Meus outros blogs:

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Vou começar a ler :"Os Factos da Vida"


Sete Irmãs vivem juntas sob a sombra da guerra, unidas pela lealdade, pelo amor, pelo medo e pela
esperança. Até que chega uma noite alucinante em que Luftwaffe arrasa Conventry. No meio das tempestades de fogo que se propagam pela cidade, a irmã mais nova experimenta um despertar mágico que resultará, anos depois, no nascimento de um criança. Após o fim da guerra, os percursos das irmãs divergem, mas permanecem atraídas por esta criança extraordinária. À medida que o rapaz cresce, as circunstâncias conspiram para pôr à prova as suas lealdades mútuas, enquanto abrem o pano dum mundo de eventos verdadeiramente espectaculares.

«Adorei este livro! É uma saga épica acerca da família, do amor, e da magia. Há muito tempo que um romance não me encantava a este ponto.»
Isabel Allende

domingo, 27 de janeiro de 2008

Sinto falta...

Perco-me nela. No suave roçar de lábios que se passeia pelo rosto. O toque nas pálpebras, levando ao semicerrar de olhos, a humidade que se espalha pela face, num carreiro doce que se encaminha para o toque apaixonado.
Depois, o toque de lábios com lábios. O aperto do lábio inferior. A pele macia, a carne tenra que se prende entre os lábios, entre os dentes. O toque no canto dos lábios com a ponta da língua. O leve roçar quente, como quem pede: ‘deixa-me entrar’. A penetração no espaço quente e húmido onde outra língua a aguarda para se entrelaçar num abraço movimentado, feito de fogo e paixão.
Bocas que tremem.
O gemido surdo que sai do peito. A alucinação do beijo.
O meu beijo. O teu. O nosso.
A minha boca. A tua. As nossas.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Sétimo Selo


As alterações climáticas e a perspectiva de esgotamento dos combustíveis fósseis constituem o tema de fundo do quinto romance de José Rodrigues dos Santos, «O Sétimo Selo», hoje lançado em Lisboa com a chancela da Gradiva.
«Acho que é um romance que vai abrir os olhos de muitas pessoas para os gigantescos problemas que nos esperam», disse o escritor e jornalista à agência Lusa. «Fala sobre o futuro imediato da humanidade, aquilo que vai acontecer ainda no nosso tempo de vida».

O livro, de 500 páginas, baseia-se em «informação histórica, técnica e científica verdadeira», como faz questão de sublinhar, e começa na Antárctida, onde cientistas polares assistem a um acontecimento real: o colapso da plataforma de gelo Larson-B, um fenómeno atribuído ao efeito de estufa e documentado em numerosos estudos científicos.

Por isso mesmo, o texto teve dois revisores científicos, um para a parte sobre o aquecimento global (Filipe Duarte Santos, especialista em alterações climáticas) e outro para a área dos combustíveis (Nuno Ribeiro da Silva, perito em energias renováveis).

«São as maiores sumidades portuguesas nessas duas áreas», disse José Rodrigues dos Santos.

Voltando ao enredo, na Antárctida, há um cientista norte-americano que é assassinado e a Interpol contacta a personagem principal, o historiador português Tomás Noronha, para ajudar a decifrar uma mensagem bíblica deixada pelo criminoso ao lado da vítima: «666», o chamado número da Besta.

«É esse o ponto de partida que coloca o protagonista na pista de dois problemas muito sérios que ameaçam o nosso futuro, o aquecimento global e o fim do petróleo», afirmou.

«Ainda esta semana - lembrou - o petróleo atingiu 89 dólares o barril e deverá entrar nos três dígitos no próximo ano».

«Como vai ser daqui a dez anos? Estará a 200 ou 300 dólares o barril? Vem aí uma recessão de proporções nunca vistas?», interroga José Rodrigues dos Santos.

«Temos de estar preparados para o que aí vem e só o poderemos estar se soubermos o que se passa, já que sem conhecimento do problema não há solução», frisou.

«Os cientistas estão em pânico com as alterações climáticas» - assevera. «O sul da Europa, incluindo Portugal, vai transformar-se num deserto, como de resto metade do planeta. Penso que o cidadão comum não tem noção disto, nem do impacto que isto produzirá na sua vida».

O título do filme é uma citação bíblica já usada pelo cineasta sueco Ingmar Bergman, recentemente falecido, num enigmático filme de 1957, em que um cavaleiro cruzado joga xadrez com uma personificação da morte, a quem pede tempo para reflectir sobre o sentido da vida.

«Está escrito no Apocalipse», diz Rodrigues dos Santos. «Quando Ele quebrou o sétimo selo, fez-se silêncio no céu», citou. «É nesse instante que começa o Apocalipse».

Comentário: Adorei o livro. Suspense desde o inicio, até a ultima página. Saber de algumas forças da natureza que contam no livro, acontecem na realidade... nomeadamente, aquecimento global, aumento do combustivel entre outros...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Noticias from India

migos e amgas,

aqui estou eu, no outro lado do mundo.
Aonde as culturas, maneira de viver, quase tudo e 99% diferente, do que estamos habituados a ver, sentir..
Tudo aqui e caos..
Mas para quem tem familia podemos ter comida, companhia, passeios, casamentos, tudo e um pouco melhor..
O transito e caotico, e o teclado daqui daqui tb...

Mando mais saudades, um dia destes...

sábado, 12 de janeiro de 2008

Corturim - Igreja de Santo Aleixo

Igreja Nossa Senhora do Carmo;


Terra da Avó e Avô Acúrcio;
Terra da Oscar e familia, a minha afilhada.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Navelim - Igreja de Nossa Senhora do Rosário


Segundo a lenda, esta igreja foi construída em barro semelhantes a outras igrejas em Salcete Taluka, no ano 1594 para 1598. Os construtores foram jesuítas e foi financiado pelos aldeões. O primeiro pároco da Igreja Navelim foi um jesuíta francês Fr. John Sena. À medida que o tempo passou, a Igreja tornou-se pequeno para o crescimento populacional. Mais tarde, ele foi reconstruído com pedras em maior escala através de um rico comerciante Goan, cujo nome não é dado. Este comerciante, segundo a lenda, enquanto passava pela estrada principal na frente da igreja, recebeu a mensagem de que ele iria perder uma quantidade substancial de dinheiro no seu negócio. Logo que ele recebeu esta mensagem, ele entrou na igreja e começou a orar a Nossa Senhora do Rosário, solicitando a ela para o aliviar desta catastrofe. Se sua oração fosse atendida, ele prometeu reconstruir a igreja original, em maior escala. Como resultado de sua intercessão de Nossa Senhora do Rosário, ele não só recuperou o que tinha perdido, mas recebeu o dobro. Ele então financiou toda a reconstrução, não só da Igreja, renovou a estátua de nossa Senhora do Rosário.

A celebração da festa de Nossa Senhora do Rosário começa cada terceira quarta-feira de Novembro. Esta devoção de Nossa Senhora inclui uma extensa festa, que começa com tradicionais procissões e novenas. Cada ano, a família selecionada para celebrar a festa, pinta a Igreja, no exterior quinze dias antes da festa. O interior da igreja também está lindamente decorado e do exterior é coberta com luzes. A maioria das casas e ruas da aldeia são iluminadas com luzes coloridas durante as comemorações. De quatro em quatro anos, a estátua de Nossa Senhora do Rosário é levada para baixo do altar e uma procissão leva daIgreja para o Recinto. Durante este dia uma consagração de Nossa Senhora, as crianças da escola representam cenas da Bíblia e do recinto é preenchido com multidão de aldeões. Na terceira quarta-feira de Novembro em 3:00 A.M., a luz de velas procissão carrega uma lindamente decorado estátua de Nossa Senhora para a Igreja. À noite, uma grande fogo de Artificios é patrocinado pela família selecionada para celebrar a festa esse ano. Durante todo o dia e noite há concani concertos. Além disso, há danças realizada à noite, que estão bem atendidos. Os aldeões Navelim convidar familiares e amigos para uma festa em sua casa e eles costumam visitar os outros lares transportando bandejas de doces tradicionais Goan.

NAVELIM FEIRAS
Segundo a lenda, nos primeiros tempos, esta feira consistiu principalmente de três ou quatro hangares e durou apenas por um dia, porque havia superstição que na mesma noite da festa, houve uma reunião de demônios na área em frente da igreja. FRANCISCO GOMES SALVADOR, pai do Dr. Francisco Luis Gomes, que foi o administrador de Salcete, incentivou alguns dos proprietários dos hangares para alargar o justo por três dias. Isto foi feito, barracas que vende brinquedos, alimentos e roupas. Existem cabine para os jogos, bem como carrinhos de choques. Além disso, há mobiliário, bem como barracas vendendo animais para a agricultura, como caprinos, bovinos e beduinos.

SABIA QUE
Navelim tem a maior concentração de católicos em Goa - mais de 20000
Navelim é famosa pela sua política, académica e espiritual talentos.
Navelim é uma das maiores aldeias em Goa.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Hoteis de 5 estrelas

Quer esteja em trabalho ou de férias, cada um dos 140 quartos deste estabelecimento de 5-estrelas é projectado para ajudar os hóspedes a descontrair com conforto e estilo. Junto ás praias, com piscinas interiores e exteriores, Campo de golfe (no local), Massagem, Estância termal, Desportos aquáticos...



The Leela Goa Hotel Goa


USD 218
Taj Exotica Hotel Goa


USD 246


Meus comentários: Talvez de lua de mel...talvez em sonhos..

domingo, 6 de janeiro de 2008

Praias de Goa


Goa é uma das principais regiões de praia no planeta. Não admira que o seja, em vista das suas palmeiras, sol forte, trechos de praia com areia branca e, acima de tudo, a sua população acolhedora que gosta de se diverter.

Águas mornas tropicais – a temperatura quase que não muda dos 32 graus centígrados – molham tanto as praias virgens como as frequentadas, batidas pelo Sol, ao longo de toda a costa de Goa.

Muitas das praias de Goa têm barracas onde se servem comida e bebidas variadas. Estas barracas são também pontos estratégicos donde se pode observar. Um dos mais estranhos e encantadores habitantes das praias de Goa são as vacas, que parecem estar em competição com os turistas quanto a gozar do sol e da areia.

As opções de desporto aquático incluem o excitante “parasailing” e o “jet skiing’, assim como a opção mais plácida de observer os golfinhos.

Onde as praias avermelhadas cobrem quilometros, onde o mar sempre está convidativo, onde o povo está sempre sorridente, onde há uma mistura fascinantes de culturas latina e indiana que deve ser conhecida. Sente-se à sombra de uma palmeira para beber uma "feni" (cerveja da região) gelada ou uma limonada, deite-se na areia quente para se bronzear ou nade em suas águas refrescantes.

Qual praia escolher? Quem sabe Colva, com seu mar caloroso de cor turquesa, onde os pescadores recolhem suas redes pela manhã, enquanto entoam canções marinheiras; ou talvez a sofisticada Aguada, com sua praia do "jet" e sua fortaleza do século XVI. Vá a uma festa de lua cheia em Aanjuna ou junte-se ao povo de Calangute, que vende artesanatos, jóias e telas. Desfrute da velha fortaleza portuguesa de Chapora, que é cercada de praias desertas douradas.

Benaulim fica no distrito de Salacete de Goa, e encontra-se 3 ou 4 quilmetros a oeste da cidade de Margao. A vila centra-se em torno de um cruzamento de ruas, com algumas casas e restaurantes amarrados ao longo das estradas que funcionam a paralela praia.Aqui, pode -se andar na praia, sob as palmeiras. Podemos ver casas de aldeia e arrozais de arroz verdes vibrantes, freqüentemente visitada por garças e outros pássaros que caminham com dificuldade à procura de alimento. A Igreja de São João Batista no morro é um belo exemplo de arquitectura Goan cristã. With the first drops of the Indian monsoon, the village breaks into a celebration of thanksgiving for the Feast of São João. Com as primeiras gotas das monções indianas, a aldeia invade uma festa de agradecimento para a Festa de São João.

Colvá é uma aldeia em Goa. Apesar da sua pequena dimensão ganhou fama no mundo Ocidental com o advento do movimento hippie em meados dos anos 60. Hoje é um destino preferencial de ferias de muitos paises Europeus sendo o nome "Colva" reconhecido em pontos remotos por este Mundo fora.

Cavelossim Praia, é um pequeno trecho de praia onze quilómetros a sul de Colva praia. Cavelossim Sul da praia é a praia Mobor que actualmente gabam-se dos resorts cinco estrelas, como o Leela Beach Resort.

sábado, 5 de janeiro de 2008

Margão

É uma cidade tipicamente lotada, o tráfego ruidoso e muito poucos vestígios arquitectónicos do seu passado Português. Margao Goa é a segunda maior cidade e um movimentado centro comercial.

Rodeado por férteis terrenos agrícolas, a vila de Margao foi outrora um importante centro religioso do país, com dezenas de templos ricos e dharmshalas (dormitórios). Na verdade o nome Margao é pensado para ser o Português corrupção da palavra Mathgram (de Matemática - um centro religioso hindu que existia ali) No entanto, a maioria das quais foram destruídos quando o Português absorveu a área em seus Novas Conquistas durante o século 17.

O Largo de Igreja, ou a Igreja do Espírito Santo, como também é conhecida, domina a entrada da cidade, apenas a norte do Jardim Municipal quadrado. A igreja está rodeada por área residencial de belas casas antigas ainda em condição. A igreja foi construída pelo Estado Português em 1675 e é um dos melhores exemplos de arquitectura barroca tarde em Goa, ostentando um prístino fachada branca e um interior com talha dourada gotejamento cristal e estuque.
Apenas a uma curta distância da Igreja, é a famosa "Casa das Sete Gables" ou "Sat Burzam Ghor". Esta magnífica mansão foi encomendado em 1790 pelo Sebastino da Silva, emissário e secretário privado da Vice-Português. Embora apenas três das sete gables permanecem hoje, eles são o suficiente para dar aos visitantes uma ideia do tamanho do edifício original.

A cidade tem uma excelente área de alongamento da ponta sul da praça principal para dentro de um passo da antiga estação ferroviária. Os centros labirínticos sobre uma área coberta que é uma fonte rica de fé e um bom lugar para procurar algumas pechinchas lembranças.

O centro da cidade, é o Jardim Municipal (conhecida como Praça Jorge Barreto), em torno da qual maioria dos restaurantes e edifícios estão localizados. O estilo colonial vermelhos lavados Municipal edifício construído em 1905 e da Biblioteca sobre o parque do lado sul.

Margao, Mercado do peixe era anteriormente localizada em frente ao edifício Municipal e foi uma espectacular vista, com os pescadores das zonas costeiras do sul Goa hawking os seus produtos no topo das suas vozes, soberbamente vestida de cor algodão sarees. O mercado tem, desde então, sido transferido para um complexo situado na entrada da cidade.

O caminho do Largo de Igreja divide em dois à entrada Margao, um curso na cidade e bom para os outros liquidação para outro Margao marco.Esta estrada chamada Calçada de Nossa Senhora de Piedade conduz até Monte Hill. Existe uma pequena capela no alto da colina, que continua bloqueado a maior parte do tempo. Mas vale a pena vir até aqui para uma vista espectacular do Salcette rurais em geral e em particular Margao.

Meus comentários: Foi na Capela de NªSrªde Piedade que assistimos a um casamento católico(de uma prima) em Goa.
Foi em Margão, que comprei dois lindos e amorosos Sarees, ainda por estreiar.. a 20€ cada. Para além das "Bangles, necklaces and earrings" de ouro e prata e coloridas.
Foi aqui, que fiquei com a boca aberta e a olhar, para as crianças que estavam vestidas com t-shirt, chinelos e gorros de lã com 30ºC de temperatura.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Pangim


Pangim ou Nova Goa é uma localidade situada na ilha de Goa, do lado norte e dista aproximadamente cinco milhas do rio Mandovy. Na margem esquerda avista-se o principal bairro da capital da Índia portuguesa, Pangim, nome que ainda mantém.

Pangim, bairro da aldeia de Taleigão, com a sua notável a fortaleza do Idalcão, foi remodelada a mando do Conde da Ega, então vice-rei, passando a palácio, onde residiu a partir de 1 de Dezembro de 1759.

Em Pangim (capital do Estado de Goa) há missa em português, aos domingos, na Igreja da Imaculada Conceição. Independentemente do idioma, as igrejas estão repletas e as mulheres vestem as melhores saias e saris para ir à missa dominical. Estima-se que os católicos correspondam, actualmente, a 30% da população de Goa, contra 60% de hindus e 10% de muçulmanos.

Apesar da urbanização crescente, a cidade ainda conserva muitos edifícios de traça colonial portuguesa (especialmente, nos bairros de S. Tomé e das Fontainhas), a maioria a necessitar de urgentes trabalhos de conservação, sob pena de verem ruir as suas características varandas de madeira. E, a cada esquina, encontram-se verdadeiros tesouros. As paredes do átrio do edifício onde está instalado o Instituto Menezes Braganza, conservam belíssimos painéis de azulejo que retratam várias cenas dos Lusíadas, como a chegada de Vasco da Gama à Índia.

Reminisces do Português arquitetura pode ser visto aqui no casas antigas, com mais de enforcamento varandas, azulejos telhados vermelhos e numerosos pequenos bares e cafés.

Meus comentários: O que poderei dizer sobre Pangim. Caótico, barulho: buzinadelas, marcha-atrás com música, ladrar dos cães, gralhas em todos os lados. Sujidade: vive-se em lado nenhum e em todo o lado, embrulha-se tudo com jornais (comida, fruta, roupa, prendas)... Mas os indianos vivem na calma e fé em Deus.. Em todas as direcções, seja no transito, seja no andar na rua, seja nas pessoas...
Transito de doidos, mas nunca vi um acidente, nem um carro ou uma mota amolgada.. será possivel?? Imaginem na hora de ponta. Vejam o video:

Também andamos no autocarro(kadamba) que ultrapassa a todos, motas, carros, duas filas de carros, mesmo com risco continuo. Dentro, mulheres de um lado, homens do outro. "No smoking, no spitting". Mas o calor, a paz e a calma, as paisagens lindas, supera tudo..

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Goa

Estado situado na costa ocidental da Índia, cerca de 400 km a sul de Bombaim.
Depois de descoberto o caminho marítimo para a Índia, por Vasco da Gama, que em 1498 chegou a Calecute, Goa foi conquistada pelas forças portuguesas, sob o comando de Afonso de Albuquerque, em 1510. A cidade tornou-se então a capital do império português no Oriente. Possuía um governador geral que unia administrativamente a Índia portuguesa. Os administradores da cidade pretendiam que esta fosse uma extensão da metrópole e como tal criaram algumas instituições e preocuparam-se em expandir o cristianismo. S. Francisco Xavier foi um dos pregadores de Goa. Foram edificados vários templos cristãos, como a catedral (erigida em 1511 e reconstruída em 1623) e a Basílica do Bom Jesus (1594-1603). Aliás, ainda hoje se faz notar a presença portuguesa naquelas paragens, no capítulo da arquitectura e da toponímia bem como em certos aspectos dos costumes locais.
Com a independência da Índia, em 1947, o novo governo reclamou Goa como parte integrante do Estado indiano. Viveram-se anos de grande tensão e em Dezembro de 1961 as tropas indianas invadiram Goa, que seria incorporada pela força na Índia, em 1962. Na mesma altura foram também perdidas as outras duas possessões portuguesas na região, Damão e Diu.
A parte urbana de Goa chama-se actualmente Panjim ou Panaji, e é a capital do estado de Goa; somente a parte monumental da cidade, que é escassamente habitada, conserva o nome antigo.

terça-feira, 1 de janeiro de 2008

Sobre India

País: União Indiana (República Federal - 26/1/50).
Área: 3268090 km2 (Goa - 3702 km2).
População: 1103 milhões de habitantes (Goa - 1,3 milhões).
Capital: Nova Deli (19,7 milhões de habitantes).
Moeda: Rupia (1 euro = 57 rupias).
Idiomas (principais): Hindi, Urdu, Bengali, Kanada, Concani (Goa) e Inglês.
Hora: GMT +4h30/ 5h30.

Clima: Tropical moderado ao longo de todo o ano, embora a temperatura e a humidade possam aumentar consideravelmente de Abril a Junho (meses que antecedem as monções). De Julho a Setembro, as chuvas (por vezes, torrenciais) tornam a estadia menos agradável do que nos meses de Inverno.

Vestuário: O mais simples e leve possível, mas procurando evitar os calções e as T-shirts de alças nos centros urbanos. As mulheres estão sujeitas a maiores limitações e devem evitar roupas transparentes ou demasiado justas ao corpo. De preferência, deverão usar saias compridas, camisas de manga e lenços para cobrir os ombros. Na praia podem usar bikini, mas o "topless" e o nudismo estão proibidos.

Conselhos úteis: Descontracção, espírito de tolerância e alguma paciência, são os requisitos necessários para uma boa adaptação aos usos e costumes da sociedade indiana. Observe o código de conduta apropriado em matéria de vestuário; descalce os sapatos à entrada dos templos hindus, da maioria das casas e em alguns estabelecimentos; respeite a privacidade das pessoas e peça autorização antes de fotografá-las; não beba água da torneira (lave os dentes com água mineral e feche a boca no chuveiro), recuse os cubos de gelo nas bebidas e não coma alimentos mal cozinhados (como carne mal passada), crus ou frutas com casca.

Gastronomia: Embora a cozinha goesa esteja em risco de perder a sua especificidade com a globalização crescente, ainda é possível provar em alguns restaurantes especialidades que resultam da fusão da exuberante cozinha indiana com os brandos costumes portugueses (que a tornam menos picante e mais saborosa). "recheiados", sarapatel, vindalho ou vindaloo, balchão, caril e chacuti e assado de bife, são algumas das receitas que poderá degustar. Goa é umas das poucas regiões da Índia onde é possível comer carne de vaca e excelentes camarões, lagostins, lagosta e peixes grelhados (atum, douradas, chaputas, pargos, red fish, pomfred, etc...). Nas sobremesas, não perca a deliciosa bebinca, o tradicional bolo feito às camadas ao longo de várias horas, só possível com a paciência e o lento correr do tempo de Goa.

Pontos de interesse: Museus e igrejas da Cidade Velha de Goa e de Pangim; Bairro das Fontainhas, em Pangim; Forte Aguada e Forte Chapora; os templos hindus de Shri Mangesh, Mahalsa e Ganesh, na zona de Ponda; a Sahakari Spice Farm, em Curti; Ferias de Mapuça, Margão, Arporá, Anjuna e as praias de Calangute, Baga, Anjuna, Ozran e Vagator entre outros locais..

Janeiro

MÊS: JANEIRO
FLOR: TREVO AMARELO
FADA: MAYA

Maya é a fada do trevo amarelo que compõe um grupo de fadas de flores silvestres. É descrita como uma menina de olhar compreensivo, que expressa harmonia em seus olhos, enquanto deixa entrever um tímido sorriso em sua boca. Maya representa toda a doçura do mundo natural das Invoque-a com o seguinte poema:

“Por tuas loiras flores”,
Trevo amarelo te chamamos,
Mostra-te fada Maya,
Entre a resplandecência de suas folhas,
Para o meu deleite e de toda a natureza.