Meus outros blogs:

segunda-feira, 31 de julho de 2006

Oração

Os sinos tocam,
ultimas badaladas
tudo em oração,
um silencio total,
milhares de pessoas,
na sua diversidade,
raças, linguas, classes,
idades, sexos, castas
momentos de silêncio,
apenas ouve-se
o cantar dos passaros.
Os olhos fecham
tudo aguarda
aquele toque,
aquele inicio,
o arranque das melodias.
Quando começa,
todos cantam,
tudo vibra,
coração pula,
pela emoção de uma suave melodia.
Um olhar em redor,
mistura de cores,
mistura de diversidades,
tudo belo e tudo bonito
tudo estranho e tudo diferente.........

LMCF

domingo, 30 de julho de 2006

Chegada a Taizé

Sejamos bem-vindos
sejamos bem-acolhidos
uns chegam e alegram de reviver Taizé,
outros partem e levem o espirito de taizé,
no coração, a tristeza de dizer até um dia.

Escolhemos tema, escolhemos trabalho,
escolhemos camarada, companheira..

Na simplicidade de uma aldeia
tudo é tão simples, tão sereno,
tudo se medita, tudo se resolve
mesmo aquilo que não tem solução.

Um pouco de tudo,
Oração, silêncio, organização, diversão, meditação
e no fim, uma noite bem descansada.

LMCF

sábado, 29 de julho de 2006

Encontros em Taizé


O Acolhimento sempre representou uma parte essencial da vida em Taizé. Semana após semana, ao longo de todo o ano, jovens de todos os países da Europa e também de outros continentes vêm participar em encontros centrados na «vida interior e solidariedade humana».

De um domingo até ao domingo seguinte, cada um é convidado a entrar no ritmo de uma vida comunitária durante uma semana: reunir-se com os irmãos três vezes por dia para a oração, juntar-se a pessoas de outros países para os encontros, as refeições, as discussões em pequenos grupos, e diversos trabalhos.

Existem encontros para jovens, adultos de mais de 30 anos e para famílias com os seus filhos. Encontra-se também uma página destinada à preparação da vinda de grupos de jovens.

sexta-feira, 21 de julho de 2006

Amor e Destino

"Somos uma mãe natureza,
uma rosa vermelha, rosa, amarela, branca,
seja ela qual for a sua imensa beleza.

Nascemos, crescemos, sobrevivemos
ao vento, á chuva, á violência,
á tempestade, ao sol, tórrido,
ás tristezas de não mexermos,
ás alegrias de ver o sol.

Mais cedo ou mais tarde
Mudamos de vida
conhecemos outras caracteristicas,
seja felicidade, sentimentos sinceros.

Em nome do amor e do destino
de uma vida melhor
a tudo resistimos, a tua sobrevivemos,
a tudo damos vida...

Teremos que viver
o nosso próprio destino
o rumo já traçado
das nossas vidas."

LMCF

quarta-feira, 19 de julho de 2006

50 anos - Fundação Calouste Gulbenkian

Criada a 18 Julho de 1956, a Fundação Calouste Gulbenkian comemora este ano o seu cinquentenário. Ao longo de anos 2006 e 2007, vamos celebrar 50 anos de actividade, em Portugal e no Estrangeiro, nas nossas 4 áreas-chave de actuação:
-Arte (belas artes e música)
-Beneficência (saúde e desenvolvimento humano)
-Ciência (investigação e divulgação)
-Educação (apoio e desenvolvimento educativo)

segunda-feira, 17 de julho de 2006

Pai

As saudades são grandes,
A tua falta é sentida,
mas no coração sempre estarás presente..

Existe um enorme buraco,
existem muitos problemas,
mas basta lembrar-me de ti,
lembrar-me como resolvias os problemas,
lembrar-me do teu olhar..

Hoje, sente-se mais a tua falta,
mas sinto-te por perto..
Tu estás perto de Deus,
estás aonde não existe dor nem sofrimento..

Neste dia especial,
e em todos os dias,
Adoro-te Pai..

quinta-feira, 13 de julho de 2006

Bar dos Geméos - um espaço diferente!

E com o calor a apertar só apetece ir para a praia. Aqueles que têm a sorte de viver perto da praia podem sempre dar o saltinho a uma esplanada depois das aulas e ao fim de semana todo o tempo é pouco para fugir à rotina do dia-a-dia.
11/05/06
Se bem que cada um de nós tem as suas esplanadas de eleição, o Inverso sugere-te hoje uma opção diferente O Bar dos Gémeos, em Carcavelos.
O Bar dos Gémeos fica na zona de Carcavelos e tem uma longevidade de mais de 10 anos. Depois de ter surgido para conquistar o mercado rapidamente se tornou numa referência. Foi na Praia da Mó, algures entra as praias da Torre e de Carcavelos, que dois irmãos gémeos resolveram construir o seu sonho: um bar, para os apreciadores de jazz e de um serviço com classe. Aqui podes ouvir jazz de qualidade, fundido com a música das ondas do mar.
Grandes apreciadores do meio ambiente e perfeitamente conscientes dos perigos que o rodeiam hoje em dia, estes empresários disponibilizam durante a época balnear alguns utensílios curiosos, como é o caso de latas de refrigerante recicladas e transformadas em cinzeiros de praia, assim ninguém tem desculpa para colocar a beata na areia. O bar foi ainda um dos pioneiros a fazer recolha selectiva de lixo, separando o papel do vidro, das latas, do plástico e das pilhas.
À noite este bar é o espaço ideal para apreciar um bom whisky ou um bom chocolate quente.

"Há já sete anos que fazemos a separação do lixo. Tentamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que este bar seja tão agradável para as pessoas como também para o ambiente", afirma. "Não se imagina a quantidade de beatas que as pessoas deixam no areal depois de um dia inteiro de praia", observa, acrescentando: "Até agora a adesão aos cinzeiros tem sido fantástica."

Mesmo próximo da esplanada, à beira das rochas junto ao mar, uma estrutura em madeira, com três trelas e um depósito de água, "parque de estacionamento" para cães, permite que os donos aí deixem os seus fiéis amigos, à sombra, "enquanto se evita que estes estejam a incomodar os restantes clientes do bar, ou a envolverem-se em balbúrdias com outros animais"!

Não se pode proibir sem que também se arranjem alternativas", alega Rui Barreto. "Se não queremos beatas na areia, temos que disponibilizar cinzeiros, se não queremos cães na esplanada temos que arranjar um sitio onde se possa deixá-los".

terça-feira, 11 de julho de 2006

Radiação ultravioleta atinge pico de intensidade

Não se vêem, não se sentem e, no entanto, causam cancro da pele, cataratas e diminuem a eficácia do sistema imunológico, entre outros problemas. Estamos a falar das radiações ultravioletas que atingem esta semana um pico de intensidade em Portugal. O Instituto de Meteorologia prevê índices entre os nove e onze, sinal de proibição à exposição solar sem protecção.

Os índices de raios ultravioletas (UV) atingem os valores mais elevados desde sábado, prevendo-se uma ligeira diminuição para hoje, voltando a subir amanhã. Isto porque é a altura do ano em que o sol está muito alto e o ozono é menos abundante. A maior intensidade dos UV nada tem a ver com as elevadas temperaturas do ar atingidas esta semana. "Há factores coincidentes, mas não há uma relação casual", explica o meteorologista Diamantino Henriques.

A prova é que o maior índice de ultravioletas regista-se na Madeira (11), que tem temperaturas na ordem dos 25 graus, enquanto o Continente, com uma onda de calor que atinge os 35 graus, tem um nível de radiação inferior.

A radiação UV é cada vez mais preocupante porque está a diminuir o ozono atmosférico, que é o único gás que absorve de forma significativa os raios. "A natureza não é capaz de repor a camada de ozono à mesma velocidade com que é destruída, logo é previsível que se venham a verificar valores mais elevados de radiação ultravioleta de ano para ano", diz Diamantino Henriques. Os actuais índices de UV nos Açores e a Madeira devem-se, precisamente, a uma invasão de ar tropical estratosférico menos rico em ozono.

O maior problema, alertam os médicos e físicos, é que os raios ultravioletas não se sentem, ao contrário do que acontece com os infravermelhos. Neste último caso, o desconforto causado pelo calor leva a que as pessoas procurem uma sombra e a protegerem-se com roupa, chapéu e protectores solares.

Mesmo em dias de nevoeiro, podem apanhar-se queimaduras solares, porque a exposição aos ultravioletas é mais prolongada que num dia em que o céu está limpo. "A ultravioleta emite uma energia muito pequena, mas é muito eficaz para o efeito da queimadura na pele, por exemplo", diz Diamantino Henriques.

Um estudo da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia concluiu que a maioria dos inquiridos não sabe definir raios UV e apenas 37,9% indicam que as lentes escuras com protecção eram a medida mais indicada para proteger os efeitos nocivos deste tipo de radiação

segunda-feira, 10 de julho de 2006

Viver é um espectáculo imperdível

Podes ter defeitos, viveres ansioso e ficares irritado algumas vezes,
mas não te esqueças de que a tua vida é a maior empresa do mundo.
Só tu, podes evitar que ela vá à falência.
Lembra-te sempre de que ser feliz não é ter um céu sem tempestades,
caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.

Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar "eu errei".
É ter ousadia para dizer "perdoe-me".
É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de ti".
É ter capacidade de dizer "eu amo-te".
Faça da sua vida um canteiro de oportunidades.
Que nas suas primaveras seja amante da alegria.
Que nos seus invernos seja amigo da sabedoria.
E, quando errar o caminho, comece tudo de novo.

Pois assim serás cada vez mais apaixonado pela vida e
descobrirás que ser feliz não é ter uma vida perfeita,
mas é usares as lágrimas para irrigares a tolerância,
usares as perdas para refinares a paciência,
usare as falhas para esculpires a serenidade,
usares a dor para lapidares o prazer,
usares os obstáculos para abrires as janelas da inteligência.

Jamais desistas de ti mesmo.
Jamais desistas das pessoas que amas.
Jamais desistas de ser feliz, pois a vida é um espectáculo imperdível...

domingo, 9 de julho de 2006

Passeio: Obidos, Foz de Arelho, Lagoa de Obidos


Uma verdadeira maravilha, o castelo de Óbidos está completamente restaurado sendo assim um dos mais belos castelos em uso.

Assente sobre modesto penhasco à beira de extenso areal que ainda há pouco mais de dois séculos as águas do mar cobriam, Óbidos pode orgulhar-se do seu interessante castelo.

Formando quadrado, com uns trinta metros de lado, a muralha casteleira, reforçada de torreões cilíndricos nas faces setentrional e austral, bem como nos vértices de noroeste e sudoeste, e de torres quadrangulares nos de nordeste e sueste, cerca um terreiro no qual se erguia o paço do alcaide, a cujas ruínas deu nova vida a obra de geral restauro empreendida há poucos anos pela Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais. Uma robusta torre, adossada a Face ocidental da muralha, integra se no conjunto casteleiro. A face oriental da muralha constitui, por assim dizer, a parte nuclear daquela que envolve castelo e vila, e que, prolongando-se por um e outro lado em direcção sul, vai fechar em ponta, percorrido cerca de meio quilometro, na chamada Torre do Facho, afectando assim, muito aproximadamente, a configuração de um estirado triângulo isósceles. No seu conjunto, o actual castelo de Óbidos representa a fase final duma série construtiva que é possível acompanhar, por vezes mesmo documentalmente.


A partir das Dunas de Salir do Porto, desfruta-se uma paisagem ímpar de beleza, pela estrada Atlântica em direcção à Lagoa de Óbidos. Este plano de água é um dos mais bonitos locais da costa ocidental de Portugal, e constitui um frágil ecossistema, onde diversas espécies encontram um privilegiado habitat. Numerosas aves aquáticas e migratórias podem aqui ser observadas, mas é sobretudo ao nível dos moluscos bivalves que reside a importância da fauna desta área. Até ao final da Idade Média a Lagôa estendia-se até ao sopé da Vila de Óbidos mas a evolução da linha da costa, numa constante mutação, limitou substancialmente o seu perímetro. Ainda assim, a lagoa tem uma extensão apreciável sendo local excepcional para a prática de diversos desportos como o remo, a vela e o windsurf.
Junto à Lagoa a Praia da Foz do Arelho, é um lugar onde a natureza nos brindou, com as suas excepcionais qualidades terapêuticas e um extenso areal, local de eleição para surfistas, as águas calmas e tranquilas da Lagôa são um encanto para as crianças. Na zona do pequeno cais, pode comprar toda a variedade de espécies que a Lagoa oferece, do berbigão às ameijoas, nesta praia encontra óptimas esplanadas e restaurantes, onde se pode deliciar com pratos de peixe, enguias fritas, ameijoas e a magnifica caldeirada da Lagoa.

MUNDIAL 2006




1º Lugar: Itália
2º Lugar: França
3º Lugar: Alemanha
4º Lugar: Portugal

sábado, 8 de julho de 2006

Patins em Linha

Quem acompanhou o desporto alternativo em Portugal durante os anos 90, lembra-se concerteza da invasão dos patins em linha que tiveram o seu momento alto a meio da última década.
Durante os anos de 95 e 96, a moda desportiva chamava-se In-Line e toda a gente queria experimentar as rodinhas mágicas que deslizavam um pouco por todo o País.
Além do mais, este desporto proporcionava momentos de espectáculo notáveis, sempre que os melhores atletas nacionais entravam em acção, executando saltos sobre rampas e fazendo incríveis perícias ao deslizar sobre corrimões.
Os patins em linha foram também um dos maiores fenómenos desportivos de adesão popular dos últimos 10 anos, dado que ao contrário dos seus congéneres radicais como o Surf, Bodyboard, Skate ou Parapente, não era preciso molhar o cabelo nem ser muito temerário para experimentar a nova sensação desportiva.
Mas quando parecia que a modalidade ia tomar conta dos hábitos desportivos dos Portugueses, eis que se dá uma espécie de truque de ilusionismo e os ditos patins desaparecem da circulação como por magia.
Em 1997, a febre do "In-Line" tinha desaparecido, o público procurava a nova grande sensação. Dos tempos áureos dos patins em linha, restavam apenas alguns praticantes incondicionais e um parque de patinagem em Lisboa, junto à Foz do Tejo em Algés.

O que aconteceu?
Muito simplesmente, calculou-se mal o desenvolvimento do fenómeno, porque não existiam infra-estruturas para a prática da patinagem em Portugal, nem ao nível do desporto radical (skateparks), nem ao nível do desporto de manutenção (zonas de circulação ciclo-pedestre).
Em 1998, ainda ouve uma espécie de reanimação artificial, quando a EXPO 98 apresentou uma área consagrada à patinagem, perto da entrada norte da feira.
Praticamente 20.000 pessoas patinaram durante os 4 meses e meio que durou a exposição mundial, muitos deles estrangeiros. Mas terminada a feira o entusiasmo arrefeceu novamente, restando apenas o "In-Line Parque Portugal" na foz do Tejo, um projecto que viria a encerrar em 2000, por motivo de obras.
Mas então, qual o motivo para falar-mos em patins, depois do seu enterro histórico no final dos anos 90? Simplesmente porque eles estão de volta e mais fortes do que nunca!
A principal explicação para o ressurgimento dos patins em linha é aliás, bastante irónica: a moda é ciclica, (veja-se o recente boom das calças de ganga), e tanto na roupa como no desporto, os fenómenos repetem-se periodicamente. Entretanto chegou a vez do mercado Europeu voltar a recuperar as "Rodas em Linha".
Enquanto isso, no nosso País, assistiu-se nos últimos anos ao aparecimento de muitas insfra-estruturas adequadas à pratica do In-Line, nomeadamente as tão cobiçadas ciclo-vias e os polémicos skateparks. Tudo isso, leva-nos a pensar que este relançamento dos patins possa ser mais estável que o fenómeno de moda "In-Line" dos anos 90.

Larita experimentou e ADOROU. Tinha 3 professores para 2 alunas, que explicavam muito bem, debaixo de um sol torrido tiveram muita paciência!!!!!!

sexta-feira, 7 de julho de 2006

Danças de Salão

Em cada passo
percorremos diversos caminhos,
em cada giro
viajamos o mundo,
em cada olhar
transmitimos desejos,
em cada toque
multiplicamos sensações,
em cada queda
transcendemos a emoção,
em cada dança
sonhamos; com os pés no chão.


Por Rinaldo Donizete de Freitas

quinta-feira, 6 de julho de 2006

A Borboleta e a Flor


Um homem pediu a Deus uma flor e uma borboleta.
Deus deu-lhe um cacto e uma lagarta.
O homem ficou muito triste e não entendeu o porquê de seu pedido ter vindo errado, mas não questionou.
Passado algum tempo, o homem foi verificar o pedido que deixara esquecido.
Para a sua surpresa, do espinhoso cacto havia nascido a mais bela das flores e a horrível lagarta transformara-se em uma belíssima borboleta.

Deus age sempre certo.
O Seu caminho é o melhor, mesmo que aos nossos olhos pareça estar tudo errado.
Se pediste uma coisa à Deus e recebeste outra, confie.
Tenha a certeza de que Ele dá sempre o que precisa, no momento certo.
Nem sempre é o que se deseja, é o que precisas.
Como Ele nunca erra na entrega de seus pedidos, siga em frente sem murmurar ou duvidar.

O espinho de hoje...Será a flor de amanhã!

quarta-feira, 5 de julho de 2006

Final e 3º/4ª lugares - MUNDIAL 2006




09/07  20H  J16: Vencedor J13: Itália 1-1 Vencedor J14: França
Penaltis: Itália 5-3 França
08/07  20H  J15: Derrotado J09: Alemanha 3-1 Derrotado J11: Portugal

Amor e Paixão

Então e o amor... a paixão?
O amor é o sorriso, o que nos faz feliz quando estamos tristes. O que nos faz acreditar de novo no mundo, recuperar a nossa confiança. Somos amados e amamos, quem disse que eu não servia para nada? Damos e recebemos prazer, trocamos ternuras. Não consegues controlar a tua impaciência, o teu desejo de que alguém apareça e te arrebate, te deixe nas nuvens... a pairar de amor. Mas o amor não se encomenda, "por favor queria um amor para levar, linda de morrer, simpática e com recheio de bom humor".

É preciso....
Aprender
Esperar
Dar
Receber
Partilhar
Construir
Apreciar.

No entanto, como evitamos sofrer de amor... Somos levados pelos nossos sonhos pelas nossas fantasias. Idealizámos namorados, construímos castelos de amor. Temos medos, chorámos, batemos com as portas. O amor é tudo isto, a fantasia, a espera, a ansiedade as palpitações, o nó no estômago, a reconciliação com a vida.

Depois da dor, como conservar a inocência?
Leia um bom livro, legue as lágrimas à ciência.
E parta o vidro em caso de necessidade.
Deixe o seu coração em liberdade.


Aos Amores!

Amizade

Descontrai-te, sorri e não tenhas medo de dizer asneiras. Porque não perguntar: "Então, como vão as coisas?", ou, "Olá!, eu sou o João. Posso sentar-me ao pé de vocês, estava ali naquela mesa sozinho. Acho que andamos na mesma escola". Depois não fiques calado, fala, sorri, procura encontrar interesses em comum. Tal como na conquista amorosa, o que custa mais é o primeiro passo, depois é fácil, basta seres espontânea(o).
Tu mesmo!

É difícil fazer amigos, mas mais difícil é perder os amigos. Um amigo é um confidente, um conselheiro, um ombro quente. As amizades crescem, modificam-se, acabam. Não são sempre iguais. A tua amiga mudou-se com os pais para longe, o teu amigo preferiu a companhia da namorada. Ou simplesmente o teu conceito de amizade é diferente do conceito dos outros. Sentes que arrancaram um bocadinho de ti, abandonada.

Descobre novas formas para as tuas amizades, escreve cartas, manda e-mails, visita os teus amigos fora da escola. O teu mundo não são as quatro paredes de uma sala de aula ou o recreio da tua escola.

Lá porque são os teus amigos também é importante conseguir-lhes dizer não, quando sentires que é necessário. Ser livre, independente e autónomo é também saber dizer não. Os verdadeiros amigos compreendem e aceitam.

O melhor amigo/a
"Gostava que conhecessem a minha melhor amiga. Passamos horas a falar, na escola, ao telefone (quando a minha mãe descobrir a conta vai ser um sarilho...), contamos segredos, fazemos planos. Andamos de braço dado na escola e enfrentamos tudo e todos".

Existe uma grande cumplicidade entre ti e a tua amiga. É como nos filmes: uma amizade para sempre, mais forte que o amor... Mas a amizade também pode estar sujeita a algumas provas. Sentes que a distância entre vocês aumenta quando arranjas um namorado. A tua amiga sente-se traída e abandonada.

Nas amizades, tal como no amor, a conversar é que as pessoas se entendem. Fala com ela e explica-lhe que continuas a gostar dela, que queres continuar a ser sua amiga. Não devemos ter exclusividade sobre os nossos amigos, eles podem ter outros amigos ou um amor especial. Ela irá compreender e a vossa relação irá crescer, mais sincera e bonita.

terça-feira, 4 de julho de 2006

4 de Julho

-Independence Day (Dia da Independência), nos Estados Unidos da América.
-Dia Internacional do Cooperativismo - Dia comemorativo do cooperativismo mundial idealizado pela ONU
-Roma antiga: Dia de Pax, deusa da paz.
-Isabel de Aragão (Rainha Santa Isabel)
Santa Isabel, rainha de Portugal.Isabel de Aragão, OSC (ou, usando a grafia medieval portuguesa, Helisabeth; Saragoça, 1271 - Santarém, 4 de Julho de 1336), foi uma infanta aragonesa e, de 1282 até 1325, rainha consorte de Portugal.
Passou à história com a fama de santa, tendo sido beatificada e posteriormente canonizada. É popularmente conhecida como a Rainha Santa Isabel ou, simplesmente, A Rainha Santa.

segunda-feira, 3 de julho de 2006

Segredos para uma boa vida

Diverte-te ao ar livre;
Evita os maus vicios;
Escuta os bons conselhos;
Mantem-te alerta e aguarda. Talvez o que procuras te encontre;
Prepara-te para as suspresas;
Observa bem o terreno que pisas;
Sê presistente nos objectivos;
Não permites que a situação te baralhe;
Não deixes de ser curioso;
Penteia-te... sempre!
Mais do que tudo....... SORRI.

domingo, 2 de julho de 2006

Associação Tampa Amiga -Projecto Tampinhas


A ASSOCIAÇÃO TAMPA AMIGA surgiu na sequência de um projecto desenvolvido em 2003 pela Enfª Guadalupe Jacinto, quando esta decidiu contactar empresas de reciclagem e valorização de resíduos no intuito de lançar esta ideia simples:
1. Recolher tampas de plástico
2. Vender para reciclagem
3. Oferecer Material ortopédico a quem mais dele necessita.
Durante o ano de 2004 foi lançada uma campanha de recolha de tampas nos concelhos de Almada e Seixal, em associação com a empresa de recolha de resíduos local, com vista a beneficiar a Liga de Amigos do Hospital Garcia de Orta.
A campanha foi um sucesso, excedendo todas as expectativas. No final do ano já se tinham recebido contribuições em tampas provenientes de todos os pontos do pais, e até das regiões autónomas.
A resposta foi tal, que decidimos criar a ASSOCIAÇÃO TAMPA AMIGA, de modo a dar continuidade à ideia.
Neste momento, o nosso objectivo é alargar a campanha a nível nacional, envolvendo o maior número de sistemas de valorização de resíduos possível, Associações e Empresas em todo o país, de modo a que as entregas das tampas sejam facilitadas à população, e possamos cada vez mais ajudar quem mais necessita.

Se acredita neste projecto e quer ajudar, associe-se ou ajude-nos em regime de voluntariado. Precisamos de voluntários que possam ajudar em tarefas administrativas, e programação web. Também era bom conseguirmos uma pequena sede, o que até agora não foi possivel.

http://www.tampinhas.com/ ou http://www.tampinhas.org/

2 de Julho

-Dia do Bombeiro - Dia dedicado ao Bombeiro no Brasil.
-Dia do Hospital - Dia dedicado ao Hospital no Brasil.
-Dia da Independência da Bahia - feriado no estado brasileiro da Bahia.

sábado, 1 de julho de 2006

Mundial 2006: Thuram responde a Le Pen, que acusou França de ter «muitos negros»

O internacional francês Thuram respondeu com veemência às críticas do líder da Frente Nacional Francesa, Jean-Marie Le Pen. O político de direita acusou a selecção francesa de «ter demasiados negros», lamentando a falta de identidade nacional e o facto de a maioria dos jogadores nem cantarem o hino no início dos jogos.

«Não sou negro, sou francês», ripostou o experiente defesa, visivelmente agastado, acrescentando: «Le Pen deveria saber que assim como existem negros franceses, existem loiros e morenos, e não são convocados para a seleção pela sua cor, mas por serem franceses. Ele quer ser presidente e não conhece a história do país, isso é grave e surpreendente.»

Quanto ao hino, Thuram lembra que os jogadores franceses são dos que mais cantam o respectivo hino: «Além disso, não é por o jogador cantar o hino ou não que sente mais ou menos francês.

«Se alguém vir o Le Pen por aí, diga-lhe que, se ele tem algum problema em ser francês, nós não temos. Viva a França! Mas não a França que Le Pen quer», concluiu o internacional francês.

Meias Finais - MUNDIAL 2006




D:04/07  20H  J13: Vencedor J9: Alemanha  0-2 Vencedor J10: Italia
D:05/07  20H  J11: Vencedor J11: Portugal  0-1 Vencedor J12: França


Das quatro selecções que garantiram a presença nas meias-finais do Mundial, Portugal é a que tem menos golos apontados. A equipa das quinas ainda só festejou por seis vezes, menos uma que o adversário da próxima quarta-feira, a França, que apontou sete golos.
Os outros dois semi-finalistas, Alemanha e Itália, têm revelado uma veia goleadora ainda mais apurada, e contam com nove e onze golos marcados, respectivamente.

Curiosamente, Portugal é a segunda selecção que mais rematou, apenas superada pela Alemanha. A selecção lusa já rematou por 75 vezes na competição, enquanto que a selecção anfitriã totaliza 88 remates. A Itália, como seria de esperar, apresenta um número mais baixo (63), mas a França consegue rematar ainda menos (59).

No que diz respeito à pontaria afinada, a ordem é a mesma. A Alemanha foi quem mais acertou na baliza (43), seguida por Portugal (38). A Itália acertou menos três vezes na baliza (35), e a França é a que menos trabalho dá aos guarda-redes, tendo acertado 26 vezes na baliza.