primavera) e pelo conteúdo em gluten (trigo duro (elevado conteúdo em glúten ) ou trigo macio (elevado conteúdo em amido)).

Desenvolvimento da cultura
Espiga de trigoAs decisões quanto ao manejo da cultura necessitam de conhecimento do estágio de desenvolvimento da plantação. Em especial, as aplicações de fertilizantes, fungicidas e reguladores de crescimento são feitas em estágios específicos de crescimento da planta.

Por exemplo, as recomendações (americanas) atuais geralmente indicam que a segunda aplicação de nitrogênio deve ser feita quando a panícula (não visível nesta época) está com aproximadamente 1 cm de tamanho (Z31 na escala Zadok). O conhecimento dos estágios também é utilizado para identificar os períodos de maior risco para a planta quanto ao clima. Por exemplo, o estágio de meiose é extremamente suscetível a baixas temperaturas (abaixo de 4°C) ou altas temperaturas (acima de 25°C). Os produtores ainda se beneficiam sabendo que quando a folha bandeira (última folha) aparece ela representa cerca de 75% das reações de fotossíntese durante o período de enchimento dos grãos e, por isso, ela deve ser mantida livre de doenças ou ataque de insetos para garantir uma boa colheita. Existem muitos sistemas para identificar os estágios da planta, sendo as escalas Feekes e Zadoks as mais utilizadas nos Estados Unidos. Cada escala é um sistema padrão que descreve estágios sucessivos atingidos pela planta durante a época de cultivo.

Moagem
Denomina-se moagem de trigo o processo de retirada do endosperma ou farinha do grão de trigo. O endosperma compõe cerca de 75 a 80% do total do grão, para podermos separar esse endosperma de casca ou farelo, o grão deve ser submetido à uma umidificação seguida de um repouso, o qual é determinado pela dureza do grão. Esse repouso do trigo faz com que o farelo se torne flexível e friável, possibilitando assim a retirada de farinha,que fica agregada ao mesmo. Para separar o endosperma da casca podem ser utilizados rolos de moagem em bancos de cilindros, seguidos de uma peneiração em peneiradores planos ou plansifters.Os grãos passam diversas vezes pelos rolos até que se consiga fazer uma separação completa, para os grãos inteiros ou com grande quantidade de farelo agregado utilizamos rolos raiados.

Durante a primeiras passagens pelos rolos raiados temos a geração de sêmolas ou partículas de endosperma que variam de 200 a 1000 microns de tamanho, abaixo desse range já pode ser classificado como farinha e acima retorna novamente ao banco de cilindro para posterior moagem, seguida de peneiração. e assim sucessivamente até que se retire todo endosperma agregado ao farelo. As sêmolas por sua vez passam pelo sassor onde são classificadas de acordo com sua pureza e seguem para bancos de cilindros com rolos lisos, para serem reduzidas, após são peneiradas novamente, voltam aos cilindros para serem comprimidas , assim sucessivamente até estarem na granulometria de farinha ou farelo. É necessário um conjunto de rolos raiados e lisos e muitas peneiras para que o processo possa ser realizado de maneira que se retire todo o endosperma presente no grão.

Contra-indicações
O trigo, assim como o malte, a cevada, a aveia e o centeio, possui o glúten em sua composição, desta forma, não deve ser consumido por portadores da doença celíaca, já que a mesma traz como consequência ao organismo (caso consumido estes alimentos), uma atrofiação nas mucosas do intestino delgado, prejudicando o organismo e a absorção de diversos nutrientes.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

TRIMÛRTI ou OS TRÊS ROSTOS

Tarika convida para assistir ao evento "TRIMÛRTI ou OS TRÊS ROSTOS".
Evento: TRIMÛRTI ou OS TRÊS ROSTOS"Recital de Bharata Natyam com musicos ao vivo"
Início: Segunda-feira, 9 de Novembro às 21:30
Fim: Segunda-feira, 9 de Novembro às 23:00
Museu do Oriente Para ver mais detalhes e responder, segue este link

domingo, 8 de novembro de 2009

Muro de Berlim

"Cortina de Ferro" começava a ser erguida em 13 de agosto de 1961

Depois da Segunda Guerra Mundial em 1945, os vitoriosos Aliados: Estados Unidos, Inglaterra, França e Rússia dividiram a Alemanha em 4 setores, cada um sob o controle de um aliado. O setor dos Estados Unidos, Inglaterra e França combinados, formou um Estado capitalista, a República Federal da Alemanha (RFA) ou Alemanha Ocidental. O setor soviético virou um estado comunista, a República Democrática da Alemanha (RDA) ou Alemanha Oriental.

Uma barreira agora separava o Leste e o Oeste. Winston Churchill (primeiro-ministro inglês durante a Segunda Guerra Mundial) batizou essa barreira de "Cortina de Ferro". Os habitantes da Alemanha Oriental estavam muito insatisfeitos com as condições político-econômicas em que viviam. A troca privada foi proibida, assim como a posse de terras privadas e as pessoas foram forçadas a trabalhar em fazendas que pertenciam ao Estado. Havia faltas de comida e de mantimentos.

Mesmo considerando que Berlim estava em território soviético, os Aliados acharam melhor dividir a metrópole também. Portanto, Berlim foi dividida em quatro setores. De novo, os Estados Unidos, a Inglaterra e a França se juntaram para formar a Berlim Ocidental. O setor soviético formou a Berlim Oriental. A maioria da população da Alemanha Oriental e da Berlim Oriental não gostava do regime comunista. Na verdade, a maioria dos pessoas nem era comunista. Entre Janeiro e o começo de Agosto de 1961, 160.000 refugiados atravessaram a fronteira, em direção à Berlim Ocidental, buscando uma vida melhor.

Nikita Kruschev, o premier soviético, ordenou então o construção do Muro de Berlim para parar o fluxo de refugiados. O muro começou a ser construído em 13 de Agosto de 1961. Os comunistas rasgaram ruas e demoliram prédios para usar como barricadas na fronteira. Por 28 anos, o Muro de Berlim separou amigos, famílias e uma nação. O Muro era feito de aço, cimento e cercas de arame farpado com armadilhas e explosivos. Também haviam torres de guarda com metralhadoras e outras armas pesadas e se alguém insistisse em atravessar a muralha sem a permissão do governo comunista, que era quase impossível de conseguir, os guardas tinham ordens de atirar para matar.

O Muro de Berlim
Durante 28 anos, de 1961 a 1989, a população de Berlim, ex-capital do Reich alemão, com mais de três milhões de pessoas, padeceu uma experiência ímpar na história moderna: viu a cidade ser dividida por um imenso muro. Situação de verdadeira esquizofrenia geopolítica que cortou-a em duas partes, cada uma delas governada por regimes politicos ideologicamente inimigos. Abominação provocada pela guerra fria, a grosseira parede foi durante aqueles anos todos o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste, e, também, um atestado do fracasso do socialismo real em manter-se como um sistema atraente para a maioria da população alemã.
Chamado de "Cortina de Ferro" por Winston Churchill, Muro começou a ser erguido em 13 de agosto de 1961
As Primeiras Pedras

Na manhã bem cedo do dia 13 de agosto de 1961, a população de Berlim, próxima à linha que separava a cidade em duas partes, foi despertada por barulhos estranhos, exagerados. Ao abrirem suas janelas, depararam-se com um inusitado movimento nas ruas a sua frente. Vários Vopos, os milicianos da RDA (República Democrática da Alemanha), a Alemanha comunista, com seus uniformes verde-ruço, acompanhados por patrulhas armadas, estendiam de um poste a outro um interminável arame farpado que alongou-se, nos meses seguintes, por 37 quilômetros adentro da zona residencial da cidade. Enquanto isso, atrás deles, trabalhadores desembarcavam dos caminhões descarregando tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento. Ao tempo em que algum deles feriam o duro solo com picaretas e britadeiras, outros começavam a preparar a argamassa. Assim, do nada, começou a brotar um muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães.

Fonte: Terra
UOL

sábado, 7 de novembro de 2009

Julgamento

Cada vez mais e cada dia que passa
Convenço-me que as pessoas tem grandes defeitos,
Que agravam o ser humano na sociedade.
É muito triste mas é a realidade dura e crua.

Julgar sem conhecer as duas facetas da história,
Atirar pedras sem conhecer o passado,
Ser ingrata por coisas feitas sem reconhecimento
E não comunicar para evitar mal-entendidos.

Sempre e cada vez mais sei,
Quem tem poder de julgar é Deus,
Senhor e criador da natureza
E do mundo em que vivemos.

Quem tem poder de atirar pedras
Somos nós, a nós mesmo.
Pelos caminhos e decisões errantes,
Pelas palavras que magoam seja a quem for.

Estamos na Terra, de passagem
Para errar e aprender, para cair e levantar
Para magoar e curar, sentir solidão e união
E um dia, cá se fazem, cá se pagam.

Nós pensamos que conhecemos as pessoas
Que estão connosco á muito tempo
Mas aonde existe a ganância, o poder, o dinheiro
Existe as facetas escondidas.

Aqui paira a dura e crua realidade
Agora e sempre de consciência tranquila
Um dia, quando menos esperar,
A verdade seja ela qual for, virá ao de cima…

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A Senhora das Especiarias

Falaram-me neste livro de Chitra Banerjee Divakaruni ,Imigrante indiana nos Estados Unidos ,além de fornecer especiarias para o caril,ajuda também alguns clientes a alcançarem uma mercadoria mais preciosa.

A Senhora das Especiarias é um romance fascinante que revela os mistérios universais do coração humano. É uma mestra de especiarias...fala das origens do significado das cores e aromas.Segundo ela ,todas as especiarias tem a sua magia.

Adoro açafrão...utilizo muito esta magnífica especiaria.

Amarelo do Ano Novo, o verde das colheitas, o vermelho que dá sorte às noivas.

Comecei a ler o livro em Maio e ainda leio, com calma. Bocados tirado do livro:
Significa amarelo...cor de aurora e som das conchas do mar.Açafrão a especiaria auspiciosa ,que se põe na cabeça dos recem-nascidos para dar sorte ,que se esfrega na orla dos saris de casamento(das mulheres de origem indiana).

Adoro aromas da natureza...comprei também um perfume e sabonete ( Body Shop)com um fantástico aroma de jasmin.Cada especiaria tem um aroma especial ,as cores são magia...realmente uma paixão.

Peças de tecido tingido com cores muito antigas,
como o amarelo do Ano Novo,
o verde das colheitas,
o vermelho que dá sorte ás noivas.

Quando abrimos a lata que está à entrada da loja, sentimos logo o cheiro de aroma subtil, ligeiramente acre como a nossa pele e quase tão familiar. Se passarmos a mão pela superfície, o pó amarelo sedoso agarra-se-nos às partes carnudas e à ponta dos dedos.
Pó de uma asa de borboleta.
Aproximemo-lo da cara. Esfreguemo-lo na face, na testa e no queixo.
Mil anos antes do começo da história, as noivas e aquelas que anseiam por ficar noivas, fizeram o mesmo.
Tira as manchas e as rugas e anula os sinais de envelhecimento e a gordura. Alguns dias depois, a nossa pele recupera um brilho dourado e pálido.

…o momento apropriado,o momento em que o dia não pode separar-se da noite,
em que a realidade não se distingue do desejo.

A madeira de Sândalo mantém-lhe o brilho do olhar.

…dedos que parecem pétalas de rosa e que se afastam, desdenhosos, daquilo que há no pavimento: papéis, cascas podres, excrementos de animais, preservativos usados e atirados das janelas traseiras dos carros…

Tulsi, basilisco, que é a planta da humildade, que refreia o ego.

Pimenta-preta em grão para ferveres inteira e beberes. Solta-te a garganta, para que aprendas a dizer “Não”, essa palavra tão difícil para as mulheres indianas.

Amla para dar resistência, para ajudar a suportar a dor do que não podemos alterar, a dor que aumenta devagarinho e cresce como uma nuvem de monção, que se a deixares, ofusca o Sol.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Chás: Verde, Branco, Vermelho e Preto

O chá preto é um dos quatro tipos definidos de chás no mundo. Curiosa- e literalmente, é chamado de chá vermelho na China. O chá preto é o tipo de chá mais comum no Ocidente, tanto em saquinhos como em folhas. Grande parte do chá preto consumido internacionalmente é produzido na Índia.

O chá preto é processado de duas formas, em CTC (Crush, Tear, Curl - Esmagamento, Rasgo, Enrolamento) ou em folhas inteiras.

O método CTC é usado para folhas de baixa qualidade que acabam muitas vezes em saquinhos de chá e são processados por máquinas. Este método é eficiente para produzir um produto a partir de folhas de qualidade média ou baixa.

O processamento manual é usado para chás de qualidade elevada. Este estilo de processamento ortodoxo resulta num chá de qualidade elevada procurado por muitos conhecedores e apreciadores de chá. O chá é deixado oxidar, depois enrolado e finalmente seco em bandejas quentes.

Existem vários tipos de chás pretos, mas entre os mais famosos estão os indianos Darjeeling, Assam e Ceilão, e o chinês Keemun.

O chá preto é o mais forte e o mais cafeinado de todos os chás que são produzidos a partir da planta Camellia sinensis (i.e. chá branco, chá verde, e chá oolong).

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

20 anos - Wallace e Gromit

Wallace & Gromit são personagens de Nick Park. Eles foram criados em 1982 e são um carro-chefe de sua produtora, a Aardman Animations, a gigante empresa de animação de massinha (em Portugal, plasticina), e também a mesma que produziu os filmes A Opinião dos Animais e A Fuga das Galinhas.

Personagens
Wallace é um homem sem cabelo, e um inventor bem atrapalhado, que tem loucura por queijo. Wallace foi dublado pelo ator Peter Sails ( O Clube da Luta ), que por sua vez, teve sua voz reproduzida no Brasil por Alexandre Moreno. Gromit, cão de estimação de Wallace, é um cachorro sem voz. Ele não fala, mas consegue fazer tantas caretas, que Wallace consegue entender tudo o que ele quer dizer.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Abraço

ABRAÇO - Campanha de Recolha de Cabos "Boa Esperança" - a favor da Casa Ser Criança A Abraço está a reconstruir a Casa Ser Criança, e todos podem ajudar, através do envio de cabos eléctricos que já não são utilizados e que podem ser reciclados. Que tipo de Cabos? Todos; telefone, computador, etc;

Como ajudar?Indo a uma estação dos CTT, pede uma embalagem solidária, coloca os cabos e selecciona a Abraço de entre as várias Instituições, e os CTT fazem-nos chegar a caixa gratuitamente;

OU Indo a um Centro Comercial Dolce Vita, e colocando os Cabos nas Casas Depósito;
Veja o vídeo

domingo, 1 de novembro de 2009

Feriado religioso em que se pedem os "bolinhos"

A 1 de Novembro comemora-se o dia de "Todos os Santos". Em Portugal, nas grandes cidades, as pessoas vão ao cemitério arranjar as sepulturas dos seus entes queridos que já faleceram, com flores, que por tradição nesta altura do ano são crisântemos, já que no dia seguinte se comemora o "Dia dos Fiéis Defuntos". Porém na maioria das aldeias portuguesas, o dia de Todos os Santos é sinónimo de "bolos dos Santos" , "castanhas e água pé". Apesar de as tradições populares em Portugal tenderem a sofrer transformações, os leitores lembram-se, certamente, de neste dia logo pela manhã irem em grupos de crianças, de porta em porta, pedir os "santinhos" ou os "bolinhos" pela alma das pessoas que já partiram...

A festa do dia de Todos-os-Santos é celebrada em honra de todos os santos e mártires, conhecidos ou não. A Igreja Católica celebra este dia Santo a 1 de Novembro, seguido do dia dos fiéis defuntos a 2 de Novembro.

O dia de Todos-os-Santos foi instituído com o objectivo de suprir quaisquer faltas dos fiéis em recordar os santos nas celebrações das festas ao longo do ano. Esta tradição de recordar (fazer memória) os santos está na origem da composição do calendário litúrgico, em que constavam inicialmente as datas de aniversário da morte dos cristãos martirizados como testemunho pela sua fé, realizando-se nelas orações, missas e vigílias, habitualmente no mesmo local ou nas imediações de onde foram mortos, como acontecia em redor do Coliseu de Roma. Posteriormente tornou-se habitual erigirem-se igrejas e basílicas dedicadas em sua memória nesses mesmos locais.

O dia de "Todos os Santos" para todos os que nasceram fora de grandes cidades, leva-nos à memória, as crianças com uma "sacola" de pano, em grupos, indo de casa em casa nas aldeias, pedindo às pessoas, e elas a darem o que querem ou podem, como por exemplo: dinheiro, maçãs, romãs, castanhas, rebuçados, nozes, bolos, chocolates etc.

Antigamente todas as crianças dos meios rurais iam pedir os "santinhos". Normalmente as pessoas punham as mesas com o que tinham em casa (comida e bebida) e quando chegavam as crianças eles entravam e comiam à vontade e à saída ainda lhes davam alguma coisa. Hoje já só se pedem os "santinhos" ou os "bolinhos" para não se perder a tradição. É costume neste dia, nos meios rurais as pessoas confeccionarem broas de milho e outros bolos caseiros para comerem e darem.