Meus outros blogs:

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Telenovela Imperius’

Nona telenovela da TVI: Actores viajam para Goa na última semana de Setembro, para gravar ‘Imperius’ (nome provisório), a telenovela sucessora de ‘Ilha dos Amores’ (TVI), actual líder de audiências.
Alexandra Lencastre, João Perry e Pedro Granger formam o primeiro grupo de actores a rumar a Goa, na última semana de Setembro, para gravar ‘Imperius’ (nome provisório), a telenovela sucessora de ‘Ilha dos Amores’ (TVI), actual líder de audiências.
Alexandra Lencastre
Curiosamente, a actriz festeja o 42.º aniversário, dia 26, já na antiga possessão portuguesa na Índia, longe da família.
VILÃ DE NOVO
Na telenovela, escrita pela Casa da Criação e baseada num argumento original de António Barreira, Alexandra Lencastre dá vida à vilã ‘Margarida Ventura’, uma digna sucessora de ‘Luísa Albuquerque’ (a megera de ‘Ninguém como Tu’). Desta vez, a actriz que catapultou as audiências da anterior telenovela da TVI vai assumir o papel de uma mulher pérfida, que não vai olhar a meios para atingir os fins. E neste caso o seu objectivo é a fortuna de ‘Óscar Ventura’, personagem interpretado por João Perry, com quem está casada. ‘Óscar’ é dono de várias empresas, um verdadeiro império, que irá passar aos filhos, ‘João’ (Pedro Granger) e ‘Renata’ (Vera Kolodzig) seus herdeiros, que não toleram a presença da madrasta.
Depois da morte de ‘Óscar’, ‘Margarida’ descobre que a fortuna lhe escapou das mãos e com a ajuda do seu amante de sempre ‘Raul Carvalho’ (papel interpretado por Rogério Samora) tenta apoderar-se do império que agora pertence aos enteados. Para tal vai contar com ‘Vicente’ (Nuno Janeiro), um jovem que se vai render aos encantos da bela viúva.
O amor, o ódio, a ambição e a vingança são alguns dos ingredientes da telenovela cuja estreia está prevista para meados de Novembro.
DUAS ÉPOCAS
A história de ‘Imperius’ centra-se em duas épocas distintas: o presente, que retrata o Portugal dos nossos dias, e o passado, situado nos anos 60 em Goa, aquando da invasão do antigo território português pelas tropas indianas.
O restante elenco desta telenovela, composto por Paula Neves, Marina Mota, José Fidalgo, Francisco Nicholson, Maria João Luís, entre muitos outros, começa as gravações a 1 de Outubro nos estúdios da NBP. ‘Imperius’ será exibida em horário nobre.

sábado, 20 de outubro de 2007

Provérbios - Letra N

Na casa cheia, depressa se faz a ceia.
Na casa deste home quem não trabalha não come.
Na casa onde há dinheiro deve haver um só caixeiro.
Na necessidade prova-se a amizade.
Na prisão e no hospital, vês quem te quer bem e quem te quer mal.
Na terra onde fores viver faz como vires fazer.
Não acordes o gato que dorme.
Não adianta chorar sobre o leite derramado.
Não contes os pintos senão depois de nascidos.
Não cresce erva em caminho calcado.
Não dá a bota com a perdigota.
Não deites foguetes antes da festa.
Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje.
Não desejes mal a ninguém, que o teu mal pelo caminho vem.
Não é bom o mosto colhido em Agosto.
Não é com vinagre que se apanham moscas.
Não é por grandes orelhas que o burro vai à feira.
Não é por muito madrugar que amanhece mais cedo.
Não faças nada antes de consultar a almofada.
Não há amor como o primeiro.
Não há atalho sem trabalho.
Não há ausentes sem culpas, nem presentes sem desculpas.
Não há bacorinho sem seu S. Martinho.
Não há bela sem senão.
Não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe.
Não há boa terra sem bom lavrador.
Não há duas sem três.
Não há Entrudo sem Lua Nova nem Páscoa sem Lua Cheia.
Não há fome que não dê em fartura.
Não há fumo sem fogo.
Não há guerra de mais aparato do que muitas mãos no mesmo prato.
Não há luar como o de Janeiro nem amor como o primeiro.
Não há maior amigo do que Julho com seu trigo.
Não há mal que bem não traga.
Não há mal que sempre dure nem bem que não se acabe.
Não há mau tempo senão quando faz vento.
Não há mês mais irritado do que Abril zangado.
Não há onde o filho fique bem, como no colo da mãe.
Não há pior cego do que aquele que não quer ver.
Não há regra sem excepção.
Não há roca sem fuso.
Não há Sábado sem Sol, nem Domingo sem Missa, nem Segunda sem preguiça.
Não hajas dó de quem tem muita roupa e faz má cama.
Não mates mais do que podes salgar.
Não medram as galinhas onde a raposa mora.
Não peças a quem pediu nem sirvas a quem serviu.
Não ponhas o carro à frente dos bois.
Não se deve contar com um ovo quando ainda está dentro da galinha.
Não se falar ao mestre do que ele ensina mal.
Não se fazem omeletes sem partir ovos.
Não se foge ao destino.
Não se pescam trutas a bragas enxutas.
Nao se pode ter sol na eira e chuva no nabal.
Não suba o sapateiro além da chinela.
Não te rias da caveira, que um dia nela te vais tornar.
Não ter eira nem beira, nem raminho na figueira.
Não tira bom resultado, quem vai onde não é chamado.
Não tornes por detrás, pois é fraqueza desistir-se de coisa começada.
Nas costas dos outros se vêm as nossas.
Nasce erva em Março, ainda que lhe dêem com um maço.
Natal a assoalhar e Páscoa ao mar.
Natal à segunda-feira: Lavrador alarga a eira.
Natal na praça e Páscoa em casa.
Nem em Agosto caminhar, nem em Dezembro marear.
Nem mesa sem pão, nem exército sem capitão.
Nem no Inverno sem capa, nem no Verão sem cabaça.
Nem sempre, nem nunca.
Nem só de pão vive o homem.
Nem tudo o que abana cai.
Nem tudo o que luz é ouro, nem tudo o que alveja é prata.
Nem tudo o que vem à rede é peixe.
Neve em Fevereiro, presságio de mau celeiro.
Nevoeiro de S. Pedro, põe em Julho o vinho a medo.
Nevoeiro na serra, chuva na terra.
Ninguém está bem com a sorte que tem.
Ninguém se ria com o mal do vizinho, que o seu pode vir a caminho.
Ninguém toque na ferida quando ainda sangra e está dorida.
Ninho feito, Pega morta.
No amor, quem foge é o vencedor.
No aperto do perigo, conhece-se o amigo.
No Carnaval nada parece mal.
No dia da cozedura, até as aranhas ficam fartas.
No dia de S. Lourenço (10/08) vai à vinha e enche o lenço.
No dia de S. Martinho (11/11) vai à adega e prova o vinho.
No dia de S. Martinho (11/11), mata o teu porco e prova o teu vinho.
No dia de S. Martinho (11/11): lume, castanhas e vinho.
No dia de Santiago (25/07) pinta o bago.
No dia de Santiago (25/07) vai à vinha e prova o bago.
No meio está a virtude.
No melhor pano cai a nódoa.
No minguante de Janeiro, corta o madeiro.
No Natal à janela, na Páscoa à panela.
No Outono o Sol tem sono.
No poupar é que está o ganho.
No princípio ou no fim, costuma Abril a ser ruim.
No S. João, a sardinha pinga no pão.
No tempo do cuco, tanto está molhado como enxuto.
Noite aqui, noite em casa.
Norte frio, água no rio.
Nunca de corvo bom ovo.
Nunca digas desta água não beberei.
Nunca falta um chinelo velho para um pé manco.
Nuvens em Setembro: chuva em Novembro e neve em Dezembro.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Nevoeiro


Esta imagem mostra a ponte 25 de Abril, no dia 15 de Fevereiro de 2007, às 15h18min, sobre uma forte nebulosidade que se verifica na cidade de Lisboa.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Lisboa, Menina e Moça

Lisboa Menina e Moça
No Castelo ponho um cotovelo
Em Alfama descanso o olhar
E assim desfaço o novelo
De azul e mar.

À Ribeira encosto a cabeça
Almofada na cama do Tejo
Com lençóis bordados à pressa
Na cambraia de um beijo.

Lisboa menina e moça, menina
Da luz que meus olhos vêem, tão pura
Teus seios são as colinas, varina
Pregão que me traz à porta, ternura.
Cidade a ponto-luz bordada
Toalha à beira-mar estendida
Lisboa menina e moça, amada
Cidade mulher da minha vida.

No Terreiro eu passo por ti
Mas da Graça eu vejo-te nua
Quando um pombo te olha sorri
És mulher da rua.

E no bairro mais alto do sonho
Ponho o fado que soube inventar
Aguardente de vida e medronho
Que me faz cantar.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Provérbios - Letra U, V, Z

Um burro carregado de livros é um doutor.
Um dia, não são dias.
Um galo não canta no ovo.
Um homem atrapalhado, é pior do que uma mulher bêbeda.
Um mal nunca vem só.
Um olho no burro, outro no cigano.
Um olho no prato, outro no gato.
Um rico avarento, não tem amigo nem parente.
Um sabor tem cada caça, mas o porco cento alcança.
Uma água de Maio e três de Abril valem por mil.
Uma coisa pensa o Baio, outra pensa o selador.
Uma maçã por dia, dá uma vida sadia.
Uma mão lava a outra e as duas lavam a cara.
Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade.
Uns comem os figos, a outros rebentam-lhe os lábios.

Vão os anéis mas fiquem os dedos.
Vaso ruim não quebra.
Vê-se na adversidade o que é a amizade.
Velho casado com nova, filhos até à cova.
Velho casado com nova, ou corno ou cova.
Velho e namorado, cedo enterrado.
Velhos são os trapos.
Vem a guerra, vai a guerra, fica a terra.
Vento de Ramos, vento do ano.
Verdura de Janeiro, não vai a palheiro.
Vindima molhada, pipa depressa despejada.
Vinho verde em Janeiro, é mortalha no telheiro.
Viver não custa, o que custa é saber viver.
Voz corrente muito mente.
Voz do povo, voz de Deus.

Zangam-se as comadres, descobrem-se as verdades.
Zurros de burro não chegam aos céus.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Eu Amo-te.....

EM CEM LINGUAS DIFERENTES!!!
Africano - Ek het jou lief
Albanês - Te dua
Árabe - Ana behibak (para homem)
Árabe - Ana behibek (para mulher)
Armenia - Yes kez sirumen
Bambara - M'bi fe
Bangla - Aamee tuma ke bhalo aashi
Belarusian - Ya tabe kahayu
Bisaya - Nahigugma ako kanimo
Búlgaro - Obicham te
Camboja - Soro lahn nhee ah
Chinês Cantonese - Ngo oiy ney a
Catalao - T'estimo
Cheyenne - Ne mohotatse
Chichewa - Ndimakukonda
Corsican - Ti tengu caru (para homem)
Creol - Mi aime jou
Croacia - Volim te
Czech - Miluji te
Dinamarquês - Jeg Elsker Dig
Holandês - Ik hou van jo
Inglês - I love you
Esperanto - Mi amas vin
Estonia - Ma armastan sind
Etiópia - Afgreki'
Faroese - Eg elski teg
Farsi - Doset daram
Filipino - Mahal kita
Finnish - Mina rakastan sinua
Francês - Je t'aime, Je t'adore
Gaelic - Ta gra agam ort
Georgian - Mikvarhar
Alemão - Ich liebe dich
Grego - S'agapo
Gujarati - Hoo thunay prem karoo choo
Hiligaynon - Palangga ko ikaw
Havaiano - Aloha wau ia oi
Ebreu - Ani ohev otah (para mulher)
Ebreu- Ani ohev et otha (para homem)
Hiligaynon - Guina higugma ko ikaw
India - Hum Tumhe Pyar Karte hae
Hmong - Kuv hlub koj Hopi - Nu' umi unangwa'ta
Hungria - Szeretlek
Icelandic - Eg elska tig
Ilonggo - Palangga ko ikaw
Indonesia - Saya cinta padamu
Inuit - Negligevapse
Irish - Taim i' ngra leat
Italiano - Ti amo
Japonês - Aishiteru
Kannada - Naanu ninna preetisuttene
Kapampangan - Kaluguran daka
Kiswahili - Nakupenda
Konkani - Tu magel moga cho
Coreano - Sarang Heyo
Latino - Te amo
Latvian - Es tevi miilu
Libanés - Bahibak
Lituano - Tave myliu
Malay - Saya cintakan mu / Aku cinta padamu
Malayalam - Njan Ninne Premikunnu Chinês Do
Mandarin - Wo ai ni
Marathi - Me tula prem karto
Mohawk - Kanbhik
Moroccan - Ana moajaba bik
Nahuatl - Ni mits neki
Navaho - Ayor anosh'ni
Norueguês - Jeg Elsker Deg
Pandacan - Syota na kita!!
Pangasinan - Inaru Taka
Papiamento - Mi ta stimabo
Persa - Doo-set daaram
Pig Latin - Iay ovlay ouyay
Polish - Kocham Ciebie
Português - Eu amo-te
Romenia - Te ubesk
Russo - Ya tebya liubliu
Scot Gaelic - Tha gra\dh agam ort
Serbian - Volim te
Setswana - Ke a go rata
Sindhi - Maa tokhe pyar kendo ahyan
Sioux - Techihhila
Slovak - Lu`bim ta
Sloveno - Ljubim te
Espanhol - Te quiero / Te amo
Swahili - Ninapenda wewe
Sueco - Jag alskar dig
Alemão / Suisso- Ich lieb Di
Tagalog - Mahal kita
Taiwanese - Wa ga ei li
Tahitiano - Ua Here Vau Ia Oe
Tamil - Nan unnai kathalikaraen
Telugu - Nenu ninnu premistunnanu
Thai - Chan rak khun (para mulher)
Thai - Phom rak khun (para homem)
Turquia - Seni Seviyorum
Ukraniano - Ya tebe kahayu
Urdu - mai aap say pyaar karta hoo
Vietnamita - Anh ye^u em (para mulher)
Vietnamita - Em ye^u anh (para homem)
Welsh - 'Rwy'n dy garu
Yiddish - Ikh hob dikh
Yoruba - Mo ni fe